África: Economia, Agricultura, Pecuária e Transportes


África

Terceiro maior continente da Terra e o segundo mais populoso, a África apresenta uma farta variedade étnica, social, cultural, política e econômica, mas com muitos problemas em grande parte do seu território. Apesar da riqueza de sua geografia e ecossistema, a África possui países que encabeça a lista dos mais pobres e subdesenvolvidos do mundo, além de serem permeados por guerras civis.

Dividida entre a localização de países como África setentrional, ocidental, central, oriental e meridional, o continente também é regionalizado por critérios culturais, étnicos e religiosos que a definem como África Branca e África Negra.

A África Branca

A África Branca é conhecida por ser uma divisão política e econômica entre a Europa e o continente. Estão inclusos os países de Marrocos, Argélia, Líbia, Egito e Tunísia, expandindo para o Saara Ocidental, Sudão e Mauritânia. Nesta região existiram grandes civilizações como a Egípcia e que expandiram suas fronteiras até a Europa pelo Mar Mediterrâneo junto ao Império Bizantino, os Fenícios e os Cartágos.

Hoje a maior parte desses países fazem parte da Liga Árabe, onde a maioria compõe uma organização econômica chamada de União do Magrebe Árabe, que visa uma maior interação comercial entre os países. Essa região também possui forte ligação comercial com a Europa e faz parte da expansão árabe islâmica. Sob o aspecto geográfico, a região mais próxima ao Mar Mediterrâneo tem um clima mais ameno enquanto a área mais ao sul tem uma vasta região desértica.

Sua população majoritariamente é composta por árabes e berber, que se uniram aos hamitica e forma cerca de 80% de caucasianos. Os negros presentes tem como origem as migrações do continente e aos que vieram pela escravização islâmica. A língua falada é árabe e em alguns pontos também os berberes, com religião mulçumana na maior parte e pequenos pontos de cristãos católicos.

As principais riquezas da África Branca é a agropecuária, com bovinos, ovinos, cana de açúcar, algodão, arroz, sorgo, milho, especiarias e tabaco. Na Líbia a exploração de petróleo e as industrias petroquímicas são bastante expressivas e elavam a renda per capita do país, mas concentrado a uma pequena parcela da população.

A África Negra

A África Negra, mais conhecida como subsaariana, é formada por 44 países e fica ao Sul do Saara. Geograficamente, o Deserto é uma barreira que divide as fronteiras entre essas duas Áfricas tão diferenciadas em todos os níveis, incluindo geografia e cultura. A predominância são de etnias negras, com grande variedade cultural e que inclui diferenças significativa de línguas, culinárias, indumentária, costumes, música e religião.

Essa região é a que possui uma maior variedade lingüística do mundo, com mais de mil línguas conhecidas, provenientes de tribos. As mais conhecidas são os cliques, camito-semitica, Nilo saariana e nígero-congolesa. Cada tribo espalhada dentre esses países apresenta um rico universo de particularidades bem definidas e que ainda mantém as tradições comunitárias.

A África Negra possui a maior população, cuja predominância são de jovens e que apresentam os mais baixos níveis socioeconômicos do mundo. A expectativa média de vida é de apenas 45 anos, enquanto a média de um país em desenvolvimento é de 70 anos, causada pela ausência de cuidados básicos como saneamento básico, alimentação adequada e cuidados médicos.

Popularmente conhecida como “berço da humanidade”, a África Negra possui os fósseis mais antigos e originais desde a era quaternária. Nela existiram grandes impérios como o de Gana, Canem e Songai, que a partir do século VIII foram impostas a religião e cultura islâmica. Com a chegada dos Portugueses, seguidos por outros países colonizadores europeus, essas culturas foram sendo devastadas pelo tráfico de escravos até que a mercadoria humana foi substituída por tecidos, armas e alimentos.

Toda a região possui uma economia mais frágil que ainda dependem financeiramente de outros países desenvolvidos para se manterem. Ainda assim a África Negra está em profunda crise econômica e política, quase sempre vinculada a ditaduras, grandes dívidas externas, queda na exportação de matérias primas, desemprego e graves negligências sociais.

Guerras civis ainda estão presentes na área, mas já há a fortes vínculos com a democracia em muitos países, que incluem constituição e eleição. Mas as doenças presentes na região ainda são as principais causas de morte entre sua população. Doenças como a AIDS, que já possui controle através de remédios, continua em franco crescimento entre a população, pela falta políticas de prevenção.

O clima predominante é tropical,com temperaturas elevadas, chuvas abundantes, sendo úmido no verão e seco no inverno. A selva equatorial possui um rico bioma enquanto na savana há os mamíferos mais conhecidos como elefantes, leões, girafas e hienas.