História e Origem do Cartão de Crédito


ORIGEM CURIOSA

Na década de 1920 era comum que hotéis, bares e outros comércios oferecessem crédito a seus clientes mais assíduos, mas a reinterpretação dessa prática em forma de um cartão que faz transações monetárias de forma eletrônica teve o início de sua história em 1950, ganhando vida nos Estados Unidos da América, graças a um restaurante nova-iorquino.

O “Diners Club Card”, primeiro cartão de crédito do mundo, teve sua origem a partir de um imprevisto. Depois de um jantar na cidade, o empresário Frank MacNamara notou que tinha esquecido seus talões de cheque e não trazia consigo dinheiro vivo, assim como seus convidados. O dono do restaurante, sem outra opção, topou que a conta fosse paga no dia seguinte desde que Frank desse sua assinatura na fatura em que constavam as despesas. O empresário teve então um “insight”, percebendo o poder daquela nova forma de pagamento.

Cartão de Crédito

No mesmo ano, a história e a sorte dos envolvidos na criação dessa ferramenta poderosa já começava a mudar o “Diners” já era aceito em 27 restaurantes dos EUA, com 200 adeptos- a maioria amigos de MacNamara. Dois anos mais tarde, nasce o primeiro cartão internacional, sendo aceito em restaurantes e hotéis. Em 1955 o material passou de papel cartão para plástico, forma padrão pela qual ainda é conhecido até os dias atuais. Em 1960, mais de 50 países ao redor do globo já efetuavam e recebiam pagamentos através do cartão de crédito, que já não era exclusividade de apenas uma empresa, ganhando concorrentes do calibre da “American Express” e “BankAmericard” (que mais tarde se tornaria uma das bandeiras mais famosas do planeta: a “Visa”).

O início da história do cartão de crédito no Brasil se deu pelas mãos do executivo tcheco Hanus Tauber. Juntamente com seu sócio Horácio Klabin, foi o responsável por introduzir, em 1956, o cartão de crédito no Brasil, após adquirir uma franquia da “Diners”, que, no começo, não era um cartão de crédito, mas de compra. O “Credicard” foi o primeiro cartão proveniente de um banco, que mais tarde, em 1984 comprou sua concorrente. Seis anos depois, o primeiro cartão de crédito internacional foi lançado no país, e após uma década, em vista do Plano Real em vigor no governo FHC, o sucesso do negócio se consolidou de uma vez por todas.

Prós, Contras e Funcionamento

O cartão de crédito basicamente oferece ao cliente a possibilidade de efetuar pagamentos sem a urgência de ter o dinheiro no momento em questão, pois o portador tem crédito com uma empresa ou até mesmo um banco, que se prontifica a pagar a conta por ele, sabendo que também irá receber do sujeito em uma determinada data pré-estabelecida, caso contrário sofrerá uma multa (juros), fonte principal do lucro das empresas envolvidas.

Ao longo do tempo, os cartões de crédito foram ganhando renovações em sua tecnologia, a fim de oferecer mais conforto e segurança tanto para os portadores quanto para os comerciantes, como por exemplo, a troca da tarja magnética pelo chip (com origem no Reino Unido em 2004), que tem um armazenamento maior de informações em comparação com a tarja (mais passível de fraude por furto e falsificação de assinatura), que, curiosamente, ainda cobre a maior parte dos usuários nos Estados Unidos.

Ao fazer uma compra é a mesma velha história de sempre: o cartão passa por um processo complicado e dividido em diversas etapas, mas geralmente não levando mais de 1 segundo para isso. Ele é passado (caso possua tarja) ou inserido (chip) na leitora, que converte os dados (nome e telefone da pessoa; número e código de segurança do cartão; data de expiração, etc.) em um pacote que é enviado à credenciadora (responsável pela máquina leitora), que em seguida contata a empresa a qual o cartão pertence, ativando o banco responsável pela conta corrente do cliente, aprovando assim o processo e efetuando o pagamento no momento da compra.

Entre os benefícios do cartão de crédito pode-se citar:

* A possibilidade de poder parcelar o pagamento;
* Efetuar compras online;
* Ter uma maior comodidade com as extensões dos prazos de pagamento.

Por mais que economizem um tempo precioso que seria empregado com burocracias, é necessário, no entanto, ficar atento a alguns pontos. A maioria das empresas de cartões de crédito (chamadas bandeiras) cobra uma taxa anual por seus serviços. Os problemas podem começar a acontecer se os serviços não forem utilizados com inteligência. Deve-se evitar:

* Atraso no pagamento da fatura na data estipulada, acarretando os famosos juros, que acumulam sem parar;
* Ter mais de um ou dois cartões de crédito, que podem provocar uma bola de neve;
* Aceitar aumento de limite oferecido deliberadamente pela empresa responsável do cartão, que incentiva um gasto maior do que o que se pode arcar.

Essa invenção de ouro, portanto, tem uma história de origem perspicaz e interessante, e apresenta-se como uma estrada de mão dupla: pode facilitar ou acabar com a vida de uma pessoa; e, assim como as doses de uísque do famigerado jantar de Frank MacNamara em Nova York, deve ser administrada com sabedoria.