Conjuntura Econômica Global – China


Para falar sobre a conjuntura econômica global da China, é necessária uma abertura levando em consideração as principais características dessa potência mundial. Vamos lá:

• O nome oficial do país é República Popular da China, criada com base no governo comunista do país.

• A capital, Pequim, ainda sai perdendo em população para Xangai, a mais famosa por suas fábricas e indústrias.

• A moeda da China é a Yuan e seu sistema governamental é unipartidário em cada estado.

• Muitos dialetos são falados, mas o mandarim ainda é o único idioma oficial da população predominantemente budista e taoista.

Conjuntura Econômica - China

A conjuntura econômica global da China

Avaliando em um contexto geral, podemos dizer que falar economicamente sobre a nação pode ser um verdadeiro desafio. A China é o quarto país mundial no que diz respeito à sua extensão, ficando atrás apenas do Canadá, Estados Unidos e Rússia. Em seguida no ranking vem o Brasil.

Porém, ele não perde em habitantes, sendo o país mais populoso de todo o mundo, com 1,32 bilhão de indivíduos em suas terras. Por mais que a sua economia seja dinâmica e considerada como uma das melhores de todo o mundo, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país chega a apenas 0,67, o que implica em condições precárias de educação, saúde e outros aspectos básicos de melhoria de vida.

O processo de reformulação da economia da China deu-se início no final dos anos 70. O sistema econômico do país, que antes era centralizado e fechado às próprias demandas exclusivas da nação chinesa, agora passaria a ser aberto e voltado exatamente para as principais necessidades do consumo de todo o mundo.

Um dos grandes resultados dessa transformação é a própria exportação, já que o país segue como o maior exportador não só da Ásia, como em todo o mundo desde o ano de 2010.

Além disso, o crescimento econômico no país é de cerca de 9% a cada ano, sendo uma incrível média, superior a muitas nações bem desenvolvidas. O Produto Interno Bruto (PIB) da China chegou em 2014 a mais de 10 trilhões de dólares americanos, fazendo com que o país fique apenas atrás dos Estados Unidos, se tornando a segunda melhor economia de todo o mundo.

Entre os principais fatores que levaram a esse leque de mudanças e modernizações na China podemos destacar:

• O aumento gradativo da autonomia por parte das empresas do estado;

• A descentralização das fiscalizações, que se tornaram extremamente baixas nos últimos anos;

• O desenvolvimento de um sistema de bancos único e diversificado, ou seja, diferente de todos os outros da Ásia e do mundo;

• Ações que facilitam os investimentos internacionais na nação e a abertura cada vez mais significativa do comércio exterior.

Por mais que por um lado essa reestruturação econômica pela qual a China ainda passa apresente grandes melhorias para o PIB do país, que aumentou em mais de 10 vezes desde essa remodelagem, outras estatísticas como o IDH e a renda per capta continuam baixas.

Nos dias de hoje, as iniciativas políticas da China são voltadas para lidar com as questões negativas que surgem a partir desse modelo de administração econômica.

É necessário acabar com os crimes como a mitigação aos próprios danos ambientais causados por grandes fábricas e indústrias, além de lutas contra a corrupção, oferta de emprego em níveis realmente adequados e assim por diante.

Outro fator que define a economia da China é o fato de que o governo comunista garante o desenvolvimento das empresas capitalistas, por mais que isso vá contra um dos principais conceitos do regime comunista, que no caso, diz que representa os operários, mas não assegura nem mesmo os seus direitos básicos.

Para atrair cada vez mais os investimentos de empresas estrangeiras, a China oferece para as empresas imigrantes pacotes no mínimo interessantes: incentivos fiscais reduzidos e em alguns casos totalmente isenta, lado a lado com a regulação baixíssima de direitos laborais e de proteção do meio ambiente.

Os principais problemas causados pela economia chinesa

Por mais que a conjuntura econômica global da China esteja estável e seja atraente, principalmente pelo fato de que o país é um grande aliado comercial das principais marcas que conhecemos em âmbito global, muitos são os problemas gerados por conta desse modelo adotado pela economia.

O primeiro problema é a pobreza da população, que chega a um nível extremo. Além disso, os operários e demais funcionários chineses recebem as mais baixas remunerações de todo o mundo.

A censura aos veículos de comunicação também ocorre e é causada principalmente por conta do governo comunista, que não deixa transparecer os problemas reais da população. Além disso, há grande poluição dos rios e do ar, principalmente nas proximidades de indústrias e fábricas.

Mesmo com tudo isso em mente, a China pode se tornar a maior economia do mundo dentro das próximas décadas.