As pirâmides etárias


É chamada de pirâmide etária ou populacional certo gráfico formado por barras, usado para demonstrar a desigualdade quantitativa da condição de gênero de uma destinada população feminina e masculina correspondentes com suas devidas faixas etárias. Ou seja, o gráfico com a forma de pirâmide estuda várias alterações de um grupo populacional baseado no sexo e na idade.

O arranjo da pirâmide etária pode ser separado em três etapas: na base fica a população jovem, na faixa entre zero e 19 anos; no meio a população adulta, com 19 a 59 anos e, por fim, na extremidade localiza-se a população idosa, superior a 60 anos. A contagem concedida às idades pode mudar conforme o responsável da pesquisa ou o propósito deste.

pirâmides etárias

Nesse modelo de gráfico, o conjunto da base, aquele que começa a pirâmide, habitualmente aparece em um número superior ao do conjunto seguinte, e por sua vez este, demonstra-se maior que o conjunto da extremidade, construindo a representação de uma pirâmide, sendo essa a origem do seu nome.

A pirâmide origina um código de barras onde o apoio vertical mostra a grandeza de idades, e no apoio horizontal à população feminina de um lado e a masculina de outro, simbolizada por barras, conforme o número inteiro ou percentual cobiçado.

É de fundamental importância a analise da estrutura etária, uma vez que essa indica a disposição do modelo de crescimento que explora certa população em certo período. Para o gerenciamento público, por exemplo, a construção da pirâmide etária auxilia a dirigir os bens disponíveis: se a pirâmide indicar crescimento no número de jovens, as aplicações terão maior efeito caso essas sejam encaminhadas a tal conjunto. Por outro lado, se a pirâmide mostrar um envelhecimento da população, com certeza a essência dos investimentos serão bem diferentes da circunstância anterior.

Além de serem usadas para monitoramento da estrutura de idade e sexo, as pirâmides etárias como um complemento para as pesquisas da qualidade de vida, uma vez que é possível observar estimativa do tempo de vida, o índice de mortalidade e a simetria, ou não, da população com o passar do tempo. Quando mais alta for à pirâmide, maior será a perspectiva de vida e, assim sendo, melhor as situações de vida da população. É provável identificar que quanto mais desenvolvido socialmente e economicamente for o país, mas a pirâmide possuirá um formato retangular.

Em uma guerra, por exemplo, há alterações consideráveis em uma pirâmide etária: uma diminuição no número de adultos e jovens do sexo masculino é o mais frequente deles. Geralmente, depois de um transtorno como esse, é visível uma compensação populacional incentivada pelo governo, conhecida como baby boom.

Tipos de pirâmides

Há dois tipos de pirâmides etárias: jovem e envelhecida.

- Pirâmide jovem: apresenta uma base larga, consequência de uma alta natalidade e uma extremidade estreita resultado de uma grande mortalidade e uma expectativa média de vida diminuída. Esse modelo de pirâmide demonstra uma população extremamente jovem, característica de nações pouco desenvolvidas.

- Pirâmide envelhecida: apresenta base uma pouco mais estreita do que o tipo dos adultos, e retrata uma queda da natalidade e um crescimento da expectativa média de vida. É típica de nações desenvolvidas.

Dentro dessas duas modalidades mais comuns, existem ainda mais duas condições intermediárias:

- Pirâmide adulta: nessa pirâmide, a base permanece larga, mas há um crescimento das classes idoso e adulto. O nível de natalidade é decrescente e a expectativa de vida possui uma propensão de aumento.

- Pirâmide rejuvenescida: revela um restabelecimento do conjunto dos jovens, resultado do crescimento da fecundidade.

Pirâmide etária brasileira

Acompanhando o que acontece com os países desenvolvidos e países emergentes como a Rússia, o México e a África do Sul, a base da pirâmide etária brasileira vem decaindo, a medida que a extremidade vem alargando, mostrando a diminuição do nível de natalidade e o crescimento da qualidade e da perspectiva de vida da sociedade brasileira.

Ainda em 1980, o Brasil era classificado como um país jovem, isto é, o número equivalente á indivíduos com faixa de idade menor era consideravelmente maior. Contudo, nos dias atuais, observa-se uma sequência de amadurecimento da população do país e, em consequência, um crescimento dos habitantes mais velhos. Anteriormente, indivíduos que tinham mais de 80 anos eram algo muito raro, já nos dias de hoje vem sendo cada vez mais comum.

Por que os brasileiros estão envelhecendo?

No decorrer do século XX o Brasil parou de ser rural e começou a ser majoritariamente urbano, possuindo recentemente cerca de 85% da população habitando cidades com aproximadamente 20 mil habitantes, de acordo com dados do Censo Demográfico de 2010.

Ultimamente, o país vem marcando altos sinais de crescimento econômico comparado com as outras economias do mundo, demonstrando uma ampliação do PIB e um decorrente aumento das aplicações em educação e saúde, mesmo que esse gastos ainda sejam poucos comparado com os princípios internacionais.

Todas essas razões colaboram para o aumento da perspectiva de vida da população brasileira. Os índices de natalidades pendem a diminuir em razão da ampliação do projeto familiar e da introdução da mulher do mercado de trabalho, no meio de outros motivos.