Épica Camoniana – Os Lusíadas: Origens e Características


A épica Camoniana

O épico Camoniano é caracterizado como uma época extremamente marcante na literatura de Portugal. O principal objetivo do mesmo era enaltecer cada vez mais o povo português, que conseguiu muitas conquistas nesse período, por meio de seus descobrimentos, seus êxitos e seus feitos de guerra, de uma forma geral.

epica camoniana os lusiadas origens e caracteristicas

Assim, a épica camoniana é considerada uma ótima de valorização extrema da história portuguesa, contando, principalmente, com uma série de proezas que eram realizadas pelos heróis portugueses: os militares.

A expressão do nacionalismo e o amor dedicado aos heróis

Foi nessa época que muitos autores se dedicaram para esse nacionalista exacerbado, com o intuito de retratar de forma real, e totalmente expressiva, os principais feitos que demarcavam essa época do povo português. A poesia épica se tornou reconhecida nesse período, se tratando de uma narrativa desenvolvida toda em versos, em que o principal intuito da escrita é narrar as principais proezas realizadas pelos heróis da época.

A poesia épica precisa contar com algumas características para que se enquadre neste formato, como é o caso de um grande tema e/ou assunto atual, um herói admirável e grandioso, e um poeta à sua altura, que consiga expressar esses feitos com uma ótima linguagem, que deixe sempre os grandes feitos em destaque.

Porém, foi Camões que se tornou o maior representante da poesia épica, por meio do poema Os Lusíadas. E é exatamente por conta disso, que a época é frequentemente conhecida como a épica Camoniana, já que foi extremamente marcada por uma obra de Camões.

Os Lusíadas – Camões

A publicação de Os Lusíadas ocorreu no ano de 1572. O poema foi protegido por D. Sebastião e até os dias de hoje é considerado como o maior e mais famoso poema épico, da época renascentista portuguesa.

Os Lusíadas é uma obra que foi desenvolvida em 10 diferentes cantos, que podemos também chamar de “capítulos”. A obra é essencialmente um romance, que conta também com 1102 estrofes e, pasmem: 8816 versos. Todos os versos do poema rimam uns com os outros, todos em decassílabos de caráter heroicos.

O que levou à escrita do poema

O “gancho” para o desenvolvimento do poema foi uma viagem realizada por Vasco da Gama até as índias. Mas, certamente, o que mais impressiona no poema, e o que também o tornou mais famoso, é o fato de que o herói exaltado, nesse caso, não é unicamente Vasco da Gama, mas sim o povo de Portugal como um todo.

Dessa forma, o poema deixa claro de que todo o povo português foi escolhido para a exploração dos mares. Neste caso, é o primeiro registro de um poema épico que deixa de dar destaque para a figura de um herói individual, como o que acontecia nos clássicos poemas da época.

Foi a partir do poema Os Lusíadas que a narrativa ganhou uma abertura, também, para a coletividade heroica. Vasco da Gama, é claro, teve um papel fundamental, exatamente por isso que se torna o principal representante desse coletivo que, no caso, é toda a nação portuguesa.

Como se o ditado “para bom entendedor, meia palavra basta” já pudesse surtir efeito na época de 1.500, Camões já anunciava os diferenciais do seu poema no título. Os Lusíadas, nada mais representa do que os lusitanos, ou melhor, o povo, os lusos de Portugal.

A epopeia de Camões certamente foi um marco para a literatura portuguesa, principalmente em meio à poesia épica. Sendo assim, o seu clássico tem como principal intuito exaltar a nação portuguesa, ao mesmo tempo em que dá destaque para a história do próprio país e de todo o seu povo e seu império como um todo. Além disso, a língua portuguesa também foi muito requintada nessa época, já que foi utilizada de forma rica e extremamente expressiva por parte de Camões.

Características de Os Lusíadas

Além disso, a obra também conta com outras características próprias. Presente na época do renascimento, o poema é baseado no espírito dessa época: extremamente antropocêntrico. Ele era predominado por uma razão bem simplista: o sentimento de heroísmo e o nacionalismo que se instaurou em cada cidadão português, principalmente por conta das conquistas que dominaram o país.

Assim, tanto características nacionalistas, como também ideais de caráter imperialistas se misturam na criação do renascimento, além de uma linguagem mais conservadora na escrita dos poemas e um espírito mais crítico, que tenta deixar esse orgulho tão grande e nacionalista um pouco de lado. O próprio poema consegue expressar bem essa explicação, por meio da fecha que define a pátria portuguesa como “metida no gosto da cobiça”.

O tom lírico também divide espaço com o tom épico. Enquanto o primeiro dá maior destaque para os maravilhosos feitos, conquistas e demais descobrimentos do povo português, Os Lusíadas conta também com um tom mais lírico, dedicado principalmente para uma das principais histórias do poema, a de Inês de Castro.