Atmosfera e sua Dinâmica, Clima e Tempo: Causas e Consequências


A atmosfera, camada gasosa que envolve a Terra, é composta de vários gases que formam uma mistura trans­parente, incolor e inodora. Os gases mais pesados con­centram-se nas camadas inferiores da atmosfera e os mais leves, nas camadas superiores. Além dos gases, há vapor de água, partículas sólidas, microrganismos, etc.

A composição da atmosfera varia com a altitude. Até a altura de 25 km, a composição aproximada é:
•         nitrogénio (N2) – 78%;
•         oxigénio (O2)-21%;
•         outros gases (argônio, carbono, neônio, hélio, hi­drogénio, ozônio, etc.) – 1%.

Atmosfera e sua Dinâmica

Camadas   da   atmosfera Troposfera

A aurora polar consiste em manchas e colunas luminosas que mudam rapidamente de cor, apresentando diversas tonalidades.

Exosfera: Situada acima da ionosfera, é extremamente rarefeita, constituída por 50% de hidrogénio e 50% de hélio. É nes­sa camada que orbita o telescópio Hubble. As camadas da atmosfera são separadas por três ní­veis: tropopausa, estratopausa e mesopausa. É a camada em contato com a superfície terrestre. Apresenta espessura de 10 a 17 km e nela ocorrem os fenômenos meteorológicos e a vida animal e vegetal. Cer­ca de 80% dos gases que compõem a atmosfera estão presentes na troposfera.

Estratosfera

Estende-se a partir da troposfera, com espessura de aproximadamente 50 km, em que se localiza a faixa de ozô­nio, que filtra a maior parte dos raios ultravioletas emiti­dos pelo Sol. Estudos científicos, feitos pela Nasa e por outros ins­titutos, constataram um adelgaçamento ou rarefação da camada de ozônio, notadamente sobre a Antártida, cha­mado de buraco na camada de ozônio, cujo principal res­ponsável é o cloro presente nas substâncias denomina­das clorofluorcarbonos (CFC). Como efeitos deletérios à saúde destacam-se a maior incidência de catarata, quei­maduras, câncer de pele, etc. Nos vegetais, ocorre a re­dução da fotossíntese e do crescimento das plantas. A comunidade internacional vem tomando uma série de medidas para evitar a liberação desses gases tóxicos.

Mesosfeia

Vai da estratosfera até mais ou menos 80 km de altitu­de. Nessa camada, são verificadas as menores temperatu­ras da atmosfera terrestre.

Ionosfera

Camada que vai de 80 a 400 km de altitude, cons­tituída por moléculas de gás carregadas eletricamente ou ionizadas, que reproduzem as ondas de rádio. Na ionosfera, formam-se as auroras polares.

Funções   da   atmosfera

As funções da atmosfera são proteção, conservação da temperatura e filtragem.
•         Proteção – ao se chocarem com a atmosfera, a maioria dos fragmentos de rocha (meteoros) de­ sintegra-se.
•         Conservação da temperatura – vários gases da atmosfera têm a capacidade de reter calor, evitan­do amplitudes térmicas muito acentuadas (efeito estufa).
•         Filtragem — é a atmosfera que filtra a ação dos raios solares nocivos à vida (ultravioleta).

Tempo e clima

Tempo é a designação que se dá às condições at­mosféricas de um lugar em um dado momento. Clima é o conjunto das condições atmosféricas ou dos fenômenos meteorológicos, estabelecido pelas médias dos últimos trinta anos, recebe o nome de clima. Tempo é o momento. Clima é a integração das condições do tempo para um determinado período e é estabelecido pela dinâ­mica dos fenômenos meteorológicos. Para entender ade­quadamente o clima, é preciso compreender como esses fenômenos atuam.

Temperatura

A temperatura é determinada pela quantidade de ca­lor existente no ar, vinda da radiação solar. Da radiação solar emitida em direção à Terra, em tor­no de 30% são refletidos novamente para o espaço, pela dissipação da energia. Aproximadamente 16% são absor­vidos pelo ar atmosférico, 3% pelas nuvens e 51% pela crosta terrestre. Os fatores principais que explicam a variação da tem­peratura são: latitude, altitude, repartição das águas e das terras, vegetação, aglomerações urbanas, etc.

Latitude

Quanto maior a latitude, menor a temperatura. Os raios solares incidem diretamente sobre a Linha do Equador, sen­do menor a incidência em latitudes maiores. Incidência dos raios solares sobre a Terra. No Equador: incidência perpendicular (maior temperatura); nos pólos: incidência muito inclinada (menor temperatura).

Altitude

Nas regiões mais altas, o ar rarefeito absorve menor quantidade de calor.

Vegetação

A vegetação é um agente termostático. À noite, funciona como uma estufa. Embora o grande regu­lador da temperatura seja a água oceânica, a Floresta Amazônica é conhecida como “termômetro do mundo”, em função de sua grande influência na temperatura.

Aglomerações urbanas

Concreto, calçamento, asfalto, absorvem calor do Sol que as áreas cobertas pela vegetação. Tudo isso aliado à liberação de gás carbônico, fruto da queima de combustíveis fósseis, transformam as grandes cidades em verdadeiras ilhas de calor, nas quais a temperatura é superior à da área rural circunvizinha.

Efeito Estufa

Alguns gases da atmosfera têm a capacidade de apri­sionar o calor próximo à superfície terrestre. Essa capaci­dade é denominada efeito estufa. O gás carbônico, o dióxido de carbono e o metano são os principais gases-estufa. As atividades industriais, principalmente nos países desenvolvidos, têm aumentado significativamente a con­centração desses gases.

O efeito estufa está acarretando um aumento da tem­peratura atmosférica, que poderá trazer consequências desastrosas, como o aumento do nível dos oceanos, cau­sado pelo derretimento do gelo dos polos e das monta­nhas, com grandes inundações; alterações nos diversos tipos de habitat natural com perdas na diversidade bio­lógica; alterações no ciclo das chuvas; entre outras.

Inversão térmica

Inversão térmica é o fenômeno que ocorre quando o ar próximo à superfície é mais frio do que aquele que está acima dele. Fenômeno comum em São Paulo e em outras grandes cidades. O ar mais frio da superfície im­pede o movimento ascendente do ar atmosférico, retendo os poluentes e causando problemas de saúde às popula­ções.

El Nino e La Nina

El Nino é o nome atribuído ao aquecimento anormal das águas do Oceano Pacífico, numa enorme re­gião que vai da costa da América do Sul até quase o litoral da Austrália. A denominação se deve ao fato de o pico do fenômeno ocorrer geralmente na época do Natal. La Nina está relacionada com a diminuição da tempe­ratura do Pacífico Sul, provocando, também, alterações no tempo atmosférico.