Pecuária no Brasil Colonial


No início do período colonial brasileiro, o principal investimento dos portugueses em terras brasileiras era feito na indústria açucareira, que ocupava grande parte do território explorado nos primeiros anos da colonização. Porém, a necessidade de outros serviços fez com que apenas o investimento no açúcar fosse insuficiente, fazendo surgirem novos investimentos, chamados de atividades secundárias.

Pecuária no Brasil Colonial

Entre as atividades que surgiram neste período, a agropecuária começou a ganhar força, pois as cabeças de gado eram utilizadas para o serviço necessário nos engenhos de açúcar, fazendo com que a implementação da pecuária no Brasil colonial fosse assim facilitada.

No entanto, a implementação de serviços pecuários acabava por interferir na principal exploração daquela época, o açúcar, pois era comum que os rebanhos de animais acabassem, ocasionalmente, causando danos em meio às plantações, fazendo assim com que se perdesse muito em termos de açúcar.

Desta forma, visando diminuir os prejuízos e preservar as plantações de cana de açúcar, as autoridades da época chegaram a decretar a proibição de qualquer atividade pecuária na região litorânea do Brasil, buscando assim preservar estas áreas apenas para a produção de açúcar.

Pecuária no interior do Brasil

A proibição decretada pelas autoridades da pecuária em regiões litorâneas, embora tivesse caráter estritamente restritivo, visando preservar as plantações de cana de açúcar, acabou fazendo com que as criações de gado avançassem pelas regiões do interior do Brasil.

Desta forma, a pecuária no Brasil colonial começou a ganhar regiões mais adentro do país, especialmente no Nordeste, onde a pecuária rapidamente se impulsionou, especialmente em regiões cheias de pastagens naturais, que favoreceram estas criações e contribuíram para que a pecuária se firmasse como um dos serviços em expansão no país.

Uma das regiões que mais contribuiu para esta expansão do serviço pecuário no Brasil colonial foi ao longo do Rio São Francisco, na época conhecido como Rio dos Currais, pois esta região fornecia excelentes reservas de água, pastos e reservas de sal-gema. Estas condições favoráveis fizeram com que surgissem neste entorno do rio diversas fazendas de criação de gado, contribuindo ainda para a exploração do interior do país utilizando a proximidade destas águas.

Esta firmação da pecuária no Brasil colonial também fez com que o número de animais crescesse rapidamente. De acordo com algumas estimativas, acredita-se que ainda no século XVII, ainda com as atividades pecuárias sendo realizadas especialmente no nordeste, o número de cabeças de gado passava das 600 mil, fazendo assim com que este serviço se firmasse como uma importante atividade econômica.

Mais ainda do que apenas uma alternativa econômica aos planos da exploração colonial, a pecuária fez com que surgissem novas relações entre trabalhadores e patrões, gerando uma procura por mão de obra alternativa ao trabalho escravo que antes era exclusivamente feita por trabalho escravo.

Desta forma, a mão de obra na pecuária foi composta por diferentes tipos de trabalhadores livres, tanto de origem branca, mestiça ou negra, e até mesmo indígena. Outra diferença implementada pela atividade pecuária era o pagamento desta mão de obra, que era feita, em sua maioria, por meio de animais que nasciam nestes rebanhos, oferecidos aos trabalhadores em troca de seus serviços na atividade pecuária.

Atividades mineradoras e a pecuária

Outra atividade que surgiu no Brasil colônia e ganhou força rapidamente foi a atividade mineradora, que fez com que as regiões centro-oeste e sudeste do país começassem a ser exploradas para a mineração. Este avanço da mineração fez com que a pecuária também ganhasse força, avançando ainda mais pelo nordeste e também pela região sul do país, tendo como objetivo principal a oferta de serviços para abastecimento da população envolvida na atividade de mineração.

Porém, além de servir para o abastecimento e o sustento da população nas regiões que começavam a ser exploradas pelo país, a pecuária passou a oferecer outras atividades para as pessoas, como, por exemplo, o comércio de animais para o transporte de mercadorias ou mesmo de pessoas, ampliando assim o seu alcance e ganhando uma importância ainda maior.

Este comércio e a criação de animais feita pela pecuária contribuíram ainda mais para que a exploração avançasse pelo país, propiciando às pessoas uma maior facilidade para que novos lugares propícios para a mineração fossem explorados, levando assim estes trabalhadores cada vez mais para dentro do país.

Desta maneira, a pecuária além de uma importante atividade econômica para o país, foi também fundamental para a ampliação do território e a expansão das atividades, em especial a mineração. Assim, a pecuária no Brasil colonial pode ser apontada como um dos principais fatores para o avanço do país em termos territoriais.

Além disso, a pecuária também foi ainda mais consolidada nestas regiões do interior do país após a decadência da mineração, pois substituiu o vazio deixado pela atividade mineradora economicamente, fazendo com que mais pessoas apostassem na pecuária após a diminuição do número de minas e de suas produtividades.

Fontes: Brasil Escola / Cola da Web / Rainer Souza