Resumo do Renascimento


Renascimento

O renascimento é um movimento artístico que possui uma grande importância na história da arte e do mundo como uma forma geral, uma vez que mesmo o avanço do capitalismo e suas características possuem origens com artistas renascentistas e suas ações.

No período histórico, o renascimento ocorreu entre os séculos XIV e XVI, quando a cultura greco-romana passou a exercer uma grande influência sobre os artistas e principais nomes do renascimento.

Aliado a isso, neste mesmo período passou a haver uma elevação dos valores da burguesia, em detrimento à supremacia religiosa e da nobreza existente até então, fazendo com que o renascimento tenha muito de sua história ligada a esta inversão de valores ocorrida no período histórico.

Características do Renascimento

De uma maneira geral, o Renascimento pode ser caracterizado como um movimento não eclesiástico, científico e racional. Assim, é um movimento que vai contra a maioria dos valores conhecidos até então, especialmente aqueles referentes à igreja.

Assim, o Renascimento pode ser definido como um processo de volta dos valores clássicos, especialmente das sociedades greco-romanas, fazendo com que se deixassem para trás os elementos medievais, muito deles impostos pela igreja e derrubados com o renascimento.

Além disso, o Renascimento coloca o homem como o centro de todo o universo, no chamado antropocentrismo renascentista. Desta maneira, há uma reformulação total em relação ao teocentrismo pregado durante toda a idade medieval.

Também com relação ao homem, o Renascimento faz com que o ser humano passe a ser visto como ser racional, dotado de razão e capaz de interpretações, criações e conhecimento, assemelhando-se desta maneira a Deus.

Outra característica do Renascimento é a inspiração dos artistas deste período em vestígios de antigas civilizações italianas, país no qual o Renascimento encontrou sua maior expressividade, conquistando assim seu ápice e estando diretamente ligado com o país europeu.