Formação da Terra e Divisões dos Continentes para a Geografia


Uma das coisas mais interessantes de serem estudadas é a formação da Terra. Afinal, como algo tão imenso quanto um planeta poderia ter se formado “do nada”? Além disso, quando estudamos História Antiga ou até o aparecimento dos primeiros seres vivos, a Terra já estava lá, firme e forte, dando suporte para que esses outros eventos pudessem acontecer.

Portanto, agora você está convidado para saber mais sobre a formação da Terra e se surpreender com as descobertas!

Como aconteceu a formação da Terra?

De acordo com os resultados das pesquisas de estudiosos, o planeta Terra tem nesse momento entre 4,5 e 5 bilhões de anos! Durante todo esse tempo, sobretudo nos primeiros milhões de anos de idade, a Terra foi se desenvolvendo e passando por transformações necessárias para que pudesse oferecer as condições de vida que conhecemos hoje.

Formação da Terra

Com a tecnologia e os conhecimentos que temos atualmente, acredita-se que a formação da Terra tenha acontecido a partir de uma imensa massa pastosa com uma temperatura extremamente alta. Era como se a Terra fosse literalmente uma bola de fogo no universo, por consequência, não possuía nenhum tipo de vida, pois não há um ser que fosse capaz de sobreviver àquelas condições.

Depois de ser essa bola de fogo, nosso planeta entrou em um processo de resfriamento que levou milhões de anos. Enquanto a temperatura ia diminuindo gradativamente, gases e vapores (principalmente vapor d’água) iam sendo liberados.

Esse vapor se condensava e depois caía em forma de chuva, dando origem há grandes quantidades de água acumulada. Mas os chamados oceanos primitivos não eram tão parecidos como os de hoje, uma vez que tinham cerca de 20 centímetros de profundidade, apenas isso! Ao mesmo tempo em que a água ia se formando, também começa a se construir naturalmente uma estrutura rochosa, graças ao resfriamento.

Ainda que esses primeiros oceanos pareçam muito rasos para nós hoje, eles foram uma parte imprescindível da formação da Terra, pois possibilitaram o surgimento das primeiras formas de vida em nosso planeta. Sim, a vida realmente surgiu na água e veio para a terra firme muito tempo depois, após um longo processo de evolução.

Os primeiros seres vivos que surgiram eram, obviamente, muito primitivos: micro-organismos, bactérias e algas. Estima-se que essas primeiras formas de vida tenham começado a existir há cerca de 3 bilhões e 500 milhões de anos!

Pois bem, esses micro-organismos conseguiram evoluir, se desenvolver e dar origem aos primeiros seres invertebrados que, inclusive, existem até hoje, como as estrelas-do-mar, caracóis, medusas e trilobitas. As algas verdes também começaram a aparecer aproximadamente nesse mesmo estágio de formação da Terra e iam dominando o fundo do oceano. Até então, simplesmente não havia nenhuma forma de vida em terra firme.

Não se sabe especificamente quando, mas aquelas plantas marinhas, as algas verdes, ganharam a habilidade de se adaptar também fora da água e, assim, surgiram as primeiras plantas da terra. Ou seja: os vegetais foram os primeiros seres vivos que conseguiram efetivamente se desenvolver e sobreviver fora da água.

Em seguida, os animais aquáticos também começaram a se adaptar para a sobrevivência fora da água, originando os anfíbios e, posteriormente, os répteis. Tanto é que houve um momento em que a Terra foi povoada por répteis enormes, os dinossauros, extintos há, aproximadamente, 70 milhões de anos.

Há cerca de 60 ou 65 milhões de anos, os mamíferos e os répteis começaram a ocupar toda a extensão da Terra, dividindo o espaço com as primeiras cadeias montanhosas que surgiram, como a Cordilheira do Himalaia, por exemplo.

Mas isso só aconteceu porque a atmosfera já era muito semelhante à que conhecemos hoje.
Os seres vivos que dariam origem a nós, seres humanos, surgiram há apenas 4 milhões de anos. Sim, “apenas“ é a palavra certa se considerarmos que a Terra tem uma história de cerca de 5 bilhões de anos!

A divisão dos continentes

Quando a formação da Terra estava concluída, ela ainda não tinha a aparência que conhecemos hoje por meio dos mapas e globos. No início, todos os continentes eram unidos em apenas um, que levava o nome de Pangeia, isso há cerca de 200 milhões de anos. Também não havia a divisão de oceanos, era somente um, chamado de Pantalassa.

A Pangeia tinha duas regiões: Laurásia e Gondwana. Elas começaram a se separar há 65 milhões de anos, graças aos movimentos das placas tectônicas combinados com outros fatores.

A consequência dessa separação foi a existência atual de cinco continentes bem separados: América, África, Ásia, Europa e Oceania. Além de cinco oceanos distintos também: Atlântico, Pacífico, Índico, Ártico e Antártico.

E foi todo esse processo, que se desenvolveu ao longo de milhões de anos, que permitiu o nascimento dos primeiros povos, das civilizações mais primitivas, dos costumes, que culminaram nas sociedades das quais fazemos parte nos dias de hoje. Processo longo e complexo!