Problemas do Capitalismo


O capitalismo é caracterizado como um sistema de caráter político e econômico que ganhou grande aceitação em algumas nações. O movimento surgiu durante o fim do século XVIII e começo do XIX, sendo impulsionado pelo início da Revolução Industrial em países como a França, Inglaterra e Alemanha, que depois se disseminou em todas as regiões do mundo.

O principal intuito desse tipo de sistema é promover o lucro, que é a verdadeira moeda do modelo capitalista de governo. Dessa forma, o movimento pode ser diretamente atrelado com o consumo e comércio, suas maiores vertentes para garantir grandezas lucrativas.

Sendo assim o sistema capitalista se destaca pela sua enorme capacidade para a geração de lucro e riquezas, mesmo que isso seja feito de uma forma, na maioria dos casos, desigual. Isso ocorre pelo fato de que o consumo e comércio ainda estão limitados a uma pequena parcela da população.

Capitalismo

E por mais que o capitalismo tenha gerado uma grande gama de contribuições para melhora de sistemas econômicos, assim como grandezas tecnológicas e o próprio conforto de muitos, ele também é responsável por aspectos bem negativos em nossa sociedade.

Por isso, confira neste artigo quais são os principais problemas derivados do modelo político-econômico capitalista.

Problemas do capitalismo

1. Degradação crescente do meio ambiente

A degradação cada vez maior da mãe natureza é um dos aspectos que acaba intensificado por conta do capitalismo, já que ele se relaciona com a produção (e consumo) massificada, ou seja, em grandes proporções.

E para produzir esse lucro, é necessário apontar para a origem do processo: ele se inicia na obtenção da matéria prima, presente na própria natureza. Sendo assim, o capitalismo estimula de uma forma cada vez mais expressiva a exploração dos recursos naturais, o que devasta o nosso meio ambiente cada vez mais.

2. Grande divergência entre o trabalho e o capital

Há também uma divergência grande entre os conceitos do trabalho e do capital, originada na própria luta pela defesa das necessidades da classe proletária.

Sendo assim, enquanto os trabalhadores querem melhores condições de trabalho, como jornadas de trabalho mais baixas e salários mais altos, suas reivindicações são deixadas de lado, sendo ignoradas pelos verdadeiros detentores dos capitais. Esse pensamento capitalista visa a exploração cada vez maior não só de nossos recursos naturais como também da própria mão de obra humana, sendo o seu único objetivo o aumento dos lucros.

3. Desigualdade social

A desigualdade social também cresce quando um governo adota o sistema capitalista para gerir suas finanças e política. Isso porque os donos dos locais onde ocorre a produção de materiais para a venda mantém grande exploração de trabalho, intensificada cada vez mais por conta do desemprego.

Sendo assim, o capitalismo é considerado como um sistema econômico ingrato, já que concentra a riqueza (que deveria ser de todos) na mão de poucos.

4. Monopolização do mercado

Dessa forma, cria-se um verdadeiro ciclo em que o mercado se torna oligopolizado. A monopolização ocorre quando as grandes instituições se unem em um determinado setor do comércio, ou ainda, aproveitam de seu grande porte para comprar as empresas com menor estabilidade e tamanho.

Isso faz com que a concentração de renda na mão de poucas pessoas mais uma vez aconteça, já que esse dinheiro é voltado para as grandes empresas, instituições e verdadeiros monopólios em certos segmentos do mercado.

A falta de democracia, nesse caso, faz com que não ocorra fiscalização no que diz respeito à infraestrutura do ambiente, enquanto os bens materiais podem ser acessados unicamente por quem tem capital para pagar pelos mesmos.

5. E onde ficam os valores humanos?

No capitalismo, o bem maior desse sistema se torna o consumo. Sendo assim, campanhas publicitárias tentam instigar o imaginário do consumidor para que ele aumente de maneira cada vez mais gradativa o seu consumo, que muitas vezes, é realizado sem a própria necessidade disso.

Essa influência mercadológica faz com que muitos indivíduos integrem o movimento mesmo que sem ter essa intenção de verdade.

E com o aumento gradativo do capitalismo, muitos são os valores humanos que são deixados de lado. Na realidade, eles acabam substituídos pelo desejo excessivo de compra de bens materiais, já que a pessoa passa a “ter” e não “ser” algo.

Outros problemas a se pensar

Por mais que muitos sejam os problemas gerais causados pelo sistema capitalista, também existem alguns motivos menos expressivos, mas que também devem ser levados a sério.

A disputa praticamente insana por quem consegue maior número de matéria prima, a corrupção envolvida nesse modelo de sistema, a busca cada vez mais frenética por um padrão de vida mais alto e individualista, a criação de meios ilícitos para enriquecer antes que o imaginado, o roubo (do bolso do cidadão ou de empresas pequenas, que logo fecham as suas portas pelo monopólio criado pelas multinacionais) e a própria especulação exacerbada de ações e títulos são alguns exemplos de outros problemas que também devem ser considerados.