Refinaria de petróleo


Uma refinaria de petróleo é o local no qual o petróleo, em sua forma bruta, é decomposto e transformado em seus subprodutos: gasolina, diesel e querosene, por exemplo. Para que isso aconteça, é necessário que se instale um longo processo de destilação, condensação, purificação e outras alterações químicas.

Refinaria de petróleo

O passo a passo do petróleo

Cada etapa do processo em uma refinaria de petróleo é essencial e deve ser seguida à risca. São elas:

A chegada do petróleo

Enquanto o petróleo ainda é o chamado óleo cru, ele vai das plataformas de extração para as refinarias, na maioria das vezes por meio de oleodutos (tubulações próprias para este transporte, que funcionam através de sistemas de pressão). Chegando a seu destino, o óleo cru é depositado em tanques de armazenamento enquanto aguarda o início do processo químico.

Aquecimento

Através de dutos presentes na refinaria de petróleo, o óleo é levado até um caldeirão e aquecido a uma temperatura de aproximadamente 370 ºC. Parte do óleo, então, vira vapor, enquanto outra parte permanece na forma líquida.

A destilação

Esse é ponto chave de todo o processo. Depois do aquecimento, o petróleo segue para a torre de destilação e o que é gasoso é separado do que ainda é líquido: o primeiro vai para cima e o segundo, para baixo, com o que for mais denso descendo até o fundo da torre. Tudo o que desceu vai de encontro a outro aquecimento, que aumenta ainda mais a temperatura e vaporiza ainda mais do líquido. Tudo o que for possível ser transformado em vapor vai subindo de volta e, com a queda de temperatura, um pouco disso pode se tornar líquido novamente. Nesse caso, há algumas grades (chamadas de pratos) ao longo da torre, que servem para resgatar essas gotas. Enquanto isso, o vapor, ao entrar em contato com o petróleo líquido, esfria e se condensa um pouco mais.

O excesso do líquido que está nos pratos vai para um novo local, chamado de panela. Cada andar da torre possui uma panela diferente, já que, a cada andar, o vapor atinge uma temperatura diferente – e as diferenças entre essas temperaturas é o que define qual produto o petróleo vai se tornar. Ou seja, para que ele vire gasolina, diesel ou querosene, ele é separado em panelas a temperaturas diferentes. Nas panelas, o petróleo é bombeado para fora da torre através de dutos.

Vale lembrar que há, ainda, um resíduo que não pode ser vaporizado de forma alguma durante esse processo. Ele é recolhido do fundo da torre e utilizado, mais tarde, para produzir asfalto.

Purificação

Mesmo sendo separados entre as panelas depois do aquecimento duplo, os subprodutos do petróleo ainda estão contaminados nessa altura do processo. Então, para purificá-lo, ele é levado para tanques, nos quais ele é submetido a diversos processos químicos de quebra e reconstrução de moléculas, até que esteja consideravelmente puro.

Armazenamento e distribuição

Depois da purificação, cada subproduto é armazenado em diferentes tanques para, em seguida, ser despachado (através de oleodutos novamente) para distribuidoras de combustível ou para indústrias petroquímicas, que podem utilizar o petróleo para fazer outros produtos extremamente comuns do nosso dia a dia – plástico, cosméticos, roupas, tintas e outros acessórios.

Refinarias no Brasil

A Petrobras é a maior empresa brasileira atuando no recolhimento, refinamento e distribuição de petróleo, tanto para uso nacional quanto para exportação. Ainda assim, o Brasil não é autossuficiente; porém, quanto mais investimento nas refinarias e em projetos como o pré-sal, maiores as chances de que isso aconteça. A Petrobrás possui um total de 13 refinarias espalhadas pelo país atualmente. Cada refinaria de petróleo surgiu em uma época diferente, e está conectada a terminais, petroquímicas e distribuidoras diversas.

São elas:

  • Refinaria Abreu e Lima (Ipojuca/Pernambuco)
  • Refinaria Potiguar Clara Camarão (Guamará/Rio Grande do Norte)
  • Refinaria Landulpho Alves – RLAM (São Francisco do Conde/Bahia)
  • Refinaria Lubrificantes e Derivados do Nordeste – Lubnor (Fortaleza/Ceará)
  • Refinaria Capuava – Recap (Mauá/São Paulo)
  • Refinaria Duque de Caxias – Reduc (Duque de Caxias/Rio de Janeiro)
  • Refinaria Alberto Pasqualini – Refap (Canoas/Rio Grande do Sul)
  • Refinaria Gabriel Passos – Regap (Betim/Minas Gerais)
  • Refinaria Isaac Sabbá – Reman (Manaus/Amazonas)
  • Refinaria Presidente Getúlio Vargas – Repar (Araucária/Paraná)
  • Refinaria Presidente Bernardes – RPBC (Cubatão/São Paulo)
  • Refinaria de Paulínia – Replan (Paulínia/São Paulo)
  • Refinaria Henrique Lage – Revap (São José dos Campos/São Paulo)

Há ainda uma unidade de processamento de xisto, a Unidade de Industrialização do Xisto (SIX), localizada em São Mateus do Sul, no Paraná. O xisto é uma rocha que, passando por processos similares de refinamento, também pode ser convertida em óleo e em gás.

A Petrobrás também criou o Promega (Programa de Criação de Médios e Gasolina) em 2012, para aumentar o nível de produção diária dos subprodutos.