História do Chá


Consumido em todos os cantos do mundo e responsável por proporcionar inúmeros benefícios à saúde, o Chá é a segunda bebida mais consumida no planeta e, em especial, idolatrada nos países orientais. No entanto, a história do Chá, até os dias de hoje, ainda não é bem esclarecida ou exata. A China é considerada, pela maioria dos historiadores que estudam o Chá, o país de origem da bebida.

Diz a lenda acerca da história do Chá que o imperador chinês Shen Nong (ou Shen Nung), sucessor de Fu Xi, foi o responsável por descobrir a bebida obtida a partir da infusão de água quente com flores, folhas, ervas ou raízes. Em 2737 a.C., Shen Nong estava descansando embaixo de uma árvore enquanto seus servos ferviam a água. Quando foi tomá-la, folhas da árvore Camellia Sinensis caíram dentro da bebida e o imperador resolveu experimentar, ficando encantado com o sabor da mistura.

historia do cha

A China e a Descoberta do Chá

Conhecido pelo seu povo como o “Curandeiro Divino” ou “Fazendeiro Divino”, o imperador Shen Nong dedicou a maior parte de sua vida à descoberta de plantas, flores e ervas que pudessem ter efeitos medicinais. Após descobrir o Chá por um acaso, o chinês se empenhou em difundir a bebida e torná-la popular em seu país. Lenda ou não, a história do Chá ficou assim conhecida e hoje, milhares de anos depois, ainda é uma bebida que sempre apresenta novos benefícios e virtudes à saúde.

Muitos anos após a descoberta da bebida pelo imperador Shen Nong, entre os anos de 618 e 906 d.C., o Chá foi classificado como a bebida nacional da China. Em aproximadamente 780 d.C, o poeta e monge budista chinês Lu Yu escreveu uma espécie de manual sobre as formas de cultivo dos chás, além de descrever em sua obra, também, os cerimoniais e as tradições espirituais relacionadas à bebida. O livro de Lu Yu, hoje considerado o “Sábio do Chá”, recebeu o título de Ch’a Ching.

Anos depois, o Chá começou a ganhar popularidade em outros locais além da China. A bebida foi levada para o Ocidente através da Rússia e da Ásia Central. Porém, apenas no século XVI, época em que os lusitanos seguiram rumo ao Extremo Oriente, o Chá foi levado para os países da Europa. A partir de então, a bebida virtuosa começou a ser divulgada e comercializada por todo o Continente Europeu.

Popularização do Chá em todo o mundo

O Reino Unido é conhecido em todo o planeta pela tradição do “Chá da Tarde” e trata-se de um dos países onde a bebida é mais consumida, de forma cultural. No entanto, curiosamente, o Chá só chegou na Inglaterra por volta de 1662, quando a princesa portuguesa Catarina de Bragança difundiu a cultura da bebida. Casada com o Rei Carlos II da Inglaterra, Catarina promovia “Tea Parties” (Festas do Chá), eventos onde as mulheres passaram a conhecer a infusão. Só depois o Chá passou a ser consumido, também, pelos homens britânicos.

No final do século XVII, de acordo com a história do Chá, a bebida podia já podia ser encontrada em cafés do Reino Unido e o consumo já era bastante popular por lá. O Chá, até esse momento, era consumido a qualquer hora do dia. Foi no início do século XIX, por volta de 1840, que nasceu a tradição do “Five O’Clock Tea” (Chá da Tarde), impulsionada pela sétima Duquesa de Bedford de Londres, Anna Maria Russel.

No Brasil, e em diversos outros países, o Chá começou a ser cultivado no século XIX. Diz-se que a qualidade dos cultivos brasileiros era alta, porém o país não conseguiu competir com os preços dos Chás cultivados na Ásia. Atualmente, a região do Brasil mais rica em relação ao cultivo de Chá está no estado de São Paulo, no Vale da Ribeira. Tendo a maior parte da produção voltada para a exportação, hoje a qualidade do Chá brasileiro é inferior à qualidade dos primeiros cultivos.

A Cultura do Chá

Após ganhar, praticamente, o mundo todo, o Chá é uma bebida que faz parte da cultura de diversos países, além da China e do Reino Unido. A Índia é o segundo país que mais produz Chá no mundo, sendo o “Chaai” (termo utilizado na Índia para designar a infusão) uma bebida muito consumida pelos indianos em ocasiões como café da manhã e jantar. Na versão indiana, o Chá ganha o acréscimo de leite e açúcar.

No Japão, uma série de rituais e tigelas próprias, fabricadas em cerâmica, são utilizadas para tomar o Chá, que é tido pelos japoneses como a “bebida que cura”. Essa cultura foi adotada ainda no século XII e influenciou a popular “Cerimônia do Chá Japonesa”, que obteve o seu formato final, tal como conhecemos, no século XVI. Nesta cerimônia, os japoneses tomam o Chá Verde (matcha).

Outros países, ainda, são adeptos da Cultura do Chá, como a Grã-Bretanha, onde as pessoas tomam a infusão até com cerveja; o Sri Lanka, onde o Chá é servido de forma semelhante à cultura inglesa, com o acréscimo de leite aquecido e açúcar; e nos Estados Unidos, onde os Chás mais populares são os gelados (Sun Tea).