Conheça alguns autores de romances políticos


romances políticos

Os romances políticos são obras ricas e capazes de nos ensinar muito sobre o poder da resiliência nos momentos mais difíceis, bem como sobre história, política, poder, perseguição e formas de governo. A seguir, conheça alguns autores de obras de romances políticos que você vai adorar!

1. Graciliano Ramos, autor de As memórias do cárcere

Em As memórias do cárcere, Graciliano Ramos relata o período em que foi preso durante o governo Vargas, em 1936, sob a justificativa de que o escritor era uma ameaça comunista. A obra se apresenta como fundamental para a história do Brasil, pois revela a arbitrariedade que sofreu ao ser preso, bem como a violência pela qual passou.

2. Érico Veríssimo, autor de O senhor embaixador

Ainda que se trate de uma obra baseada em uma ideia fictícia, porém que foi alimentada pela realidade na qual vivia Érico Veríssimo, ela mostra-se como importante porque debate sobre as tragédias e comédias da vida cotidiana e coloca em cena o sentido das revoluções e golpes militares pelos quais os países latino-americanos passaram no século passado.

3. Antônio Callado, autor de Quarup

Antônio Callado, através de um personagem criado por ele, de nome Nando, retrata na obra Quarup os conflitos de um país, o Brasil, que acabou de sofrer uma ditadura militar. A história começa no início do governo de Getúlio Vargas, em 1950, e vai até 1964, momento em que as perseguições e as torturas militares ganham maior visibilidade no cenário público.

4. Jorge Amado, autor de Subterrâneos da liberdade

A romance político em questão está dividido em três volumes: Os ásperos tempos; A agonia da morte; e, por fim, A luz do túnel. Neles, Jorge Amado narra a conturbada vida política, econômica e social pela qual o Brasil passou na época do governo Getúlio Vargas. A história é marcada por registros de lutas, perseguições e conflitos de todas as ordens.