Como os Moais eram esculpidos na Ilha de Páscoa?


Os Moais são as esculturas gigantes feitas a partir das pedras do vulcão Rano Raraku, elas foram feitas pelos nativos chamados de ‘Rapanui’, que habitavam a Ilha de Páscoa há muitos anos atrás. Há dezenas de Moais espalhados por toda a pequena Ilha de Páscoa, localizada no Oceano Pacifico, a ilha polinésia pertence ao Chile.

As estátuas Moais eram usadas para cultuar antepassados importantes como, por exemplo, os guerreiros, reis e sacerdotes. Acredita-se que os Moais são homenagens aos líderes mortos do povo ‘Rapanui’. Umas das principais características dos Moais são suas cabeças enormes, rostos com semblantes enigmáticos e que parecem pensativos. A estátua mais conhecida é a “El Gigante” que não foi finalizada. Estudos analisam que se o “El Gigante” fosse concluído ele teria 21 metros se fosse erguido.

Moais eram esculpidos na Ilha de Páscoa?

 

As esculturas eram feitas em pedras calcárias porosas, originadas do vulcão Rano Raraku. Essas rochas vulcânicas são compostas de cinzas já consolidadas e são chamadas de tufos. Esse tipo de rocha ficava na encosta do vulcão e era utilizado para a construção dos Moais por ser um tipo de rocha mais “fácil” de se esculpir. Os Moais tem de cinco a sete metros de altura. Estudos apontam que os Moais datam do século XIII e XVI, pois quando os europeus chegaram à ilha polinésia, no século XVIII os Moais já estavam lá.

Primeiramente, os Moais eram esculpidos nas rochas, só depois eram levados até o ponto em que seriam erguidas, o último passo era colocar o ‘pukao’ uma espécie de coroa que simbolizava o cabelo das Moais. O ‘pukao’ era feito em crateras onde só havia rochas avermelhadas.

Quem esculpia os Moais? E como era o processo?

Acredita-se que os Moais eram produzidos por artesãos polinésios nativos da ilha. Os artesãos esculpiam diretamente as rochas que se localizavam dentro e fora das crateras do vulcão da ilha, o Rano Raraku. E depois da finalização das esculturas é que elas eram levadas até a costa da Ilha de Páscoa, onde se localizam até os dias atuais.

Para que as estátuas dos Moais permaneçam em pé até hoje na Ilha de Páscoa, metade do ‘corpo’ da estátua era enterrado no solo. O lugar onde os Moais eram colocados, ou seja, o altar das estátuas é chamado de ‘ahu’. Um ponto importante é que existem escrituras nas estátuas. Porém, até hoje não foi possível transcrever o que os Moais levam escritos em si.

• QUANDO FORAM CONSTRUÍDAS: Estima-se que as estátuas gigantes dos Moais foram esculpidas entre os anos de 1200 d.C a 1500 d.C.

• MOAIS DE COSTAS PARA O MAR: Uma característica peculiar é que todos os moais estão expostos de costa para o mar, olhando em direção ao vulcão Rana Raraku e ao interior da ilha. Acredita-se que elas foram colocadas nessa posição, pois assim os Moais “olham” para o interior da ilha, onde ficavam as aldeias dos ‘Rapanui’ – os nativos da ilha. Já que estudos revelam que os Moais são representações de pessoas que foram importantes para os nativos da ilha, como, por exemplo, reis e guerreiros.

• AHU NAU NAU: É o nome dado ao altar mais conhecidos dos Moais. O altar da praia de Anakena tem umas das estátuas com um maior número de detalhes conservados. Nela pode ser observar facilmente os traços faciais, os braços e o abdome presentes nas estátuas.

• AHU TONGARIKI: É o principal ponto turístico da Ilha de Páscoa. Ahu Tongariki é o maior altar da ilha Polinésia, têm 15 estátuas Moais e mede 200 metros de extensão. O altar fica no sudeste da ilha de Páscoa. Um maremoto no ano de 1960 danificou alguns Moais que chegavam a pesar em média 12 toneladas, sendo que um dos Moais deste altar pesava cerca de 80 toneladas. Porém, o altar foi restaurado 30 anos depois e atualmente encontra-se em ótimo estado.

• AHU AKIVI: É o único altar no interior da Ilha de Páscoa, já que os outros altares ficam nas encostas. Ahu Akivi é o nome dado ao primeiro altar restaurado na ilha polinésia no ano de 1960.

• CRATERA DE RANO RARAKU: É a cratera vulcânica com cerca de 500 metros de diâmetro, onde os artesãos polinésios esculpiam os Moais. Este local foi a pedreira mais importante da Ilha de Páscoa, é o lugar onde foram esculpidos os mais importantes moais polinésios.

• O MÉTODO RAPANUI: O modo como os nativos da ilha, os Rapanui faziam para transportar as estátuas até seus os locais onde seriam fixadas ainda é um mistério. Porém, alguns estudos indicam que eles faziam o trajeto com os Moais em troncos de árvores, outros com movimentos giratórios com a própria estátua. Já os habitantes da ilha de Páscoa, acreditam nas lendas em torno da utilização de forças espirituais utilizadas pelos sacerdotes rapanui para a movimentação dos Moais gigantes.