Extrativismo, Industrialização e Comércio na Europa


Extrativismo, Industrialização

Extrativismo, indústria e comércio são atividades econômicas intimamente ligadas. Grande parte da matéria-prima e dos combustíveis utilizados na indústria vem de fonte extrativista, que inclui madeira, algodão, minérios e outros recursos naturais.

O comércio é uma atividade fortemente relacionada à indústria, na medida em que é por meio desse mecanismo que os bens produzidos são trocados com outros mercados. Para que o comércio possa atender às necessidades da indústria, é necessário que haja infraestrutura entre aeroportos, portos, ferrovias e rodovias.

A Europa, além de exportadora de produtos industrializados, traço típico de regiões desenvolvidas, possui uma estrutura de transportes dentro de seu território bastante eficiente, tendo as ferrovias como uma das principais. Além disso, o continente é dotado de rios importantes e uma geografia plana, favorável ao transporte fluvial. Entre os principais rios europeus estão o Reno, o Volga e o Danúbio.

Além disso, o continente possui importantes portos, com destaque para Londres, Marselha, Roterdã, Antuérpia e Havre. Além das rotas de navegação interna, o continente possui facilidade de escoamento devido a saídas para o mar Mediterrâneo, o Oceano Atlântico e outras rotas marítimas.

Indústria europeia e extrativismo

A Alemanha é o terceiro país mais industrializado do mundo, com destaque para a siderurgia, concentrada no Vale do Ruhr. A concentração da atividade industrial naquela região é explicada pela rota fluvial proporcionada pelo Reno, e abundância das jazidas de carvão, minério importante para alimentar as indústrias.

Apesar da abundância desse mineral, a atividade extrativista não é um dos setores mais pródigos do continente, que não é rico em minerais. O carvão, além do Vale do Ruhr, é encontrado em abundância na França, Inglaterra e Ucrânia. Já o ferro, é encontrado na França, Suécia, Rússia e Ucrânia.

Na atividade industrial, destaque, na Inglaterra, para a siderurgia, a construção naval e a indústria automobilística. A França, além desses setores, tem forte presença no setor aeronáutico, com destaque para a construção de aeronaves militares. A Noruega é referência na indústria da pesca, enquanto a Rússia tem peso na indústria química e na mecânica pesada.

O continente é importador de matéria-prima para uma diversificada indústria, que inclui os setores têxtil, alimentício e de alta tecnologia.