Causas, Consequências e Medidas Adotadas para Superar a Crise de 29


Um dos períodos econômicos mais difíceis vistos por muitos países, a Crise de 1929 ficou conhecida também como “A Grande Depressão”, pois, atingiu muitas pessoas e áreas de grandes países, como: Estados Unidos da América, Alemanha, Itália, França, Reino Unido, Austrália e Canadá.

A recessão na indústria estadunidense começou em junho de 1929, porém, a data 24 de outubro de 1929 foi adotada como o início oficial e histórica da Crise de 29 com a ocorrência do “Crash da Bolsa de Valores”.

Vejamos outros fatores e informações a respeito da Crise de 29.

Causas

Uma das principais causas que provocaram a Crise de 29 foi a Primeira Guerra Mundial, pois, deixou uma situação de devastação nos principais países europeus. Isso afetou diretamente a economia desse continente, o que gerou uma retração da demanda e consumo de bens e serviços.

Nesse contexto os EUA tornou-se uma das maiores potências, principalmente, com a função de um dos principais exportadores mundiais. Além disso, passou a investir fortemente na recuperação dos países europeus no pós-guerra.

Conforme a recuperação desses países europeus avançava, passavam a depender menos da produção industrial dos EUA, porém, o país americano não reduziu a sua produção, o que culminou no que é conhecido como “crise de superprodução”.

Nesse período a distribuição de renda americana era desigual e os níveis salariais dos trabalhadores era baixo, o que impedia que a população local consumisse o excesso da produção. Logo, começou a ter uma sobra muito grande de produtos.

Assim, de forma geral, as principais causas para a Crise de 1929 foram:

• Superprodução;
• Concentração de renda;
• Recuperação da economia europeia;
• Especulação na bolsa de valores.

Desse modo, muitos setores foram afetados, incluindo o bancário, pois, os bancos eram grandes investidores na bolsa de valores. Em consequência, esses bancos perderam muito dinheiro, situação em que levou muitos à falência. Assim, as pessoas não conseguiam resgatar o valor que tinham investido, pois, o banco não tinha o dinheiro para a devolução.

Consequências

Como você pode percebe no tópico anterior, as causas da Crise de 1929 foi como um “efeito dominó”, de modo que, uma ação gerou muitas outras ações e reações.

Por isso, foram inúmeras as consequências desse período. Veja a seguir as principais:

• Falência de muitos bancos;
• Falência de empresas;
• Alto índice de desemprego;
• Crise agropecuária;
• Reflexo na economia mundial;
• Reflexo no Brasil com a redução da exportação do café;
• Descrença no liberalismo e ascensão do nazismo, fascismo e do comunismo.

Diante das inúmeras consequências foi inevitável que afetasse uma grande parcela do mundo.

Superação da crise

Em 1932 ocorreu a eleição para eleger o novo presidente dos EUA, cuja a vitória foi de Franklin Delano Roosevelt. Seu principal desafio era tirar os EUA da grande crise em que se encontrava.

Sua estratégia de recuperação foi nomeada de “New Deal”, que foi o plano que deu certo em vencer a crise. Esse plano consistia em:

• Intervenção do Estado na economia;
• Controle das instituições financeiras;
• Controle dos investimentos na bolsa de valores;
• Intervenção e ação junto aos produtores da agropecuária para evitar a superprodução;
• Regulação da produção e da política de preços;
• Estabelecimento do salário mínimo;
• Regulamentação da jornada de trabalho;
• Benefícios sociais;
• Investimento público em infraestrutura.

No entanto, os EUA superou essa crise profunda somente com a Segunda Guerra Mundial, pois, sua produção bélica gerou maior estabilidade econômica nacional, além da sua força industrial em outros segmentos.

Dessa forma você pode compreender de forma global todos os elementos desde o início até o fim da Crise de 1929.