Vândalos


Quando pensamos no termo vândalo logo vem a cabeça ações de baderna e destruição de bens públicos ou particulares. Mas, na verdade o termo já existe há muitos anos e deriva de um povo que existiu na época do Império Romano.

Vamos agora falar sobre a origem e história deste povo, os Vândalos.

História: Origem e conquistas

Povo de origem germânica, e, naturais da Escandinávia, os Vândalos existiram há milhares de anos. De acordo com alguns pesquisadores, teriam como terra natal o território que hoje pertence a Noruega.

Como surgiu os Vândalos

Divididos em duas tribos podiam ser: Siling, que viviam na região conhecida como Magna Germânia, ou Hasding que se estabeleceram no território que pertence a Romênia atualmente.

Durante a migração, os vândalos teriam chego a três territórios, sendo eles: Margem do Danúbio, Península Ibérica e Norte da África.

Na região da Margem do Danúbio alcançaram o Rio Reno (ambos localizados na Europa), entrando em combate com os Francos, outra tribo germânica.

Durante tal batalha acredita-se que por volta de 20 mil Vândalos teriam morrido. Além disso, discute-se a participação de outro povo durante esse embate, os Alanos (povo de origem iraniana), que teriam auxiliado na derrota dos Francos.

Tão logo venceram a batalha, os Vândalos atravessaram o Rio Reno chegando a Gália, local onde foram responsáveis por diversos saques.

No ano de 409 teriam chegado a Península Ibérica (Sudoeste da Europa), lá receberam alguns territórios doados por Romanos. Nessa região, o confronto teria sido com outro povo germânico, os Suevos, mas desta vez a batalha foi perdida.

Com o passar dos anos os Vândalos foram aperfeiçoando suas técnicas de batalha e de conquista de território. Arquitetaram uma esquadra naval, utilizada para chegar até o Estreito de Gibraltar (localizado entre a Europa e a África), dessa forma conquistaram Cartago e boa parte do Norte do continente Africano. Em parceria com os Alanos criaram um forte reino dono da Sicília, Sardenha, Córsega e Ilhas Baleares.

Povo Bárbaro<h/2>

O termo “bárbaros” era utilizado pelos Romanos para caracterizar os povos que não viviam nas fronteiras do Império e não falavam latim, idioma oficial dos Romanos.

Além de protagonizarem grandes batalhas, entre as principais características desses povos estavam a ousadia, grandes pilhagens e a conquista de território a qualquer preço. Com os Vândalos isso não era diferente, tanto é que no ano de 455 saquearam a capital romana por duas semanas, nesse período enfrentaram e derrotaram uma armada enviada pelo próprio Império Romano.

Uma curiosidade sobre esse povo é que apesar de serem convertidos cristãos, mais de uma vez duelaram com os romanos não apenas por questões territoriais, mas também religiosas.

Dois lados de uma mesma história: A origem do termo “Vândalo”

Muito se fala das grandes contribuições do povo Romano para as artes, a história, arquitetura e demais campos do conhecimento. Entretanto é necessário analisar a história com um olhar mais crítico, principalmente no que diz respeito aos povos bárbaros, o que inclui os Vândalos.

É necessário dizer que os romanos eram um povo escravocrata, e que, portanto, ao conquistarem territórios obrigavam os povos destes lugares a trabalharem de forma escrava em construções como a do Coliseu, por exemplo. Parece muito óbvio que nenhuma conquista feita pelo Império Romano tenha sido de forma pacífica.

Logo que os “povos bárbaros” começaram a invadir as fronteiras romanas, duelar com as frotas do Império, e saquear as cidades, fizeram algo, que até então, só tinham visto acontecer com seus respectivos povos.

Os Vândalos e demais grupos que protagonizaram as invasões bárbaras também tinham seus motivos para invadir Roma e causar uma grande confusão, afinal, eles queriam derrubar um império que foi construído em cima da vida de muitas pessoas que pertenciam as suas culturas.

Por isso, muitas vezes a mídia e outros órgãos, principalmente os de segurança, utilizam o termo vândalo para descrever pancadaria, selvageria e destruição. Mas na verdade, para muitos estudiosos, os vândalos não passavam das grandes massas populares cansadas de tanta humilhação e em busca de cobrar o que lhes foi retirado.

De acordo com alguns pesquisadores, o termo vândalo teria sido utilizado, pela primeira vez, no Século XVIII para descrever ações de selvageria e destruição, e desde então, vem sendo utilizado.

Decadência e fim do povo Vândalo

Uma crise interna teria sido responsável pelo Rei dos Vândalos, Hilderico, ser deposto e mandado à prisão junto com outros parentes.

Por volta de 533 percebendo a fragilidade do povo bárbaro Justiniano I, Imperador Bizantino, declarou guerra aos vândalos e enviou ao continente africano, local onde esses tinham se estabelecido um exército que contava com o apoio do povo Ostrogodo (de origem germânica) e outras tribos indígenas que tinham o mesmo desejo: derrubar os Vândalos.

Lá alcançaram o povo Vândalo enquanto este participava de duas batalhas, uma em Cartago e outra em Tricamaro. Apesar de resistir o povo se entregou e o Rei Gelimero não demorou a fazer o mesmo. Os Vândalos foram totalmente extinguidos no ano de 534.