Queruscos


Os queruscos foram uma tribo oriunda de terras germânicas. O local onde eles habitavam era a Baixa Saxônia, mais precisamente em uma região próxima ao local onde hoje é Hamburgo, considerada hoje em dia como a segunda maior cidade da Alemanha e a oitava maior da União Europeia.

Queruscos

Os queruscos, que faziam parte dos gauleses, tiveram o seu auge durante o século I antes de Cristo e o século II depois de Cristo. A origem do nome dessa antiga tribo vem do idioma gaulês e é uma referência a um tipo de cervo dotado de chifres avantajados.

Algumas características dos queruscos eram:

– Possuíam tendências bélicas
– Dominavam a agricultura
– Contavam com crenças politeístas
– Conheciam alguns procedimentos medicinais avançados para o período

O contato com o poder de Roma

Os Queruscos, tal e quais outros povos que habitavam domínios germânicos, também travaram contato com o Império Romano. A partir do momento que Roma investiu em uma política expansionista de ampliação territorial, avançou para as regiões localizadas mais ao norte da Europa, atingindo assim a região do rio Reno. Nessa expansão foi quando ocorreu um contato inicial entre romanos e queruscos. Durante um primeiro momento, os queruscos se demonstraram uma tribo amistosa, bem como demonstraram ter uma boa relação com os romanos quando estes avançaram por regiões germânicas. No entanto, nesse período ocorreu uma divisão. A tribo se dividiu em dois grupos distintos.

Um dos grupos era liderado por Armínio, já o outro grupo, por sua vez, eram liderados por Segestes. Essas duas facções possuíam opiniões distintas em relação ao modo de como deveriam agir diante do poder de Roma.

Sendo assim:

– Armínio: Foi um combatente treinado como um bravo e estrategista militar. Mais tarde obteve a cidadania romana antes de efetuar o seu retorno para a Germânia. Armínio apoiava uma ruptura da lealdade que os queruscos possuíam diante da força romana. Armínio almejava para os queruscos total autonomia e independência.

– Segestes: Chefe e líder militar chegou a avisar o imperador Públio Quntílio Varo acerca das intenções rebeldes de Armínio. Segestes apoiava que os queruscos mantivessem laços com o Império Romano.

O conflito de ideias entre os dois grupos fez com que Armínio efetuasse uma rebelião contra o império, culminando em um grande conflito que resultou na derrota dos queruscos. O conflito ficou conhecido como A Batalha da Floresta do Teutoburgo, que também ficou conhecida como o Desastre de Varo.

A referida batalha ocorreu quando os aliados de Armínio emboscaram e praticamente derrotaram três legiões romanas. As referidas legiões tinham como líder Públio Quintílio Varo, que demonstrou surpresa diante da traição de Armínio. Após o massacre promovido pelas tropas de Armínio, foi estabelecido que o rio Reno se tornasse fronteira do Império Romano pelos séculos vindouros, fato que consolidou uma significativa distância entre as culturas de Roma e da Germânia, bem como promoveu uma notória queda da influência do Império Romano em todo o território da Europa Ocidental.

Influência da cultura celta e outras características

O nome “Querusco” denota para uma possível vertente celta da tribo, visto que a palavra é finalizada de modo semelhante ao de outros nomes de tribos que constituem a cultura celta, entre eles é possível citar:

  • Escordiscos: Tribo que compreendia a região onde hoje em dia é a Áustria e também alguns países da região leste da Europa.
  • Nóricos: Povo que habitava uma antiga região montanhosa nas proximidades da Itália. No final do século V após a queda do Império Romano do Ocidente, a região onde habitavam os nóricos passou a ser parte integrante do Reino Ostrogodo da Itália.
  • Táuricos: Tribo que habitavam região onde hoje compreende a Grécia e outros territórios próximos. Eles possuíam uma nítida influência de costumes e crenças celtas.

Além disso, é salutar lembrar que alguns celtas habitavam a região onde hoje em dia está a Alemanha. A presença deles pode ser detectada desde antes do início das migrações germânicas, cambiando a composição étnica da região. A germanização destas tribos celtas ocorreu de forma gradual. Vale salientar também que outras tribos na região germânica contavam com origens celtas, tais como, entre elas é possível salientar os Teutões, Sicambros, Boios (na região da Boêmia), Ambrones e Cimbros.

Uma significativa parte da população que compreende a Europa ocidental fazia parte das etnias celtas até o momento em que tais territórios foram conquistados pelo Império Romano. Os celtas se organizavam em várias tribos que se estendia pela Europa desde a Península Ibérica até o trecho onde se está a região da Anatólia. Muitos dos povos celtas foram conquistados pelas legiões do Império Romano, bem como passaram por sofrer um processo de cristianização.

Considerados os introdutores do trabalho de metalurgia na Europa, os celtas exerceram uma influência que jamais desapareceu na cultura local. Os queruscos contavam com influências celtas em seus costumes.