Autores e Características da Segunda Geração Romântica


Os autores da segunda geração romântica se inspiravam em Lord Byron, Giacomo Leopardi, Goethe, Chateaubriand e Alfred de Musset e, inclusive, foram conhecidos também pelo nome de “byronianos”. Byron foi um poeta britânico do século XIX, e um dos mais importantes representantes do romantismo inglês. Seu verdadeiro nome era George Gordon Byron, e suas principais obras são “Horas de Lazer”, “A Peregrinação de Childe Harold” e “Don Juan”, sendo que esta última não foi acabada, pois o autor morreu antes de terminá-la. Um dos termos que estão associados à Byron é ‘spleen’, que quer dizer tédio, mau humor e melancolia, e esses sentimentos quase sempre são causados por amores não correspondidos ou por acreditar que a vida não faz sentido, pois a morte se aproxima, temas que são recorrentes nesta poesia ultrarromântica.

autores e caracteristicas da segunda geracao romantica

As obras de Lord Byron demonstram este pessimismo romântico, e o poeta apresentava uma tendência de se voltar contra a sociedade. Em seus textos o escritor assumia uma postura rebelde e ia contra a moral e as imposições religiosas.

Esta segunda geração romântica é mais identificável na poesia, e seu ponta pé inicial é dado quando o livro “Poesias” de Álvares de Azevedo é publicado em 1853. Agora, ao contrário da primeira fase romântica, o índio e a pátria já não são mais o foco, e esses assuntos dão espaço para o sofrimento, o amor e a idealização de uma mulher que é impalpável. Falar sobre sentimentos e fantasia pede uma versificação mais livre, portanto os poetas desta segunda geração romântica não se prendiam mais tanto às formas preestabelecidas.

Já com relação às crônicas e prosas jornalísticas, a segunda geração romântica tomou conta delas em 1856, quando Gonçalves de Magalhães publicou “Confederação dos Tamoios”, um poema épico que iniciou a principal polêmica deste movimento, que foi entre os defensores de Magalhães e o escritor José de Alencar.

As principais características da segunda geração romântica

Nas obras desta segunda geração romântica os autores destacavam o individualismo, o egocentrismo, o negativismo, a dúvida, a desilusão (geralmente a amorosa), e falavam bastante sobre o tédio e sentimentos ligados à fuga da realidade, que caracterizam esta fase que, também, é chamada de ultrarromântica. Os temas que mais aparecem nas obras são a idealização da infância, a representação das mulheres virgens com as quais os escritores sonhavam e a exaltação da morte.

A segunda geração romântica se desvencilhou do pensamento nacionalista para tratar de um sentimentalismo exagerado. Essa fase também ficou conhecida como Mal do Século, e teve como características o subjetivismo extremo, no qual os autores faziam um grande culto ao “eu”.

Os principais poetas da segunda geração romântica no Brasil foram Álvares de Azevedo, Junqueira Freire, Casimiro de Abreu e Fagundes Varela. E nenhum deles conseguiu chegar a plenitude de sua juventude, pois morreram muito novos acometidos por patologias advindas do modo de vida que levavam. Por serem muito pessimistas, estes escritores gostavam de locais escuros, sombrios e úmidos para ficarem, sendo boêmios noturnos e gostando muito de beber, pois o álcool servia como mais uma fuga da realidade.

Os poetas da segunda geração romântica

Álvares de Azevedo é o escritor que iniciou essa segunda fase do romantismo no Brasil e tem vários poemas com essa temática focada no pessimismo e na obsessão pela morte, que são relatados em “Um Cadáver de Poeta”, “Se Eu Morresse Amanhã” e “Lembrança de Morrer”. Azevedo também escreveu dois ensaios respeitáveis neste período, “Jacques Rolla” e “Literatura e Civilização em Portugal”, que foram criados entre os anos de 1849 e 1850. Nos dois textos o autor fala, principalmente, sobre o que considera como belo e sobre psicologia literária. O escritor faleceu antes de completar vinte e um anos, vítima da tuberculose e de uma infecção resultante de um acidente de cavalo.

Além disso, muitos consideram que a obra de Azevedo conta com características góticas, porque fala de paisagens sombrias, mulheres em perigo, personagens misteriosas envoltas em vultos e véus, entre outros.

Já Casimiro de Abreu nasceu no Rio de Janeiro e começou a escrever poemas inspirado por Gonçalves Dias, que tinha como tema principal em suas obras a natureza brasileira. Com 16 anos foi enviado para Lisboa e começou a sua vida literária, sendo que esse foi o período no qual escreveu a maior parte dos poemas de seu único livro, “Primaveras”. Este autor viveu constantemente a boemia do RJ e contraiu tuberculose, vindo a falecer antes de completar 22 anos. Sua obra tinha a marca do ultrarromantismo, pois ele abordava temas como a angústia, o sofrimento, a dor existencial e o amor que oscila entre a sensualidade e a idealização.

Já Fagundes Varela foi um poeta marcado pela perda prematura de seu filho e pelo alcoolismo. Seus textos têm como temas principais o nacionalismo e o ultrarromantismo, porém ele também abordava a questão dos negros, que seria um tema aprofundado na terceira fase do romantismo no país.