Reino Arábico: Religião, Cultura, Arquitetura e Economia


Reino Arábico

Apesar de não ser tão conhecido como diversos outros Reinos, o Reino Arábico foi um dos mais poderosos e de maior influência na história. Até o século VII o território que hoje pertence aos países árabes era uma grande mistura de tribos com religiões e costumes diferentes.
Com a criação do Islamismo, Maomé decidiu unir todas essas tribos sob um único estado, comandado pelos princípios da religião islâmica. A partir daí, o Reino se expandiu por grande parte da África e maior parte da Ásia menor, até que chega ao seu fim no século XIV, quando ocorreu o desmembramento das províncias.

Economia
A economia era fortemente baseada no comércio, o que criou um importante polo comercial. Da África era retirado o marfim, o ouro e os escravos. Da Índia, as especiarias. Da China, o papel, a bússola, a pólvora e a seda.
Com condições econômicas tão favoráveis, foram responsáveis por diversas inovações. Foi através desse povo que culturas como a de limão, laranja, tâmara, arroz, pêssego, dentre diversas outras foram difundidas, assim como as técnicas de irrigação trazidas da Mesopotâmia e do Egito.
Também tiveram um importante papel na indústria, uma vez que foram pioneiros na fabricação de drogas, perfumes, tecelagem e mesmo metalurgia.

Cultura e arquitetura
O Reino Árabe teve um importante papel na literatura, uma vez que foram responsáveis por traduzir e adaptar diversas obras gregas, persas e hindus sobre contos, antologias e filosofia, além de terem confeccionado o alcorão, livro máximo da religião islâmica.
Também teve importância notável na química, uma vez que através da crença na pedra filosofal e no elixir da vida, descobriram diversos elementos químicos, como o ácido nítrico e o nitrato de prata. Essa importância para as ciências também se mostra na geografia, por meio da cartografia e astronomia.
No entanto, o campo científico em que os árabes possuem maior destaque é na matemática, uma vez que além de terem importantes contribuições na trigonometria e álgebra, também foram responsáveis por difundir o zero e algarismos arábicos.
Por sua vez, a arquitetura recebeu influência dos persas e bizantinos. Assim, suas principais características são arcos em forma de ferradura, mosaicos e colunas, que podem ser observadas nas mesquitas e palácios.