América Pré-Colombiana – Origem do Homem Americano: Astecas e Maias


América Pré-Colombiana

A América Pré-Colombiana é o conjunto de registros históricos do período anterior à ocupação europeia do continente, que teve início no final do século XV, com a chegada de Cristóvão Colombo à Ilha de Guanaani, batizada de San Salvador, na América Central, em 12 de outubro de 1492.

Por essa razão, o período anterior à ocupação europeia no continente americano é batizado de América Pré-Colombiana. Até hoje há divergências acerca da ocupação humana no continente, habitado por um conjunto de civilizações em estágios distintos de evolução, desde as mais primitivas àquelas que apresentavam traços das civilizações conhecidas da Idade Antiga, capazes de uma consistente estruturação social, científica e econômica.

A origem do homem americano

Um dos pontos polêmicos, e ainda longe de ser esclarecido, é a origem do homem americano. Há duas teorias distintas, que afirmam visões opostas.

Uma delas afirma que o homem americano surgiu na própria América. Cientistas latino-americanos acreditam estar próximos de encontrar uma ossada completa de um indivíduo anterior ao homo-sapiens. Há registros arqueológicos, entre pinturas e sítios que concorrem para essa tese.

A outra tese é de que o homem teria chegado à América procedente de outros continentes. Mesmo entre esses, porém, há discordância. Uma corrente sugere que o homem chegou ao continente há 12 mil anos através do Estreito de Bering. A outra, que o homem teria chegado há mil anos, vindo da Polinésia.

Astecas e Maias

O fato concreto é que os europeus, ao chegar à América, se depararam com essas diversas civilizações.

Astecas e Maias dividiam um território que se estendia do que atualmente é o México, chegando ao Pacífico, ao norte da Colômbia. Os Astecas dominavam um território que abrangia do México até a Guatemala, constituindo um grande império, no que se assemelhavam aos Maias, que ocupavam do sul do México ao norte da Colômbia, na América do Sul.
Os traços em comum com as civilizações antigas são muitos, como a tecnologia para a construção de pirâmides. Os Maias produziram um sofisticado e preciso calendário, enquanto os Astecas haviam desenvolvido técnicas mais avançadas de agricultura, em oposição ao modelo de produção rudimentar dos Maias.

Um traço que aproxima essas civilizações pré-colombianas do começo das civilizações da antiguidade é a exploração da agricultura como atividade de subsistência e econômica, de forma organizada. Outro traço está na religião, em que ambas as civilizações eram politeístas, tendo em comum a ligação das divindades com a natureza e, no caso dos Astecas, com os astros.

Ambas praticavam sacrifícios como oferenda aos Deuses. Os Maias adotavam o sacrifício de animais, enquanto os Astecas faziam sacrifícios humanos. Além da agricultura, a coleta, a caça e a pesca também eram atividades comuns naquelas civilizações. Os Astecas adotavam o comércio, feito por meio de troca de mercadorias, o serviço militar e a coleta de impostos, numa sociedade dividida em extratos sociais, que iam dos altos escalões, composto por chefes militares e sacerdotes, aos escravos, classe composta por prisioneiros de guerra, endividados e condenados pela justiça.

Os Maias produziam cerâmica de boa qualidade, dominavam conhecimentos de matemática e desenvolveram uma escrita própria, o que os colocava à frente dos Astecas. Ambas as civilizações pré-colombianas desapareceram com a invasão espanhola, fosse por meio das guerras de dominação, fosse pela aculturação.