Características e Classificação do Relevo e da Hidrografia Brasileira


Classificação do Relevo e da Hidrografia Brasileira

A estrutura geológica da Terra abrange, inclusive, o relevo e as bacias hidrográficas brasileiras. Diante disso, o geógrafo Jurandyr Rosss dividiu em 28 partes o relevo brasileiro, sendo elas planícies, planaltos ou depressões. Além disso, temos no Brasil a maior rede hidrográfica do mundo. Esta, por sua vez, está localizada nas áreas de planícies e de depressões.

Classificações do relevo brasileiro

Áreas planícies: São baixas e normalmente planas. O Brasil possui seis planícies:
Temos a Planície e Pantanal do Rio Guaporé e a do Rio Paraguai. Também há as Planícies e Tabuleiros Litorâneos, assim como a Planície do Rio Amazonas, a das Lagoas dos Patos e Mirim e a do Rio Araguaia.

Áreas de planaltos: São regiões com elevações altas ou médias. Assim, o nosso país contém onze planaltos:

Temos os Planaltos Residuais Sul-amazônicos e os Norte-amazônicos, bem como os planaltos da Amazônia Oriental e da Ocidental. Além desses, também há os Planaltos e Chapadas dos Parecis e o da Bacia do Parnaíba. Há o Planalto Sul-Rio-Grandense e o da Borborema. Assim como as Serras Residuais do Alto Paraguai, os Planaltos e Serras de Goiás-Minas e do Atlântico Leste e Sudeste.

Áreas de depressões: São regiões mais baixas, habitualmente abaixo do nível do mar ou de áreas próximas. Também são onze as depressões espalhadas pelo relevo brasileiro, sendo elas:

A Depressão do Tocantins, a do Miranda, a do Araguaia e a Cuiabana por exemplo. Também temos a Depressão Periférica Sul-Rio-Grandense e a da Borda Leste da Bacia do Paraná. Há a depressão Marginal Sul-Amazônica e Norte-amazônica. Assim também, temos a Depressão Sertaneja e a do Rio São Francisco, bem como a do Alto do Paraguai-Guaporé.

Diante dessas características, podemos classificar o relevo brasileiro de três formas:

A primeira é a questão morfoclimática, que leva em conta o clima em cada região. A segunda maneira é a morfoestrutural, que envolve as questões geológicas de cada área e o seu respectivo relevo. Por fim, temos as características morfoesculturais, que estão relacionadas com fatores externos que alteraram o relevo em nosso país.

Características da hidrografia brasileira

O Brasil possui diversos rios com grandes extensões fluviais. Diante disso, eles passam por depressões e planícies, desaguando no oceano. Uma parte também passa em planaltos, formando as cachoeiras, bem como permite a utilização na produção de energia pelas hidrelétricas.
Em muitos rios, ocorrem cheias em períodos de chuvas, assim como a maioria deles são permanentes, exceto alguns do sertão do nordeste.

Além disso, também temos o maior reservatório subterrâneo de água do planeta, o aquífero de Guarani. Ele passa em alguns estados brasileiros e países da América do Sul. Entretanto, a quantidade de lagos existentes no Brasil é reduzida, em comparação com o número de rios.

No total, são nove bacias hidrográficas em nosso país:

Temos as Bacias do Rio São Francisco, do Rio Tocantins e do Rio Uruguai. Também há as Bacias do Atlântico Sudeste, do Atlântico Norte e Nordeste e a do Rio Amazonas. Assim como há as Bacias do Rio Paraná e do Atlântico Leste.