Machado de Assis: Quem foi Machado de Assis? – Biografia


Joaquim Maria Machado de Assis, nasceu no dia 21 de junho do ano de 1839, no Rio de Janeiro, e morreu no dia 29 de setembro de 1908. Ele foi um importante escritor brasileiro, e considerado ainda hoje o maior nome da literatura do país. Isso porque, Machado de Assis, como é conhecido popularmente, escreveu suas obras em praticamente todos os gêneros da literatura, sendo portanto um dramaturgo, jornalista, poeta, cronista, romancista, contista, crítico literário e folhetinista. Ele também acabou por testemunhar a mudança política no país, na época quando a República substituiu o império.

Machado de Assis tinha uma origem humilde, e mal estudou em escolas públicas e muito menos, frequentou uma faculdade. Para subir na vida, acabou assumindo a vida pública, passando pelo Ministério das Obras Públicas, do Comércio e também da Agricultura. Dessa maneira, acabou alcançando notoriedade nos jornais onde publicava suas crônicas e poesias.

Machado de Assis

O menino pobre, era filho de Maria Leopoldina Machado de Assis e de um operário mestiço conhecido como Francisco José de Assis. Ainda durante a sua infância, Machadinho, maneira como era chamado carinhosamente, perdeu sua mãe. Ele acabou sendo criado, até a adolescência, por sua madrasta, Maria Inês.

A falta de dinheiro, acabou obrigando Machado de Assis a dividir seus dias entre os estudos e o trabalho de vender doces. Mas apesar da grande dificuldade da realidade que enfrentava,

Machado demonstrava possuir uma grande facilidade de aprendizado. Com apenas 16 anos, o jornalista publicou em uma revista, sua primeira obra da literatura, que recebeu o título de ‘Ela’. No ano seguinte, passou a trabalhar na Imprensa Nacional como tipografo, passando então a dividir seu tempo com a criação de textos novos. Durante o período em que esteve trabalhando nesse cargo, teve a oportunidade de conhecer o diretor da instituição e autor do romance ‘Memória de um sargento de milícias’, Manuel Antônio de Almeida. Por causa disso, novas oportunidades se abriram para Machado de Assim, principalmente no campo da literatura, rendendo a ele alcançar outros postos de trabalho.

Com apenas 19 anos, Machado se torou revisor e colaborador do Jornal Marmota Fluminense, conhecendo ainda mais autores e escritores prestigiados no mundo da literatura. Entre os anos de 1859 e o ano seguinte, Machado conseguiu um empreso como revisor e colaborador de outros diferentes meios de comunicação que existiam nessa época. Assim, o poeta acabou escrevendo para O Espelho, Correio Mercantil, A Semana Ilustrado, Diário do Rio de Janeiro e Jornal das Famílias. A primeira obra de Machado de Assis que foi impressa, ele aparece como tradutor, ‘Queda que as mulheres têm para os tolos’. Tempos depois, ele acabou se consolidando como um dos mais importantes revisores e editores da época.

Nesse período, Machado de Assis também conheceu o diretor da revista ‘O Futuro’, Faustino Xavier de Novais, que mais tarde se tornaria seu cunhado. O casamento com a irmã do amigo, chamada de Carolina, foi muito bem sucedido e também marcado por toda a afinidade que ele possui com a companheira, principalmente no que se refere ao campo literário. No ano de 1867, o escritor acabou publicando sua primeira obra, um livro de poesias, com o título de ‘Crisálidas’. Ao publicar, cinco anos depois, o romance ‘Ressureição’, obteve sucesso em sua carreira na literatura.

Podemos dizer, que toda a sua carreira nessa área acabou sendo amparada por causa de sua vida em cargos públicos. Atuar na Secretária do Estado, no Ministério do Comércio, da Agricultura e das Obras Públicas, melhorou a sua condição de vida. Em 1874, publicou o romance com o título ‘A mão e a luva’, dentro do Jornal o Globo, em uma série de publicações.

Seu prestigio no campo das artes, acabou por tornar Machado de Assis, um autor caracterizado como grande peculiaridade. Entre os anos de 1881 e 1897, Machado de Assis teve suas obras publicadas no Jornal Gazeta de Notícias, que mais tarde, seriam consideradas como suas melhores crônicas. Pode-se dizer, que o ano de 1881, marcou a carreira burocrática e artística desse artista. Isso porque, neste ano, ele publicou a sua obra-prima, o romance ‘Memórias póstumas de Brás Cubas’, que é considerado uma grande obra do realismo brasileiro.

Todas essas influentes amizades, acabou abrindo as portas para Machado de Assis no campo literário brasileiro. Juntamente com o escritor e amigo, José Veríssimo, Machado de Assis formulou as primeiras medidas para que a Academia Brasileira de Letras fosse criada, participando de maneira ativa de reuniões que apoiavam esse revolucionário projeto. Assim, Machado acabou se tornando o primeiro presidente dessa instituição.

O escritor faleceu no ano de 1908, e foi substituído por Rui Barbosa no cargo de presidente da Academia Brasileira de Letras. Podemos dizer, que o nome Machado de Assis é o alvo de um grande interesse de estudos de pesquisadores e principalmente, de apreciadores da literatura.