Qual a diferença entre rochas e minerais?


As rochas e os minerais são elementos encontrados em abundância na natureza, especialmente porque eles são constituintes importantes da estrutura do planeta Terra, que é um planeta telúrico, ou seja, rochoso. No entanto, os minerais e as rochas possuem várias características distintas entre si.

qual-a-diferenca-entre-rochas-e-minerais

Rochas e minerais na constituição do planeta Terra

A estrutura do nosso planeta é baseada em quatro cenários:

– Camada sólida

– Atmosfera

– Biosfera

– Hidrosfera

A camada mais sólida da Terra pode ser dividida em nas seguintes regiões:

– Crosta: Também chamada de litosfera, é a camada mais fria e também é onde são encontrados boa parte dos minerais e das rochas.

– Manto: A temperatura na região do manto é elevadíssima e, por isso, ali se encontra o magma.

– Núcleo externo e núcleo interno: No núcleo externo os elementos se encontram em estado líquido. Já no interno os materiais mais abundantes estão em estado sólido.

Nas partes superiores do planeta pode ser encontrada a atmosfera, que é a camada gasosa, e também a hidrosfera, que é a camada líquida. Tanto na hidrosfera quanto na atmosfera foram apresentadas condições para o surgimento da vida, bem como é onde também são encontrados os minerais e as rochas.

O planeta Terra, que é o terceiro planeta no sistema solar, é considerado relativamente jovem, possuindo assim aproximadamente pouco mais de quinhentos milhões de idade.

O núcleo do planeta Terra é constituído por dois elementos químicos importantes. São eles:

– Ferro: Elemento que à temperatura ambiente é encontrado em estado sólido, sendo considerado um metal de transição. Além disso, o ferro é o um dos elementos mais abundantes em nosso planeta. Hoje em dia na indústria ele é utilizado para a fabricação de ligas metálicas, bem como no segmento automobilístico e na construção civil.

– Níquel: Assim como o ferro, o níquel é um elemento químico que à temperatura ambiente também é encontrado no estado sólido. O níquel é também considerado um elemento de transição e, hoje em dia na indústria, é bastante importante por ser um metal que apresenta uma considerável resistência à corrosão.

O núcleo, por ser constituído por esses dois metais, níquel e ferro, é também chamado de Nife.

O ferro e o níquel se apresentam em uma solução pastosa no interior do nosso planeta. Ao entrarem em constante movimento esses dois elementos produzem descargas elétricas que estipulam o campo eletromagnético da Terra, que a mantém protegida da ação direta dos raios cósmicos emitidos pelo Sol.

As temperaturas encontradas na região do núcleo do planeta Terra podem atingir a marca de 5.000° C, se espalhando pelo manto e possibilitando assim que o magma consiga proporcionar a movimentação das placas tectônicas situadas no limite existente entre o manto e a litosfera. Esse limite recebe o nome de astenosfera.

As rochas e os minerais

Abundantes no planeta Terra, as rochas e os minerais possuem algumas diferenças entre si.

Os minerais são substâncias obrigatoriamente de origem natural, ou seja, eles são formados mediante alguns processos naturais.

Outra característica dos minerais é que eles denotam uma composição atômica padronizada, em que o padrão de íons e elétrons em sua estrutura traz um padrão geométrico e repetitivo. Além disso, os minerais também possuem um visual cristalino.

Hoje são detectados na natureza mais de mil tipos diferentes de minerais.

Os minerais também podem ser classificados conforme o tipo de composição química. Nesse aspecto, podemos encontrar os mais comuns, que são:

– Silicato: Geralmente composto por silício e magnésio.

– Carbonatos: Normalmente encontrados em ambientes marinhos.

– Fosfato: Possuem uma estrutura tetraédrica.

– Óxidos: São de grande importância, pois constituem minérios que permite a extração de minerais.

As rochas, diferentes dos minerais, são um material sólido constituído pela junção de um ou mais minerais.
A classificação das rochas é realizada seguindo sua composição química, a forma da sua estrutura ou, em determinados casos, de acordo com a sua textura. No entanto, o método mais comum de classificação é conforme os processos que levam à sua formação.

Os tipos de rochas são:

– Ígneas: Também chamadas de rochas magmáticas. Essas rochas são resultantes da solidificação do magma. Além disso, as rochas magmáticas se subdividem em dois grupos, que são as rochas vulcânicas (ou extrusivas), formadas a partir de erupções, e também as rochas plutônicas, constituídas no interior da crosta terrestre graças ao resfriamento. Exemplos de rochas plutônicas são o diabásio e o granito.

– Sedimentares: São rochas que são constituídas por meio do sedimento de outras rochas. As rochas sedimentares são a maioria na natureza e elas podem ser divididas entre rochas biogênicas (tais como o carvão), quimiogênicas (tais como as estalactites) e as detríticas (tais como o arenito).

– Metamórficas: Rochas que são o resultado da deformação de outras rochas devido a mudanças climáticas ou algum outro agente natural. Exemplos de rochas metamórficas são a ardósia e o gnaisse.