África Física e Humana: Características e Classificação


Aspectos físicos

A África apresenta uma extensão territorial de 30 000 000 quilômetros quadrados, limitando-se, ao norte, com o Mar Mediterrâneo; ao sul, com a junção dos oceanos Atlântico e Índico; a leste, com Oceano Índico, Mar Vermelho e Canal de Suez e a oeste, com o Oceano Atlântico.

Relevo

África Física e Humana

Na África, predominam os planaltos: Saara, no norte; da Etiópia, no leste; de Katanga, no centro; de Angola, no sudo­este; de Kalahari e Transvaal, no sul. Das planícies, a mais extensa é a litorânea, destacando-se também aquelas que acompanham os vales dos rios: Vale do Nilo, no nordeste; Vale do Níger, no oeste; Vale do Rio Congo, no centro do continente.

Entre as várias regiões montanhosas, destacam-se: Cadeia do Atlas, no norte, dividida em Atlas Marroquino, Atlas Argelino e Atlas Saariano; no extremo sul, a Cadeia do Cabo e os montes Nieuwe-weld e Drakensberg (Montanhas do Dragão); na parte ocidental, o Maciço Vulcânico dos Camarões.
Na parte oriental, es­tão as principais formações montanhosas do continen­te africano: Maciço da Etiópia e Maciço da África Oriental. Nesse último, o Planalto Lacustre aparece circundado por fossas tectônicas e picos vulcâni­cos, entre os quais se destaca o Monte Kilimanjaro, o mais alto da África, com 5 895 metros, localizado na Tanzânia.

Litoral

Apesar de bastante extenso (mais de 27 000 quilômetros), o litoral da África é pouco recortado, sendo raros baías, penínsulas e golfos.
O continente apresenta poucas ilhas. No Oceano Atlântico, destacam-se os arquipélagos dos Açores, Ma­deira, Canárias e Cabo Verde, a noroeste do continente de São Tomé e Príncipe e a oeste do Gabão; e o de Santa Helena, a oeste de Angola. No Oceano Índico, está a maior ilha africana, Madagáscar, a leste de Moçambique, e as ilhas Maurício, Reunião, Comores, Almirantes e Seychelles.

Clima

Como a maior parte de suas terras está situada entre a Linha do Equador e os trópicos, a África é o continente onde predominam climas quentes, variando, apenas, os seus índices pluviométricos. O clima equatorial domina a Bacia do Congo; o tropi­cal é típico da África Central, Ocidental e Oriental; o desértico (Saara, no norte, e Kalahari, no sul) é caracte­rístico dos trópicos; o semi-árido domina alguns trechos do Magreb e regiões próximas ao Kalahari; o subtropical mediterrâneo é encontrado no extremo norte do conti­nente (África Mediterrânea) e no extremo sul (África Meridional).

Hidrografia

O mais extenso rio da África é o Nilo, com 6 670 quilômetros (terceiro do mundo em extensão, após o Amazo­nas e o Mississipi). O Nilo nasce na região do Lago Vitó­ria e, após certos trechos encachoeirados e outros nave­gáveis, desemboca no Mar Mediterrâneo, formando um dos deltas mais conhecidos do mundo.

A importância econômica do Rio Nilo é muito gran­de, destacando-se sua capacidade energética, como se comprova pela Represa de Assuan; a navegação fluvial e a irrigação de suas margens, em especial no Egito, cuja fertilidade das terras está ligada diretamente às águas desse rio. Segundo o historiador Heródoto, “O Egito é uma dádiva do Nilo”.

Destaca-se, também, o Rio Congo, denominado Zaire pelos africanos, o segundo rio do mundo em volume de água, superado apenas pelo Amazonas. O Rio Congo nasce no Lago Bangueolo, com o nome de Luapula e, após percorrer 4 600 quilômetros da África Central e ter atravessado duas vezes a Linha do Equador, desemboca no Oceano Atlântico, na divisa entre Angola e a Repúbli­ca Democrática do Congo.

O Rio Níger nasce nos limites entre Guiné e Serra Leoa, na África Ocidental, percorre parte do Planalto do Saara, descrevendo uma curva para nordeste e, depois, para sudeste. Após percorrer uma extensão de 4 200 quilômetros, desemboca no Oceano Atlântico, em terras da Nigéria, através de um delta peninsular que é uma região petrolífera.

O Rio Zambeze é o mais importante entre os que de­sembocam no Oceano Índico. Sua extensão é de 2 600 quilômetros, destacando-se as cachoeiras de Vitória, as quais se situam em terras do Zimbábue e representam uma grande atração turística. Outros rios de destaque no continente africano são Senegal (noroeste), Orange (sudoeste), Limpopo (sudes­te) e Chari (bacia interior).

O maior lago africano é o Lago Vitória – terceiro do mundo em extensão -, que banha as terras de Uganda, Quênia e Tanzânia. Destacam-se, ainda, os lagos Tanganica, Niassa, Rodolfo, Alberto e Eduardo, de origem tectônica. Como exemplo de lago interior, em bacia endorréica (fecha­da), tem-se o Chade, nos limites entre Nigéria, Níger e Re­pública do Chade. Esse lago tem como principal afluente o Rio Chari, vindo da África Central em direção ao Saara.

Vegetação

A floresta equatorial é encontrada nas regiões do Congo e da África Central. As savanas, com arbustos de médio porte e que têm como árvore símbolo o baobá, são características das regiões tropicais. Nas regiões intermediárias, entre as savanas e os desertos, aparecem as estepes, de vegetação rala e her­bácea. Nas regiões desérticas, aparecem apenas xerófitas e cactáceas. A vegetação mediterrânea apresenta-se em forma de arbustos, carvalhos e espécies residuais deno­minadas maquis e garrigue.

Aspectos humanos

Aproximadamente 910 milhões de habitantes vivem no continente africano, distribuídos de maneira totalmente irregular. Existem regiões de grande concentração humana, até mesmo com mais de cem habi­tantes por quilometro quadrado, ao passo que em outras, essa média é inferior a dois habitantes por quilometro quadrado.

As maiores concentrações populacionais ocorrem no Vale do Rio Nilo, no nordeste; na Costa da Guiné, na parte ocidental; no Planalto Lacustre do Maciço da África Oriental, no leste; e em alguns trechos próximos às grandes cidades da África Meridional. As regiões de menor concentração humana coincidem com áreas desérticas do Saara e do Kalahari, com alguns trechos florestais da África Equatorial e, ainda, com algumas faixas semiáridas da Etiópia, Somália, Quênia e Tanzânia. Os países mais populosos da África são a Nigéria, com 132 milhões de habitantes, e o Egito, com 74 milhões de habitantes.

A África apresenta a maior taxa média de crescimento de­mográfico de todo o mundo: 2,1%. Mais da metade da população africana, aproximadamente 60%, é constituída por povos da raça negra, que pertencem a quatro grupos principais: sudaneses, na África Central e Ocidental; bantos, na África Central, Meridional e Oriental; pigmeus, nas regiões florestais; hotentotes (ou bosquímanos), no Kalahari.

Na África Setentrional e parte da África Oriental e Meridional, encontram-se os povos de raça branca: camitas (berberes, tuaregues, feias, núbios, abissínios) e semitas (árabes e judeus), além de espanhóis e portugueses. Vivem também na África povos asiáticos: indianos, chineses e malaios, especialmente na África Oriental e Meridional.

As línguas mais faladas são as camito-semíticas, europeias (inglês, francês, italiano, português e espanhol), africanas (sudanês, banto e bosquímano) e ainda milhares de dialetos nativos. As religiões dominantes são o islamismo e o cristianismo. Entre as populações nativas predomina o fetichismo. A religião islâmica é a que mais cresce na África e, também, no resto do mundo. O fundamentalismo islâmico tem gerado muitos conflitos, com grande número de atentados e mortes, especialmente na Argélia e no Egito.