Primeira Geração Romântica: Contexto, Características e Autores


O Romantismo surgiu na Alemanha, no século XVIII, e tem seu marco inicial com a publicação de “Os Sofrimentos do Jovem Werther” de Goethe, em 1774. Os autores desse movimento cultuavam o amor de forma irracional, focando no individualismo e no subjetivismo, indo contra as regras do Classicismo. No Brasil, o livro que deu início ao Romantismo foi “Suspiros Poéticos e Saudades”, de Gonçalves de Magalhães, que foi publicado no ano de 1836.

primeira geracao romantica contexto caracteristicas e autores

Inicialmente, os primeiros autores do romantismo no país foram Martins Pena, Francisco Adolfo e João Manuel Pereira da Silva, e suas publicações eram feitas através da imprensa, sendo que eles contaram com um veículo de divulgação, a revista Niterói. Nela colaboraram Gonçalves de Magalhães, Manuel de Araújo Porto Alegre, Francisco Sales Torres Homem e C. M. de Azeredo Coutinho. Na época, outra publicação que se destacou foi a revista Guanabara, que foi dirigida por Manuel de Araújo Porto Alegre, Gonçalves Dias e Joaquim Manuel de Macedo.

Tudo sobre a Primeira Geração Romântica no Brasil

No país, o Romantismo se dividiu em três gerações, e a Primeira Geração Romântica aconteceu entre os anos de 1836 e 1852. O Romantismo surge no Brasil como uma necessidade de romper com os padrões europeus e clássicos, após a independência do país, pois mesmo depois de o Brasil ter rompido os laços com Portugal, os intelectuais e autores do país continuavam com os pensamentos que vinham de lá. Desta forma, os autores do romantismo e, também, dessa Primeira Geração Romântica, queriam ser independentes culturalmente, criando uma nova forma de pensar.

A Primeira Geração Romântica foi a fase do romantismo nacionalista. Os escritores românticos do mundo todo se sentiam desajustados, por isso em suas obras havia tanta volta ao passado, pois era o jeito que encontravam de fugir da realidade. Em Portugal e no resto da Europa, a fuga da realidade levava à Idade Média, mas como essa época não aconteceu no Brasil, a forma de voltar ao passado era relembrando como era o país antes de os portugueses chegarem aqui, portanto quando os habitantes eram os índios.

As principais características da Primeira Geração Romântica

• As obras exaltavam a natureza e a liberdade (um dos mecanismos usados para fugir da realidade);

• A religiosidade era abordada;

• Indianismo (o índio era um antepassado legitimamente brasileiro);

• Sentimentalismo;

Nacionalismo-ufanista, exaltação da Pátria (os autores queriam fundar uma identidade brasileira);

• Brasileirismo (linguagem);

O escritor Gonçalves de Magalhães é considerado o introdutor do Romantismo no Brasil, pois sua obra foi a primeira publicação romântica no país. Na revista Niterói ele provou os ideais deste novo movimento, repudiando os modelos clássicos, principalmente o que se referia à mitologia pagã. Magalhães publicou na revista Niterói o ensaio “Sobre a História da Literatura do Brasil”, que se tratava de algumas ampliações da história cultural brasileira relatada por escritores estrangeiros. Este autor foi chamado de “O Romântico Arrependido”, porque suas teorias eram compatíveis com o romantismo, mas suas influências na escrita ainda eram clássicas.

Gonçalves de Magalhães pode ter sido quem introduziu o movimento no Brasil, mas quem o consolidou foi Gonçalves Dias, escrevendo uma poesia totalmente brasileira que serviu, também, de base para movimentos vindouros, como o Modernismo. Ele nasceu no Maranhão e era filho de Português com uma mestiça de negro e índio. Desta forma, ele afirmava que descendia das três raças que formaram a etnia brasileira. A obra de Dias tinha o intuito de conquistar uma identidade totalmente brasileira e, assim, ele foi um dos maiores escritores da literatura indianista e, após fazer pesquisa na Amazônia, ele escreveu um Dicionário da Língua Tupi. O escritor também falou sobre outros temas em suas obras, escrevendo poesia religiosa, saudosista, egótica e lirismo amoroso. Uma grande diferença entre José de Alencar e Gonçalves Dias, era que Dias abominava o colonizador, enxergando-o como um símbolo da exploração dos índios. Sua poesia possuía ritmo e cadência ágeis, contando com versos pequenos e bem construídos.

Outros autores importantes para essa Primeira Geração Romântica foram Pereira da Silva e Santiago Nunes Ribeiro, que escreveram textos bastante importantes para que o Romantismo se consolidasse no país. Na segunda edição da revista Niterói Silva publicou “Estudos Sobre a Literatura”. Nesta obra ele retomava aos temas já abordados por Magalhães e afirmava que o país precisava ter uma literatura própria, rejeitando a imitação clássica. Ele foi o primeiro intelectual a idealizar que o Romantismo poderia fazer isso. Já Nunes Ribeiro foi quem escreveu o ensaio “Da Nacionalidade da Literatura Brasileira”, que foi publicado no jornal Minerva Brasiliense. Este texto defendia que a literatura brasileira já existia desde a Colônia, e contribuiu bastante para outros estudos sobre a independência da literatura nacional.

Um autor que se destacou muito nesta Primeira Geração Romântica foi Joaquim Manuel de Macedo, que escreveu A Moreninha, O Moço Louro e Os Dois Amores. Manuel de Macedo também escreveu poemas e peças teatrais, além de trabalhar como cronista no Jornal do Commercio.