Antecedentes e Atos da Segunda Guerra Mundial


Após o final da Primeira Guerra Mundial, os conflitos que foram originados pelo tratado de Versalhes, no ano de 1919, acabou por culminar no totalitarismo nazi fascista e ainda aguçaram-se com os efeitos da grande crise de 1929. Alguns líderes políticos do período entreguerras adotaram a política de apaziguamento e se caracterizou por concessões a fim de evitar um confronto, mas não conseguiram garantir a paz internacional.

A atuação dessa política, assemelha-se à da Liga das Nações, que também acabou fracassando na árdua missão de zelar e de garantir a paz mundial. Dessa maneira, principalmente na Itália e na Alemanha, consolidaram-se regimes totalitários, que tinham por objetivo as conquistas de territórios, o que acabou por deixar pequenas nações jogadas à sorte e ao poder dos estados mais fortes.

Segunda Guerra Mundial

Antecedentes da Segunda Guerra Mundial

Em 1931, a Manchúria, localizada na China foi invadida pelo Japão e avançou sua expansão pelas Ilhas do Pacífico e pela Ásia. Quatro anos depois, em 1935, a Etiópia foi tomada pela Itália. A cada novo avanço expansionista dos estados totalitários, confirmava-se a falência da Liga das Nações e consequentemente da paz internacional que ela representava.

A Guerra Civil Espanhola, que aconteceu de 1936 a 1939 colocou fim à República Socialista Espanhola e permitiu que Benito Mussolini e Adolf Hitler testassem novos armamentos que foram produzidos pela indústria bélica de seus países, consolidando assim a conhecida aliança Eixo Berlim-Roma.

Em seguida, o Japão se união aos italianos e aos alemães depois de entrar em sério conflito com a União Soviética e outros países imperialistas do ocidente. Esta união passou a se chamar Eixo Roma-Berlim-Tóquio. Esses três países assinaram um pacto chamado de anti-Komintern, que tinha por função combater o comunismo internacional e encontrar passividade para conquistas de novos territórios.

A meta seguinte eram os Sudetos (a área de fronteira da República Tcheca, Boêmia e Morávia, com a Áustria e a Alemanha) com o pretexto de que a região contava com uma população em sua maioria alemã.

A França e a Inglaterra, reuniram-se com Hitler e Mussolini e decidiram pela entrega dos Sudetos aos nazistas, ampliando dessa maneira o território alemão em direção ao Leste. Em troca, o governo alemão se comprometia a não realizar qualquer nova expansão.

Em 1939, Hitlet assinou com Stálin o pacto germano-soviético de neutralidade e de não-agressão por dez anos. Por meio desse tratado, a Alemanha permitia a anexação dos Estados bálticos (Letônia, Estônia e Lituânia), da Finlândia e de parte da Polônia Oriental às fronteiras soviéticas.

Início da Segunda Guerra Mundial

No dia 1º de setembro de 1939, Adolf Hitler invadiu a Polônia. França e Inglaterra reagiram e então deram início à Segunda Guerra Mundial. Em 6 de outubro, a Polônia se rendeu, o que deu início a chamada ‘guerra de mentira’, chamado assim porque não houveram grandes batalhas neste período.

Entretanto, em abril do ano seguinte, as tropas alemãs iniciaram uma guerra-relâmpago, que constituiu-se em ataques maciços que utilizavam veículos de aviação, blindados e ainda navios de guerra. O avanço militar nazista foi fulminante e acabou com a Noruega, a Bélgica, os Países Baixos e a Dinamarca ocupados. As tropas belgas, inglesas e francesas foram obrigadas a se retirarem do continente.

Em junho, Paris foi ocupada pelos nazistas e em seguida a França se rendeu. A Inglaterra enfrentava violentos ataques da aviação alemã, a Luftwaffe contra a Royal Air Force. Os ingleses ainda tentavam deter os ataques dos italianos, que tentava tomar-lhes o controle do canal de Suez. Alemães e italianos atacaram também a Iugoslávia, a Grécia e passaram então a controlar toda a região balcânica.

Em junho do ano seguinte, Hitler traiu o pacote de não agressão e marchou sobre a União Soviética em busca de cereais, de minérios e de petróleo. Em um ataque surpresa, a guerra-relâmpago foi acionada e dessa maneira, os alemães obtiveram vitórias rápidas.

Os generais nazistas contavam com uma rápida vitória decisiva sobre os soviéticos, isso porque nas fronteiras haviam cerca de três milhões de soldados alemães que estavam totalmente preparados para a conquista do território. Mas, apesar do grande número de soldados alemães, os soviéticos conseguiram deter o avanço dos invasores, graças ao vasto território, ao elevado número de soldados russos e por causa da resistência das tropas e da população. Os alemães passaram então a experimentar decisivas e duras derrotas.

No Pacífico, desde a invasão de Manchúria, a tensão entre a China e os Estados Unidos crescia e depois do ataque japonês à Indochina aumentou fortemente. Em dezembro de 1941, os japoneses atacaram Pearl Harbor, a maior base naval norte-americana do Pacífico Sul.

Este ataque destruiu grande parte da frota norte-americana, o que deu aos japoneses a posição bélica ofensiva, enquanto o primeiro buscava recompor suas forças. Em seguida, os Estados Unidos declararam guerra ao Japão.

A primeira grande derrota dos japoneses foi na batalha de Midway. Neste mesmo período, os Estados Unidos reestabeleceram o poder bélico e assumiram a ofensiva.

Em 1943, um exército anglo-americano derrotou as tropas do Eixo que eram comandadas pelo general alemão Erwin Rommell na batalha de El Alamein. Essa vitória acabou dando aos Aliados o controle do Mediterrâneo, abrindo uma segunda frente de avanço sobre a Alemanha. Depois da demissão de Mussolini, a Itália se rendeu e declarou guerra à Alemanha.

A terceira frente acabou por anular as forças alemãs estacionadas no Norte da Europa e avançaram pelo continente. Pouco depois, Paris foi libertada. Em 1º de maio de 1945, a bandeira vermelha foi hasteada no antigo Parlamento alemão.

Poucos dias antes da rendição que aconteceu no dia 8 de maio, Hitler e Mussolini acabaram morrendo. Hitler se suicidou com um tiro de pistola e Mussolini foi caçado por populares, fuzilado e seu corpo foi pendurado em uma praça de Milão.

No Oriente, esta luta ainda durou por mais dois meses. Depois de dominarem o conflito no Pacífico, os Estados Unidos lançaram uma bomba atômica sobre a cidade de Hiroxima e três dias depois, outra sobre Nagasáqui. O fim da Segunda Guerra Mundial se deu no dia 19 de agosto com a rendição total do Japão.