Pangéia e Pantalassa


Pangéia

A ideia de que os continentes nem sempre estiveram nas suas disposições atuais foi manifestado pela primeira vez pro Abraham Ortelius, em 1596. O holandês Ortelius, por esse motivo, ficou reconhecido como pai do Atlas Moderno.

Ortelius também é o encarregado pelo “Theatrum Orbis Terrarum”, de 1570, julgado como o primeiro Atlas da Idade Moderna, uma produção concebida a mão constituída por 139 mapas pintados.

Foi Ortelius quem propôs que as Américas teriam sido partidas e separadas da África e Europa por inundações e terremotos, e completou dizendo que os restos do rompimento mostram-se, quando uma pessoa pega um mapa do mundo e analisa com cuidado as margens dos três continentes. Essa teoria de Ortelius foi resgatada no século XIX.

Pangéia

Laurásia e Gondwana

Há cerca de 200 milhões de anos havia somente um super continente, denominado de Pangeia. Ele se dividiu há 130 milhões de anos atrás em Gondwana, abrangendo a América do Sul, índia, África, Antártida e Austrália, e Laurádia, incluindo Eurásia e América do Norte, e há 84 milhões de anos aconteceu a divisão entre Eurásia e América do Norte e entre a África, América do Sul, Índia e Oceania, que acabou virando uma ilha no oceano Índico.

Finalmente, a Índia se chocou com a Ásia, unindo-se ao continente.

De acordo com o principio da deriva continental, a Pangeia separou-se há aproximadamente 225 – 200 milhões de anos, tendo-se mais tarde partido até gerar os continentes que existem atualmente.

Apenas em 1912 é que a hipótese do deslocamento dos continentes foi realmente julgada como uma teoria científica intitulada por “Deriva dos Continentes” e divulgada em dois escritos pelo meteorologista Alfred Lothar Wegener. Ele considerou que há aproximadamente 200 milhões de anos, ainda no período Paleozoico, existia um super continente mãe, a Pangéia, e um imenso oceano denominado Pantalassa.

O Pangeia começou a se dividir, primeiramente em dois largos continentes, Gondwana e Laurásia. No meio dos dois, criou-se um mar moderadamente raso, denominado Mar de Tétis.

Gondwana e Laurádia prosseguiram se separando no decorrer dos anos, originando os continentes atuais. A Índia, por exemplo, desprendeu-se de Godwana e originou uma ilha. No período Cenozóico o formato dos continentes começou a se parecer com o formato atual.

Era cenozóica

Nesse período, a Índia se colidiu com continente asiático com tanta pressão que a colisão entre as placas ocasionou a elaboração da cordilheira do Himalaia, onde atualmente está o monte Everest, o maior do mundo.

Um dos sinais mais evidentes da deriva continental é a junção quase perfeita entre as costas oeste da África e leste da América do Sul. A divisão entre a América do Sul e a África ocorreu do deslocamento frequente das placas tectônicas por cima do manto, deslocamento esse que ocorre no mundo todo.

Pode-se afirmar que a localização dos continentes vem se alterando ao longo da história da Terra. Essa comprovação é conseqüência de pesquisas recentes, feitas especialmente desde meados do século XX.

Esse deslocamento dos continentes ocorre devido ao movimento das placas tectônicas, encarregada também por agitações sísmicas e práticas vulcânicas.

Pantalassa

Pantalassa, também chamada de Oceano Pantalássico ou Panthalassa, era o grande oceano mundial que cercava o super continente Pangéia, no decorrer dos períodos do Paleozóico e começo do Mesozóico. Abrangia o Mar de Tétis, a sudeste, e o Oceano Pacífico, a oeste e norte.Transformou-se no novo Oceano Pacífico depois do fechamento da bacia do Mar de Tétis e a divisão da Pangéia, acontecimento que levou a formação das bacias dos oceanos Ártico, Atlântico e Índico.

A Pantalassa é muitas vezes chamada de Paleo-Pacífico, velho pacífico, por causa do motivo desse oceano ter progredido a começar desse ultimo.

Há aproximadamente 900 milhões de anos, estabeleceu-se uma ligação tripla ao passo que o super continente Rodínia começou a se dividir pode meio do surgimento de riftes.

Entre aproximadamente 800 e 700 milhões de anos antes, esse supercontinente dividiu-se em dois. Esse foi um acontecimento importante da deriva continental por rift, pois originou o Oceano Pantalássico no oeste de Laurentia, um continente arcaico que viria a originar a América do Norte.

Na região oeste de Laurentia,ocorrências tectônicas que antecediam essa divisão, geraram riftes rachados que abrigaram imensas bacias sedimentares. Mirovia, o oceano mundial que envolvia Rodínia, começou a diminuir por causa do aumento dos oceanos Pantalássico e Pan-Africano.

Por volta de 650 e 550 milhões de anos, um novo super continente estava se formando, a Pannotia, cujo formato assemelhava-se a um “V”. No interior desse “V” surgia a Pantalassa, ao mesmo tempo no seu exterior estava o Oceano Pan-Africano e as lembranças de Mirovia.

Atualmente, a grande parte da bacia oceânica e crosta da Pantalassa subduziu perante a placa eurosiática e a placa norte-americana. As lembranças da placa oceânica de Pantalassa podem ser vistas na placa de Gorda, placa Juan de Fuca, placa de Nazca e placa de Coco, onde as quatro fizeram parte da antiga placa de Fallaron.