Migração, Imigração e Geografia Urbana: Cidades e Urbanização


Migração, Imigração e Geografia Urbana

A migração é um movimento de um indivíduo ou um grupo deles no espaço geográfico. É a ida de um lugar para outro. Tanto entre humanos, como entre animais, a migração é um fenômeno ligado à busca de melhores condições de vida.

Antes de se fixar na terra e desenvolver culturas agrícolas, o homem era nômade. A estruturação de aldeias e cidades é causa e produto do desenvolvimento da capacidade do homem para controlar o meio em que vive, tornando possível a sobrevivência em condições adversas.

Imigração e emigração

Mesmo assim, a migração segue sendo um fenômeno presente na sociedade humana. A diferença é que nos tempos atuais o homem não migra para fugir dos fenômenos naturais. Um fenômeno presente nos séculos XVIII, XIX e XX é a migração em busca de oportunidades, principalmente do campo para as cidades, processo desencadeado pela Revolução Industrial.

Outro fenômeno ligado à migração presente nos dias atuais são as guerras, os desastres econômicos e humanitários, decorrentes de disputas políticas e econômicas por poder e riqueza.

A imigração é a migração do ponto de vista de quem recebe os novos indivíduos. A emigração é a migração do ponto de vista de quem perde os indivíduos. Quando falamos de imigrantes, estamos nos referindo a pessoas que chegaram ao nosso território ou país, fugindo de condições adversas ou em busca de oportunidades. Já quando falamos de emigrantes, estamos falando de pessoas que deixaram o nosso território fugindo de condições adversas ou buscando oportunidades.

Cidades e urbanização

O Brasil do século XX foi caracterizado pelo êxodo rural, com a migração de grandes contingentes populacionais do campo para a cidade. Nesse caso, a migração foi condicionada por dois fatores: as oportunidades de emprego e consumo nas cidades em constante crescimento e a estrutura agrária concentradora e hostil para o homem do campo.

A urbanização é o fenômeno decorrente desse fluxo migratório. Trata-se do crescimento das cidades e da população urbana em relação ao território e à população rural.

A urbanização acelerada é um problema grave para os países, pois demanda uma rápida assimilação pelas cidades da necessidade de estar em permanente processo de reestruturação. Como isso normalmente não é possível, as consequência visíveis desse processo são o desemprego, a subocupação de mão de obra, a favelização e as condições precárias da vida da população urbana.

A geografia urbana é o estudo do espaço urbano. Sua função é mapear e interpretar o crescimento das cidades, o desenvolvimento e seu entorno, fornecendo subsídios para políticas públicas.