Brasil Colônia: União Ibérica, Invasão Holandesa e Expansão Bandeirante


Brasil Colônia

Em 1580, Portugal passou por um sério problema de sucessão ao trono: o cardeal Dom Henrique, então rei do império português, morreu sem deixar qualquer herdeiro direto. Ele já havia sido nomeado após um momento de instabilidade no governo, já que seu antecessor (e sobrinho-neto), Dom Sebastião, havia desaparecido no norte da África durante a luta contra os mouros, e também sem deixar uma linha sucessória.

Com isso, o rei espanhol Filipe II (tio de Dom Sebastião) aproveitou-se do momento de instabilidade para unificar as coroas dos dois países. Essa manobra tinha como objetivos fortalecer a economia espanhola, ampliar sua influência em relação às disputas comerciais nas colônias e aumentar o prestígio da Espanha junto à Igreja Católica. A União durou 60 anos.

Invasão Holandesa
Mesmo com o aumento de poder, em 1581 a Espanha perdeu alguns de seus domínios na Europa, como a Holanda. Agora um país livre, o território holandês era considerado um centro de comércio próspero e rico na Europa. Como represália, o rei espanhol determinou um embargo, em que proibiu que as colônias sob domínio ibérico fizessem negócios com os holandeses.

Em reação a isso, a Holanda decidiu invadir o Nordeste brasileiro e dominar a produção açucareira. A primeira tentativa, na Bahia, foi frustrada, mas em 1630 a esquadra holandesa conseguiu a dominação de Pernambuco. Para administrar a região, o governo holandês enviou o conde João Maurício de Nassau.

A administração de Nassau teve como objetivo o desenvolvimento econômico de Pernambuco, o que se refletiu na melhora de toda a região, com a construção de diversas obras públicas e incentivo da vida cultural na região. Além disso, o açúcar produzido no estado tinha menos impostos em relação ao comercializado por Portugal.

Essa prosperidade durou pouco tempo, já que a administração de Nassau começou a elevar impostos na região, causando atrito com o governo holandês. Isso gerou seu afastamento do governo de Portugal. A partir disso, a Companhia das índias Ocidentais tomou a administração da região com uma violenta política de cobrança de tributos. Isso gerou uma grande revolta dos colonos brasileiros, conhecida como a Insurreição Pernambucana, que, em 1654, expulsou os holandeses de Pernambuco após anos de conflitos.

– Expansão bandeirante
Outra consequência da União Ibérica foi um “afrouxamento” do Tratado de Tordesilhas. Com o interesse de Portugal em explorar o interior do Brasil e o desinteresse espanhol nessa região, os portugueses criaram expedições para ampliar seus territórios e buscar mais áreas para exploração de ouro e plantação de cana-de açúcar.

Conhecidas como bandeiras, essas expedições percorreram diversas áreas do território brasileiro, principalmente o interior paulista, mineiro, a região onde atualmente fica o estado de Mato Grosso e a Amazônia. Apesar de sua importância para a consolidação do interior brasileiro, sempre se questiona a maneira violenta como os exploradores dominavam esses territórios, principalmente com a dizimação de tribos indígenas inteiras.