Resumo sobre os povos Teutões


Você conhece a cultura e história do povo Teuton? Esse povo, mais conhecido como Teutões, ocupavam o centro e o norte da Europa no século 120 a.C. Eles possuem uma relevante importância para a história mundial. Para ajudar compreender melhor sobre o assunto, preparamos esse resumo sobre Teutons.

Resumo sobre os povos Teutões

A história dos povos Teuntons

Os Teutons são os descendentes do antigo Império Franco e se constituíam a partir de uma junção de diferentes povos que ocupavam as terras germânicas na época. Entre os principais estavam os suevos, burgúndios, lombardos, saxões, francos, godos, gépidas e longobardos. O termo Teutons, na época, tinha como referência designar as pessoas que eram falantes das línguas germânicas.

Esses povos ocupavam uma península entre o extremo norte da Alemanha e uma parte continental da Dinamarca. Essa região era conhecida como Jutlândia. A mesma área também já foi chamada de Címbrica, em virtude de outros grandes povos que viveram ali como os jutos, combros e anglos.

Todos esses outros povos conviveram e se misturaram com os Teutons durante a sua permanência na Jutlândia. Sendo assim, a principal aliança dos povos Teutons foram com os cimbros, tanto que depois dessa união, os dois povos migraram em conjunto para o sul e para o oeste, onde chegaram ao vale do rio Danúbio e até a região de Gália.

Nessa região, esses povos enfrentaram diversos conflitos como invasores no quais saíram vitoriosos. Eles foram derrotados e separados em 102 a.C. pelo Império Romano, que na época era comandado pelo general Caio Mário.

Ao perder a batalha para os romanos, os Teutons perderam o seu grande líder Teutobod. Além disso, as mulheres do grupo foram capturadas e forçadas a formar matrimônio com os romanos. Eram cerca de 300 mulheres que preservavam a tradição e religião de seu povo. Elas recusaram a oferta do povo inimigo e suplicaram para que apenas fossem aprisionadas. Como o pedido não foi atendido, em uma manhã todas foram encontradas mortes em virtude de um suicídio coletivo.

Os Teutons resistiram ao tempo e a partir do século II passaram a viver mais próximo da Alemanha Central. Em 962, Otto I tornou-se o primeiro imperador do auge do Império Romano-Germânico.

O alcance do seu império atingiu partes da Polônia, Alemanha, Suíça, Áustria e Itália, bem como os países Baltícos, como a Lituânia, Estônia e Letônia. Por serem povos oriundos da cultura germânica, os Teutons conseguiram se beneficiar dessa aliança do império germânico e romano. Dentre as principais ampliações desse povo está o conhecimento da cultura italiana, bem como o entendimento da ciência e das artes, além de prosperarem no comércio.

Nos anos seguintes começaram as grandes expansões religiosas com as cruzadas. Aos poucos, os Teutons foram convertidos do paganismo para o cristianismo. Essa transição os fez a se aliarem juntamente com os povos romanos.

Toda essa junção fez com que surgissem alguns nomes que são conhecidos até a atualidade. Os cavaleiros teutônicos e outros soldados da cultura germânica foram recrutados pelos romanos. Eles eram treinados para manter a paz no Império, impedir rebeliões de civis e impedir ataques de povos rebeldes e vikings.

Por ser a época das cruzadas, alguns Teuntons também foram recrutados para manter a ordem na Igreja Católica. Os cavaleiros teutônicos forma um dos principais agentes nas Cruzadas, onde difundiam o cristianismo para outros povos através da força e violência.

Esses faziam parte da Ordem dos Cavaleiros Teutônicos de Santa Maria de Jerusalém que teve seu início no século XII e teve a sua origem em Israel e rapidamente espalhou-se por toda a Europa. A Ordem Teutônica em suas expedições acumulou grandes propriedades de terras.

Os soldados dessa ordem tinha como principal característica as suas vestes brancas com uma aparente cruz negra. Grande parte dos membros da Ordem eram descendentes dos teutons que faziam partes de famílias nobres germânicas. A Ordem foi extinta em 1809, por determinação do francês Napoleão Bonaparte.

A importância dos povos germânicos

Para complementarmos esse resumo sobre os Teutons, precisamos discutir sobre as principais características dos povos germânicos que possuem uma grande importância histórica e são originários dos Teutons.

Como dissemos anteriormente, devido as expansões do império romano, os Teutons foram generalizados e toda a sua história se unificou. Portanto, listamos algumas características e cultura desse povo.

Toda a estrutura social desses povos eram baseadas em famílias monogâmicas e patriarcais. Sendo assim, eram divididos em tribos e todas eram constituída por um chef que exercia funções religiosas, militares e judiciais.
A separação das classes sociais germânicas eram divididas entre a nobreza, homens livres, homens semi-livres e os escravos. Dentre as principais atividades econômicas do povo, estavam a agricultura e pecuária. Na questão religiosa veneravam a deuses nórdicos como Thor e Odin. E seus registros na humanidade são escassos, pois preocupavam-se apenas em gravar runas em joias e armas.