Conflitos no Oriente Médio: Curdos, Afeganistão e Guerra contra o Iraque


Conflitos no Oriente Médio

O oriente médio é uma região que atrai cada vez mais o interesse mundial, especialmente pelos conflitos que se tornaram cada vez mais numerosos na região.

Estes conflitos têm se multiplicado especialmente por questões que envolvem a economia, uma vez que a região é a maior fornecedora de petróleo mundial, e por questões religiosas, uma vez que o oriente médio é o berço das maiores religiões monoteístas de todo o mundo.

Curdos

Os curdos são uma das questões ainda sem solução do oriente médio, sendo um povo sem pátria que luta pelo seu espaço. Esta luta ganha contornos cada vez mais importantes, uma vez que os curdos vivem em uma das regiões mais ricas em petróleo no mundo, próxima das fronteiras de Turquia, Síria, Iraque e Irã.

A luta por independência e emancipação dos curdos tem gerado um grande número de mortos e refugiados nas últimas décadas. Um dos episódios mais graves aconteceu em 1991, com uma represália do Iraque aos curdos que só foi interrompida com a intervenção da ONU.

Afeganistão

Os conflitos no Afeganistão se intensificaram de forma exponencial após os atentados realizados em 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos, o que fez com que as forças armadas norte-americanas investissem contra o país, em busca especialmente dos líderes do Talibã e de grupos terroristas como a Al Qaeda.

A presença de grupos terroristas no país faz com que os conflitos permaneçam, além do medo de novos atentados pelo mundo, especialmente na Europa e Estados Unidos.

Iraque

Os conflitos no Iraque têm origem após o fim da guerra do golfo, que fez com que o país sofresse uma série de privações e embargos econômicos. Tais ações fizeram com que Saddam Hussein, ditador iraquiano, pusesse obstáculos nas ações da ONU e uma série de ameaças de ataques em massa.

O apoio de Hussein a grupos terroristas fez com que o país fosse invadido em busca de armas de destruição em massa, ampliando os conflitos internos no país, especialmente por parte de grupos terroristas. Mesmo após a morte de Saddam Hussein, os conflitos no país permanecem intensos e com um número cada vez maior de vítimas.