Modernismo – Primeira Geração: Vanguardas Européias, Semana de Arte Moderna, Autores e Obras


O Modernismo não é propriamente um estilo ou uma estética no seu sentido literal, mas o vocábulo que reúne as múltiplas tendências artísticas que eclodiram na Europa e no Brasil antes, durante e depois da Primeira Guerra Mundial (1914-1918).Essas tendências artísticas buscavam novas concepções de arte e, embora houvesse gritantes diferenças, também existiam muitos pontos em comum entre elas.

Por exemplo:
•         questionavam as formas tradicionais de organização da obra de arte;
•         anarquizavam em livros, revistas, manifestos,exposições e atitudes pessoais e grupais, com um ímpeto demolidor, o que havia de padrão e de convenção nas artes e na sociedade;
•         disseminavam uma verdadeira alergia contra academias, museus, artistas canastrões, soneto, rima,cartola, sobre casaca, polaina, casamento, organização social e padrões de comportamento;
•         propunham uma arte inconsciente, desordenada,ilógica, diferente de quase tudo o que tinha havido até então;
•         para a maioria dos artistas, o novo e o diferente é que eram a arte.

Modernismo

Vanguarda europeia:
A vanguarda europeia, como foram chamados os grupos que acreditavam nas novas concepções de arte relacionadas anteriormente, surgiu no final do século XIX e no começo do século XX. A seguir, os principais. impressionismo (1874) Registro de impressões, de fora para dentro. Em Literatura, o Impressionismo tem a ver com memórias, registros de impressões passadas e de elementos externos sobre os internos, como os romances O Ateneu (Raul Pompéia) e Menino de Engenho (José Lins do Rego). Nesses livros, o narrador registra as impressões que teve de ambiente e pessoas no passado. Expressionismo (19O5) Expressão de estados de alma: dor, sofrimento, angústia, desespero.

É o patético, o trágico e o sombrio na arte. Por isso a caricatura é considerada expressionista. Os romances Triste Fim de Policarpo Quaresma (Lima Barreto) e Amar, Verbo Intransitivo (Mário de Andrade) são exemplos claros do Expressionismo na Literatura brasileira. O Grito (1893), de Edvard Munch (1863-1944). Cubismo (19O7) O pintor Pablo Picasso surpreendeu o mundo artístico com a tela Lês Demoiselles d’ Avignon. Diante do espanto causado pelo que de diferente havia nela, Picasso disse aos interessados: “Eu não pinto a natureza como ela é, mas como eu a vejo”. Estava lançado o movimento cubista, cuja proposta era talhar um objeto em facetas, em pedaços geométricos, como se um pintor decompusesse uma maçã em fatias desenhadas geometricamente e as colasse em uma tela. Lês Demoiselles d ‘Avignon (1907), de Pablo Picasso. Andrade (que inicia o primeiro livro dele – Alguma Poesia, de 1930), foi todo montado a partir do Cubismo, uma visão multifacetada da futura obra desse poeta mineiro. Futurismo A seguir, alguns princípios literários do Futurismo, extraído do primeiro Manifesto Futurista. Eu insulto as aristocracias cautelosas! Os barões lampiões! Os condes Joões! Os du- [ques zurros! Dadaísmo (1916)

Algumas propostas do Surrealismo:

•         expressar o mundo dos sonhos, do subconsciente e do inconsciente, juntando-o ao da realidade e criando uma super-realidade;
•         dizer os estados de alma cheios de alucinação e loucura;
•         exprimir tudo com ilogicidade;
•         deixar fluir o pensamento e a imaginação;
•         valorizar o que é espontâneo e instintivo.

No Brasil, encontram-se vestígios do Surrealismo em muitos escritores (até hoje), como em Oswald de Andrade, Mário de Andrade, Jorge de Lima, Murilo Mendes e em João Cabral de Melo Neto. Semana de Arte Moderna

•         Quando? Dia 13, 15 e 17 de fevereiro de 1922.Onde? Teatro Municipal de São Paulo-SP.
•         Quem? Escritores, músicos, pintores, escultores,intelectuais.
•         Quê? Foi uma “bagunça” promovida por jovens que queriam tirar o mofo das artes vigentes no Brasil. Houve forte influência da vanguarda europeia, graças a influência dos imigrantes anarquistas europeus que estavam no Sul e no Sudoeste. Esses jovens queriam discutir o Brasil e propor uma arte verdadeiramente brasileira.
•         Principais participantes: Mário de Andrade,Oswald de Andrade, Villa-Lobos (compositor),Giiiomar Novais (pianista), Anita Malfatti (pintora), Di Cavalcanti (pintor), Victor Brecheret(escultor), Plínio Salgado (escritor), Menotti deiPicchia (poeta), Sérgio Milliet (poeta).

Propostas da Semana de Arte Moderna

•         Antiparnasianismo, antiformalidade.
•         Antiacademismo: vale o novo, o diferente.
•         Língua popular elevada à categoria de linguagemliterária.
•         Brasilidade: cor, jeito, cheiro, modo de se brasileiro.
•         Valorização das coisas nacionais: costumes, folclore.
•         Criação de poesia e de romance brasileiros.
•         Verso livre, sem a métrica dos parnasianos, por exemplo.
•         Verso branco, sem rimas.
•         Mistura de verso e prosa: verso prosificado.
•         Humor, piada e paródia como formas de dessacralizar a arte.
•         Liberdade total.

Paulicéia Desvairada – é o primeiro livro modernista após a S.A.M. A fonte inspiradora do poema é a cidade de São Paulo da década de 1920 e seu provincianismo, o Rio Tietê, o Anhangabaú, o Largo do Arouche, a burguesia, a aristocracia, o proletariado. Nas páginas seguintes ao “Prefácio Interessantíssimo”, esse livro compõe uma colcha de retalhos que traduz a cidade multifacetada feito roupa de arlequim que era São Paulo, já naquela época. Autores e obras Mário de Andrade f1B93~1945)

Poesia

•        Há uma Gota de Sangue em Cada Poema (1917)
•        Paulicéia Desvairada (1922)
•        Lira Paulistana (1946)

Macunaíma – depois de muitos anos de pesquisa, Mário de Andrade escreveu Macunaíma em apenas uma semana (de 16 a 23 de dezembro de 1926). O livro é uma amálgama, uma mistura de histórias, cantigas, lendas amazonenses, indígenas, africanas, mineiras, gaúchas, nordestinas. O autor preferiu chamá-lo de rapsódia (uma expressão da linguagem musical) a dizer que era romance, conto ou poema. O resultado é um livro surreal, mítico, que conta a história um anti-herói, ou melhor, de um herói sem nenhum caráter, Macunaíma. Macunaíma é o brasileiro com todas as suas qualidades e defeitos. Indolente, preguiçoso, brigão, covarde, sincero, mentiroso, trabalhador, católico, espírita, macumbeiro, malandro, otário, índio-alemão-inglês-mulato-negro-italiano-português-brasileiro, “herói sem nenhum caráter”. Representa a miscigenação das rapas que formam o modo de ser do brasileiro.

Prosa

Amar, Verbo Intransitivo (1927) – romance Macunaíma (1928) – rapsódia Contos Novos (1946) Oswaicf de Andrade (189O-1954)

•    Primeiro Caderno de Poesia do Aluno Oswaldde Andrade (1927)

Romance

•         Os Condenados (1922)
•         Memórias Sentimentais de João Miramar (1924)
•         Serafim Ponte Grande (1925)

Manifestos

•         Manifesto da Poesia Pau-Brasil (1924)
•         Manifesto Antropófago (1928)

Teatro

•         Rei da Vela (1927)
•         A Morta (1927)

São características da poética de Oswald de Andrade: síntese, humor, piada, verso livre, verso branco, ausência de sinais de pontuação, língua popular, temas brasileiros, defesa intransigente da brasilidade literária.

ERRO DE PORTUGUÊS

Quando o português chegou Debaixo duma bruta chuva Vestiu o índio Que pena! Fosse uma manhã de sol O índio teria despido O português

•    A Cinza das Horas (1917)
•         Carnaval (1919)
•         Libertinagem (1930)
•         Estrela da Manhã (1936)
•         Estrela da Tarde (1963)
•         Estrela da Vida Inteira (1966)

Manuel Bandeira é o “São João Batista do Modernismo” porque em A Cinza das Horas (1917), seu primeiro livro de poemas, mesmo sob a influência do Simbolismo, já apresentou versos livres e brancos, com temas como o cotidiano mais prosaico e a fala popular como verdadeiramente poética.

ANDORINHA

Andorinha lá fora está dizendo: Passei o dia à toa, à toa! Andorinha, Andorinha, minha cantiga Ainda é mais triste Passei a vida à toa, à toa! Manuel Bandeira

Meriotti dei Picchia (1892-1987)

Menotti dei Picchia ficou conhecido por Jucá Mulato, um longo poema que tinha a pretensão de despertar no leitor o gosto pelas coisas brasileiras. Conta a história de um caboclo que se apaixona pela filha da patroa, mulher inatingível para ele. Então busca os conselhos do feiticeiro Roque, que lhe recomenda o esquecimento. “Certamente será amado por alguém da sua condição”, aconselhou.

Cassiano Ricardo (1895-1975)

•         Vamos Caçar Papagaios (1926) – poesia
•         Martim Cererê (1928) – poesia Martim Cererê é um poema que narra a paixão que o índio Aimberê e o marinheiro branco Martim sentiam por Uiara, que exige de ambos, como dote, a noite. Aimberê é enganado pela Cobra Grande e Martim vai à África buscar a noite que são os negros escravos. Da união Martim-Uiara surgem os bandeirantes que desbravam os sertões e constroem São Paulo. Raul Bopp (1 898-1984) A principal obra de Bopp é Cobra Norato, livro ligado à antropofagia. Nela fundem-se europeísmo e primitivismo na trajetória do herói que deseja casar com a filha da rainha Luísa. Para isso, ele mata a Cobra Norato, vestindo em seguida a sua pele para melhor percorrer os caminhos amazônicos. Depois de muitas aventuras, o herói, com a ajuda do compadre tatu, rouba a amada Luísa e fica feliz.