Resumo do Protocolo de Kyoto


Protocolo de Kyoto

O protocolo de Kyoto é um documento assinado por países desenvolvidos que tem como principal objetivo a redução e o controle da emissão de gases como gás carbônico e o dióxido de carbono, por exemplo, que podem gerar prejuízos à camada de ozônio e o consequente aumento da temperatura.

Este protocolo recebe este nome devido ao fato de que sua discussão e as negociações foram realizadas na cidade de Kyoto, no Japão, em 1997. O tratado foi aberto para a assinatura dos países em 11 de dezembro de 1997, e sua ratificação aconteceu em março de 1999.

Medidas propostas pelo protocolo de Kyoto

O protocolo de Kyoto possui uma série de propostas e medidas para que os países desenvolvidos possam contribuir positivamente para o controle de emissão destes gases.

Confira a seguir algumas das principais propostas do protocolo de Kyoto:

– Aumento da promoção de práticas autossustentáveis, especialmente ligadas ao manejo florestal, como reflorestamento, por exemplo.
– Mais formas de agricultura sustentável, com menos impactos ao meio ambiente.
– Maior utilização de fontes limpas e renováveis de energia.
– Realização de pesquisas com o objetivo de encontrar tecnologias ambientais seguras.
– Redução da emissão de metano.
– Colaboração entre os países participantes do protocolo de Kyoto, visando a adoção de tecnologias mais seguras.

Assinaturas do protocolo de Kyoto

Embora tenha sido discutido e ratificado ainda no final da década de 1990, apenas em 2004 o protocolo de Kyoto entrou em vigência, pois foi neste ano que a Rússia aceitou os termos do acordo e realizou a assinatura e sua ratificação, fazendo com que os países responsáveis por ao menos 55% das emissões de gases poluentes integrassem o protocolo.

No entanto, os Estados Unidos, maior emissor de gases poluentes do mundo, responsável por cerca de 25%, não demonstraram interesse na assinatura, alegando que a preferência do país era por meios alternativos no controle da emissão de gases poluentes.