A poluição


Podemos definir a poluição como qualquer degradação do ambiente, natural ou urbano, geralmente provocada pela introdução do homem, seja de forma direta ou indireta, de substâncias ou de energias nesse ambiente. Essa intervenção acaba gerando um efeito negativo no equilíbrio do ambiente em questão e causando danos aos ecossistemas, aos seres vivos e à saúde humana.

A poluição

Aos agentes de poluição damos o nome de poluentes. Eles podem ser químicos, genéticos e até energéticos, como é o caso da radiação, da luz e do calor. Existem dois tipos de poluentes, os naturais e os artificiais. Os primeiros são aqueles que podemos encontrar na natureza, como o gás carbônico, mas que se tornam nocivos quando sua quantidade apresenta um aumento significativo pela ação da natureza ou do homem (antrópica). Já no caso dos artificiais, são substâncias produzidas e lançadas pelo homem na natureza, como por exemplo os pesticidas e os gases CFCs (clorofluorcarbonos).

É interessante observar que até produtos que não costumam ser nocivos podem acabar sendo considerados poluentes, se porventura originarem efeitos negativos no futuro – é o caso de substâncias que em pequenas quantidades são benignas, mas em grandes quantidades acabam causando danos ao planeta e à vida.

Existem diversos tipos de poluição:

Devemos lembrar que a contaminação é uma forma específica de poluição. Podemos dizer que qualquer ambiente contaminado é um ambiente poluído, mas o contrário não é necessariamente correto, já que contaminação é quando um produto ou organismo é introduzido num meio em quantidades nocivas à vida vegetal ou animal.

A poluição se intensificou com a Revolução Industrial, momento histórico ocorrido nos séculos 18 e 19, que veio acompanhado da industrialização e da urbanização. Esse marco tornou possível a consolidação do capitalismo, que tem como uma de suas características principais incentivar a produção e o acúmulo de riquezas, além de estimular a necessidade de consumir, criando a ideia de que é preciso adquirir produtos novos frequentemente. Assim, surgiu a visão de que o progresso está ligado à exploração e à destruição dos recursos naturais, o que foi fundamental para o enorme crescimento da poluição em nosso planeta.

Outro problema ocasionado por esse estilo de vida da nossa sociedade atual é a enorme produção de lixo, que provoca, inclusive, a contaminação dos lençóis freáticos e do solo.

Os poluentes mais comuns

Esses são alguns dos poluentes mais comuns:

  • Pesticidas, isolantes (Ascarel, por exemplo) e benzeno: esse tipo de poluente pode causar deficiências imunológicas, infertilidade, distúrbios hormonais, câncer de testículo e de ovário e má-formação de órgãos genitais em fetos.
  • Partículas de cansadez (materiais particulados): afetam os pulmões, resultando em alergias, bronquite, asma e até mesmo câncer. São emitidos por indústrias e automóveis.
  • Chumbo: afeta o cérebro, tendo como consequências retardo mental e outros danos graves na capacidade de atenção e na coordenação motora. É um metal pesado, com origem em pinturas, indústrias, água contaminada e carros.
  • Mercúrio: também atinge o cérebro, como o chumbo, gerando efeitos igualmente graves. É originado na incineração de resíduos e em centrais elétricas.

Consequências da poluição

A poluição é um problema sério, que vem se agravando ao longo dos anos e que foi ignorado durante décadas. Se, por um lado, a humanidade se une em tentativas de diminuir as emissões de gases nocivos e preservar o meio ambiente, como a assinatura do protocolo de Kyoto e criação de reservas, por outro lado continuamos poluindo o ambiente todos os dias, ao usarmos sacolas plásticas e outros produtos feitos desse material, ao usarmos o carro para trajetos curtos e não dar carona, ao jogarmos lixo em rios, na rua e em matas, entre tantas outras pequenas ou grandes atitudes que fazem parte do nosso cotidiano. Entretanto, a poluição traz diversas consequências, como:

  • Morte de rios e lagos;
  • Chuva ácida;
  • Efeito estufa;
  • Destruição da camada de ozônio;
  • Aquecimento global;
  • Inversão térmica;
  • Mutações genéticas;
  • Propagação de doenças infecciosas;
  • Morte por asfixia;
  • Surdez e problemas neuropsíquicos;
  • Grandes alterações nas taxas de natalidade e mortalidade de populações;
  • Necrose de tecidos;
  • Extinção de espécies de plantas e animais;
  • Doenças respiratórias;
  • Estresse;
  • qualidade de vida;
  • E muitos outros problemas para os seres humanos, animais, plantas e o meio ambiente.

Observando a imensa lista de consequências negativas que a poluição provoca em nosso planeta, podemos perceber que é urgente mudarmos os hábitos e leis para minimizar a poluição e os danos causados por ela.

Se a nível mundial é difícil conciliar os interesses de nações e blocos econômicos em prol do bem-estar e da sobrevivência da vida na Terra, nós podemos começar trabalhando atitudes pontuais no nosso dia a dia e incentivando outras pessoas a fazerem o mesmo, educando as novas gerações para terem uma postura diferente em relação a esse problema.