Marrocos: Religião


A religião oficial do Marrocos é o islamismo. A maioria dos marroquinos são muçulmanos e seguem os princípios religiosos do Islã. Apesar do país não proibir a prática de outras religiões, cerca de 98,7% da população de Marrocos é adepta ao Islamismo.

Marrocos: Religião

Assim como nas outras religiões há um representante religioso (padre, pastor, etc), no Islã a figura deste representante é um Rei. Em Marrocos, o Rei é o Comandante dos Fiéis, que é a tradução do nome Amir al Mouminine. O Rei é o responsável por manter o povo firme nos ensinamentos e preservar as verdadeiras tradições da religião.

Os islamitas têm como livro sagrado o Alcorão, o qual traz os textos com os ensinamentos que foram revelados por meio do anjo Gabriel, ao profeta Maomé. Maomé foi o último profeta e mensageiro de Alá, o Deus do Islamismo.

Os principais pontos do Islamismo

Os princípios norteadores do Islã são cinco, os quais definem a prática religiosa. Estes cinco pontos são fundamentais e devem ser respeitados, rigorosamente, por todos os fiéis. São eles:

• A oração
• A fé
• O jejum de Ramadã
• A caridade
• A peregrinação a Meca.

A oração feita pelos islamitas acontece cinco vezes ao dia, sendo a primeira quando nasce o sol, a segunda ao meio-dia, a terceira no meio do período da tarde, a quarta quando o sol se põe, e a última acontece durante a noite. Para o Islã, a oração é a ação que une e aproxima Deus e os seus fiéis.

A fé, outro princípio do Islamismo, defende a ideia de que Maomé é o Profeta e não há nenhum outro Deus senão Alá. Dessa forma, todas as orações e pedidos são feitos com referência a Alá.

O Jejum de Ramadã é realizado durante todo o nono mês do calendário do Islã. O jejum se refere à abstinência de comer, beber, ter relações sexuais e fumar, do nascer até o pôr do sol.

O quarto pilar da religião do Islamismo é a caridade. Os religiosos devem se preocupar e ajudar os mais necessitados. A caridade para os islamitas é representada pela palavra Zacát, que significa a quantidade de dinheiro e doações que os islamitas devem oferecer aos que mais precisam de ajuda. A quantidade, em porcentagem, é de 2,5% da renda do muçulmano. No entanto, o valor só deve ser retirado depois de o fiel descontar os gastos com impostos e com a família.

Por fim, o último ponto principal e norteador da prática islâmica é a peregrinação a Meca. O costume é realizar a peregrinação no último mês do calendário islâmico e deve ser feita pelo menos uma vez na vida. A viagem a Meca representa a dedicação que os fiéis destinam à religião e serve também para confirmar a igualdade e a fraternidade existente entre os muçulmanos.

As mesquitas

Os templos utilizados para as rezas em Marrocos são as mesquitas, que podem ser identificadas logo de longe. As mesquitas compõem boa parte do cenário das cidades marroquinas, já que estão presentes. O que as caracteriza, de fato, são as suas portas. Esses templos só podem ser frequentados por muçulmanos, não sendo permitida que pessoas de outras denominações religiosas adentrem o espaço.

Para os visitantes, há algumas opções. Algumas dessas mesquitas não são restritas e permitem a entrada de não muçulmanos. As mesquitas que podem ser visitadas são: a mesquita de Hassan II, na cidade de Casablanca; o Mausoléu de Mohammed V, em Rabat; Mausoléu de Moulay Ali Chérif, na localidade de Rissani; e o Mausoléu de Moulay Ismaïl em Meknès.

As mulheres no islamismo

Para quem já teve a oportunidade de visitar o país ou de acompanhar o cotidiano dos marroquinos, ou ainda, ver a representação da cultura através de filmes e telenovelas, com certeza já percebeu que as mulheres possuem vestimentas diferentes que caracterizam as fiéis do islamismo.

Mesmo que as temperaturas sejam elevadas, as mulheres costumam se vestir com roupas compridas acompanhadas com lenços que cobrem a cabeça e parte do rosto, deixando apenas os olhos e a boca à mostra.

Assim como em outros lugares, as mulheres muçulmanas enfrentam, até hoje, algumas dificuldades para serem aceitas na sociedade, e principalmente, para terem seus direitos garantidos. No entanto, muito dessa situação já avançou, graças ao Rei Mohammed VI, que criou um projeto de formação de predicadoras. O projeto tinha e tem como objetivo implementar a ação das mulheres na internet, nas fábricas e na televisão, a fim de garantir uma maior igualdade entre os sexos.

Por fim, vale ressaltar que apesar do país Marrocos ainda enfrentar vários pensamentos preconceituosos e ser visto como pertencedor de uma prática rigorosa e punitiva, apesar de ter o Islamismo como religião oficial, o país não proíbe e muito menos pune as representações de outras doutrinas, sendo possível observar cultos de outras religiões no mesmo país.