Extrativismo no Brasil: Regiões Exploradas, Minério de Ferro, Bauxita, Manganês, Sal e Ouro


Embora o Brasil esteja entre os países mais ricos do mundo em recursos naturais, a maior parte da população brasileira não se beneficia com essa riqueza, pois histo­ricamente foi, e continua sendo, explorada pelos gran­des grupos de capital nacional ou estrangeiro. Uma das preocupações fundamentais na exploração do extrativismo deve ser a adoção de práticas conservacionistas. Conservar um produto significa utilizá-lo de forma adequada, procurando extrair dele o máximo de benefício para o maior número de pessoas e pelo maior período de tempo possível.

Extrativismo no Brasil

Recursos minerais

Os terrenos ricos em recursos minerais, como os cristalinos de origem proterozóica, afloram em cerca de 4% do território brasileiro, embora pesquisas recentes admitam a existência de importantes jazidas ferríferas e de manganês em terrenos arqueozóicos.

Minério de ferro

O Brasil ocupa uma posição de destaque em reservas mundiais de ferro, sendo um grande produtor desse minério. As três principais áreas ferríferas do país são: Quadrilátero Ferrífero, Serra dos Carajás, Maciço do Urucum.

Quadrilátero  Ferrífero

Situado em Minas Gerais, entre os municí­pios de Belo Horizonte, Santa Bárbara, Mariana e Congonhas, é uma tradicional área produtora do país, destacando-se a produção do minério de ferro denominado de hematita. O principal cor­redor de exportação da região é o Vale do Rio Doce, pela Estrada de Ferro Vitória-Minas, que conduz o minério ao porto de Tubarão, no Espí­rito Santo. O outro corredor é a Estrada de Ferro Central do Brasil, até os Portos de Sepetiba, no Rio de Janeiro, e de Santos, onde está o terminal de embarque da Cosipa.

Serra dos Carajás

Localizada no sudeste do Pará, entre os rios Tocantins e Xingu, a Serra dos Carajás é a maior reserva de ferro do Brasil e uma das maiores do mundo. Para o desenvolvimento da região, o governo federal construiu a usina hidrelétrica de Tucuruí, no Rio Tocantins, e a ferrovia Carajás-São Luís, e aparelhou o termi­nal exportador de Itaqui, em São Luís, no Maranhão.

Maciço do Urucum

Nas proximidades de Corumbá, Mato Grosso do Sul, localizam-se importantes reservas de minério de ferro. Jsío entanto, em função do pequeno consumo local e por estar distante dos maiores centros consumidores, essas reservas mantêm suas atividades extrativas em níveis bastante modestos.

Manganês

Com o ferro, o manganês é utilizado na siderurgia. A principal área produtora de manganês do Brasil é a Serra dos Carajás, no Pará. Destaca-se também a Serra do Navio, no Amapá, cujas reservas estão prati­camente esgotadas, mas que foi uma tradicional área de exploração. O Maciço do Urucum guarda um dos maiores depósitos de manganês do mundo.

Bauxita

O Brasil detém a terceira maior re­serva mundial de bauxita, matéria-prima do alumínio, substância de grande aplicação na indústria elétrica, aeronáu­tica, de material de transportes e de construção civil. As principais áreas produtoras são o Vale do Rio Trombetas, no estado do Pará, e as cidades de Poços de Caldas, Ouro Preto e Mariana, em Minas Ge­rais.

Sal marinho

O Brasil apresenta boas condições naturais para a produção de sal, produto que, além de ser utilizado na indústria química, é de vital importância para a alimentação humana e para a pecuária. O maior produtor nacional de sal é o estado do Rio Grande do Norte, com mais de 70% da produção, nas áreas de Mossoró e Areia Branca, destacando-se o porto de Macau como principal terminal exportador. Em segundo lugar, destaca-se o estado do Rio de Janeiro, na região de Cabo Frio e, em seguida, bem menos importantes, figuram as produções do Ceará, do Piauí, da Bahia e do Maranhão.

Ouro

O Brasil é um grande produtor mundial de ouro, porém a produção é extremamente variável e muito mal controlada. Os estados do Pará, de Minas Gerais e do Mato Grosso são os maiores produtores, com destaque para Serra de Leste e Serra Pelada, próximas à Serra dos Carajás.

A indústria extrativa mineral gera menos de 5% do PIB brasileiro. A importância do setor encontra-se na dinamiza­ção de um conjunto amplo de indústrias de transformação, como as siderúrgicas, as metalúrgicas, as de cimento, as de fertilizantes, as químicas e muitas outras. O Brasil é auto-suficiente em relação à maioria dos insumos necessários a essas indústrias, mas depende de importações de petróleo e carvão, além de cobre, potássio e enxofre.