Características Econômicas, Industriais e Políticas do Japão


Características Econômicas

Quando se fala em economia japonesa, não há quem não tenha o impulso e se curvar em reverência.

Trata-se de uma ilha no pacífico, extremo oriental da Ásia, arrasada na Segunda Guerra Mundial, vítima da tragédia da guerra atômica, suscetível a diversos desastres naturais e com um solo que não se destaca pela riqueza, seja no fornecimento de minérios, seja na fertilidade para a agricultura.

Apenas 11% do território japonês é adequado ao cultivo, em que as culturas predominantes são o chá e o arroz. O país possui algumas reservas minerais, como ouro, prata, carvão e magnésio), mas é totalmente dependente da importação de matérias primas.

Em compensação, o país está entre os maiores fornecedores do mundo de produtos de pesca, mas é a indústria japonesa que chama atenção no cenário econômico, devido à produção de bens de alto valor agregado. É referência nas áreas de robótica, energia renovável, nanotecnologia, automóveis e biotecnologia. É o terceiro maior produtor mundial de automóveis e barcos, mas é a força do setor de serviço que espanta e mostra o desenvolvimento do país.

Enquanto a indústria responde por 26% do PIB, o setor de serviços lidera com 70%, ocupando o mesmo percentual da mão de obra empregada, com taxa de desemprego inferior a 3%.

São dados que contribuem para colocar o Japão na condição de terceira maior economia do planeta, com um PIB de r,1 trilhões de dólares.

Apesar de todo esse esplendor econômico, a economia japonesa é fortemente subsidiada pelo setor governamental. Por essa razão, a dívida pública era de 223% do PIB em 2017. Para se ter uma ideia, há pânico no Brasil com a possibilidade de a vida pública chegar a 100% do PIB em 2023, de acordo com previsão do FMI.

Política

O Japão é uma monarquia parlamentarista, que tem na figura do imperador mais um símbolo do que um polo de poder. Quem toma as decisões no Japão é o parlamento. Os membros do parlamento, divididos em Câmara Alta e Câmara Baixa, são eleitos por voto popular, como fosse o senado e a câmara dos deputados no Brasil. O verdadeiro chefe de estado é o primeiro ministro, a quem cabe a tarefa de indicar os ministros de estado.

A cena política é protagonizada por cinco partidos: Liberal Democrata, Democrático do Japão, Partido da Restauração Japonesa, Novo Komeito e Partido Comunista Japonês.

Apesar da tradição monárquica, o Japão é um país de orientação democrática.