Divisão Internacional do Trabalho, Migrações Internacionais e Evolução da População


Divisão Internacional do Trabalho

Divisão Internacional do Trabalho
É chamado de Divisão Internacional do Trabalho (DIT) um processo de repartição das atividades comerciais entre diversos países do mundo. Ou seja, o processo faz com que a função produtiva não fique restrita a um local somente.

A DIT depende, por exemplo, do fornecimento de matéria prima de um país e de mão de obra de outro. O processo acontece porque a produção em larga escala sempre vai para lugares com condições melhores, como impostos mais baixos e mão de obra mais barata.

O processo teve início ainda no século XV. À época, a relação entre metrópoles e colônias estava mudando. As colônias estavam se especializando na produção de matérias-primas. Esse conhecimento fazia com os países fossem utilizados pelas metrópoles para trabalhar em cima da matéria-prima, já que havia um know-how.

. Com a consolidação do capitalismo, no século XVIII, a relação mudou. Os países desenvolvidos, antes exploradores, já haviam à sua disposição um forte maquinário e tecnologia, graças a Revolução Industrial.

Migrações Internacionais
Tão natural quanto a circulação de serviços e produtos é a migração internacional humana. Ela corresponde a pessoas que saem do seu país de origem para buscar uma vida melhor em outra nação.

E estão entre os principais motivos para a migração:

– Desastres ambientais (Haitianos no Brasil);

– Guerras (Sírios na Europa);

– Fome (Africanos na Europa);

– Perseguições Políticas, étnicas, culturais ou religiosas (Muçulmanos curdos para a Turquia);

– Falta de trabalho (Latinos nos Estados Unidos);

– Crises políticas e sociais (Venezuelanos na Colômbia).

Evolução da População
O crescimento populacional sofreu o chamado “boom” depois dos anos 1800. As melhores condições de vida, acesso melhor à saúde fizeram a expectativa de vida crescer e, consequentemente, aumentar o número de pessoas vivendo no planeta.

Atualmente o mundo tem pouco mais de 7 bilhões de pessoas, que estão distribuídas na maior parte em países subdesenvolvidos (75%). Os países de alta qualidade de vida abrigam somente 25% dos seres humanos.