G20 (Grupo dos 20)


O grupo dos 20, mais conhecido como G20, é uma conferência que integra 19 países mais a União Europeia, que oferece uma discussão entre os países desenvolvidos e os em desenvolvimento sobre questões associadas ao equilíbrio econômico mundial, além de aberturas para conversas sobre a política nacional e a solidariedade internacional com as organizações econômico-financeiras internacionais.

O G20 é uma via de apoio da estrutura financeira internacional e, devido a isso, possui diplomatas do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional. Ao mesmo instante, ele foi projetado como um meio deliberativo, que procura estimular a criação de acordo sobre as questões internacionais, tanto na política como na economia mundial.

G20

A criação do grupo volta a um encontro sucedido na França, em 1975, com a participação das seis grandes economias mundiais do período. O propósito do encontro era estipular a colaboração entre os seus membros. O então grupo recebeu o nome G6, e após um ano com a entrada do Canadá, foi renomeado para G7.

Os episódios que ocorreram no fim do século XX ofereceram muitas mudanças ao cenário mundial, e o então G7 tornou-se uma ordem elitista e antiga. A União Soviética se desfez e a Alemanha conseguiu sua unificação. A Rússia por sua vez introduziu-se na economia de mercado e o seu valor foi reconhecido pelo grupo dos sete, que recebeu o país no final dos anos 90. O G7 então passa a ser reconhecido como G8 e conta com a exibição da União Europeia.

Porém, os novos períodos requeriam a instauração de uma maior contribuição para as economias em desenvolvimento. Em novembro de 2008, George W. Bush, presidente dos Estados Unidos, convocou os representantes das vinte maiores e mais importantes economias para uma reunião que aconteceu em Washington, capital do país. Esse encontro desejava ter uma resposta para a crise financeira que começou nos Estados Unidos. A partir disso, o G8 sofre uma mudança e passa a ser conhecido como G20.

Com a aparição do G20, os membros do fórum começaram a se encontrar duas vezes no ano, sendo que um desses encontros tinha a participação dos ministros e presidentes do Banco Central, e o outro era direcionado aos chefes de estado.

O G20 não tem membros fixos, como o que acontece com as organizações internacionais como o Banco Mundial e o FMI. Sua liderança é rotativa e anual entre seus integrantes, sendo que o país chefe deve organizar um secretariado temporário durante o seu mandato.

Em 2008 o Brasil foi o presidente do G20. A Rússia assumiu a presidência em 2013, e passou o seu posto para a Austrália no ano seguinte. Em 2015, a Turquia que assumiu o poder do G20.

Objetivos

O principal objetivo do G20 é unir frequentemente as maiores econômicas desenvolvidas e em desenvolvimento para debater sobre questões da economia mundial e realizar políticas adaptadas ao comunicado determinado pelo G20, no encontro de Berlim, em 2004. Esse comunicado destaca várias políticas neoliberais, entre elas:

– Cortar limitações no funcionamento de capital internacional;

– Desregulação;

– Oportunidades flexíveis de mercado de trabalho;

– Privatização;

– Segurança de direitos de propriedade intelectual e dos demais direitos de propriedade privados;

– Formação de um ambiente de negócios que beneficie a pratica de investimentos estrangeiros;

– Liberação do comércio global pela OMC e por acordos de comércio.

O tema da reunião do G20 que aconteceu em 2006 foi “Construindo a Sustentando a Prosperidade”. Entre as questões colocadas em pauta, estavam as reformas domésticas para suceder o crescimento sustentado; os mercados mundiais de commodities; a transformação do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional; e o choque de mudanças demográficas derivada do envelhecimento da população.

Em 2007, na reunião que aconteceu na África do Sul, as questões colocadas foram:

– Crescimento da economia mundial e doméstica;

– Modificação das Instituições de Bretton Woods;

– Itens fiscais de desenvolvimento e crescimento;

– Estabilidade financeira e commodities.

Países membros

– África do Sul

– Alemanha

– Arábia Saudita

– Argentina

– Austrália

– Brasil

– Canadá

China

– Coreia do Sul

– Estados Unidos

– França

– Índia

– Indonésia

Itália

– Japão

México

– Reino Unido

– Rússia

– Turquia

– Países membros da União Europeia

Reuniões

– Reuniões de Cúpula

O G20 foi formado em resposta a crise financeira de 2007, que teve início nos Estados Unidos, e para a verificação que os países em desenvolvimento não foram corretamente colocados no centro da questão econômica mundial e governança. A Cúpula de Chefes de Estado/Governo e as reuniões do G20 dos Ministros das Finanças e Governadores dos Bancos Centrais se uniram para organizar a cúpula dos líderes e executar suas decisões.

Após o lançamento da cúpula em 2008 na cidade de Washington, os representantes do G20 se reuniram duas vezes ao ano em Pittsburgh e Londres, em 2009, Seul e Toronto, em 2010.

Quando a França assumiu a presidência em 2011 e estruturou o G20, as cúpulas começaram a ser feitas uma vez por ano.