Resumo do anarquismo


Chamamos de anarquismo, um movimento político que tem como objetivo a defesa das opressões vigentes e de supressão de todas as maneiras de dominação da nossa sociedade atual, ou seja, da anarquia. Essa defesa dá lugar a uma comunidade mais igualitária e fraterna, que é fruto de um esforço individual a partir de um árduo trabalho de conscientização.

O anarquismo é conhecido por ser uma ideologia que nega valores políticos e sociais do mundo moderno, como por exemplo a lei, o estado laico, o conceito de propriedade privada, a ordem e também a religião. O termo anarquismo vem do idioma grego, e ao contrário do que muitos devem pensar, ele não é sinônimo de baderna ou de desordem. O seu significado está bem próximo a ‘sem governo’, resumindo dessa maneira a oposição a uma política que possa limitar qualquer forma de poder e as liberdades de cada indivíduo.

anarquismo

Em território brasileiro, o termo anarquismo e toda a sua ideologia passou a ser conhecida no final do século XIX, quando os imigrantes oriundos da Europa, em especial os espanhóis e os italianos aqui chegaram. Podemos dizer ainda, que essa ideologia sofreu forte influência até o fim da Segunda Guerra Mundial.

A história do anarquismo

John Locke, um importante ideólogo e filósofo inglês, foi o grande precursor dessa filosofia. Ele é considerado o representante principal do empirismo britânico. Segundo seus conceitos, as ideias se originavam através dos sentidos, rejeitando ainda a doutrina das ideias consideradas inatas. Ainda segundo Locke, haveria um contrato voluntário, onde os indivíduos deveriam possuir igualdade no que se refere a deveres e a direitos. Os liberais e os anarquistas foram os primeiros a extrair implicações políticas profundas, utilizando como base as ideias desse filósofo inglês. Isso tudo aconteceu no fim do século XVIII, momento em que surgia um movimento estruturado do anarquismo, atraindo seguidores pelo mundo todo e dando origem a uma corrente autônoma na política.

Os indivíduos anarquistas são conhecidos por terem pouca inclinação com a constituição de grandes organizações, dando origem a grupos distintos e dispersos, que lutam em suma ao redor de seis ideais, como ação direta, educação libertária, direitos fundamentais dos indivíduos, crítica aos preconceitos morais e ideológicos, auto organização e sociedade global.

Os ideais do anarquismo

O conceito de direitos fundamentais dos indivíduos acaba se traduzindo na ideia de priorizar o indivíduo diante de uma sociedade. Isso porque todas as pessoas nascem livres e são únicas, e além disso, possuem um grande conjunto de direitos considerados naturais, que não pode ser colocado em dúvida por nenhuma sociedade já criada ou que venha a ser criada.

A ação direta por sua vez, é um ideal do anarquismo que acaba por rejeitar o sistema de representação, dando destaque portanto ao valor das ações diretas que os indivíduos fazem na sociedade real. No final do século XIX e também no início do século seguinte, alguns indivíduos anarquistas participavam do assassinato de figuras conhecidas da política, baseando-se nestes conceitos. Além disso, essa ideologia teve forte influência nas mobilizações trabalhistas e nos sindicatos.

Outro ideal anarquista e a presença de uma crítica aos preconceitos morais e ideológicos. Isso porque esses indivíduos acreditavam que era necessário que todas as condicionantes mentais fossem destruídas, para que assim, o indivíduo pudesse ser realmente livre e pudesse então agir e se assumir como tal.

O conceito de auto organização acaba recusando qualquer maneira de poder já estabelecido. Por isso, a maioria dos indivíduos anarquistas procuram estabelecer conceitos e organizações próprias, que são por consequência, o resultado de uma ação voluntária e consciente de seus membros, mantendo assim uma sociedade igualitária, com o objetivo de impedir que novas relações de poder se formem.

O conceito de educação libertária diz respeito à criação de uma nova sociedade. Isso porque a educação ajuda no processo de cultura e de engrandecimento de todos os indivíduos, sendo caracterizados como as bases para uma sociedade melhor.

Podemos dizer que um dos grandes ideais dos anarquistas é a composição de uma sociedade no planeta em que a circulação de pessoas fosse livre e permitida e que acabasse com a guerra entre os países.

Existiam alguns movimentos que se opunham ao anarquismo, e se inspiravam na ideia de que os indivíduos teriam que ser totalmente livres para então conseguirem alcançar a tão sonhada liberdade. Isso significa dizer, que este ideal defende a liberdade dos homens, não por parte de suas instituições, mas sim por eles mesmos.

Vale ressaltar ainda que este ideal é bem diferente do comunismo e do socialismo, já que é o único dos movimentos que se caracteriza por ser um inimigo absoluto do estado. No entanto, muitos de seus objetivos e hipóteses acaba sendo compartilhado com esses ideais. Por isso, é comum dizermos que o anarquismo ajudou no amadurecimento do comunismo e do socialismo, e não atua de maneira única em pontos considerados de grande importância.