Resumo Arcadismo


Arcadismo

O Arcadismo é uma escola literária também conhecida como neoclassicismo, que surgiu na Europa no século XVIII e ganhou força devido aos ideais políticos, econômicos e sociais da burguesia, a qual estava em grande ascensão neste período.

Dentre as características do Arcadismo, destacava-se o extremo valor depositado na vida bucólica e em seus ideais, nos quais havia também uma extrema valorização dos elementos naturais e todos os detalhes presentes na natureza.

Isto fez com que o nome deste estilo, o Arcadismo, fosse originado de uma região da Grécia bastante conhecida por ser, na mitologia grega, a morada do Deus Pan, Deus de bosques, matas e pastores. Esta região é a região de Arcádia, província da Grécia Antiga.

Estilo e ideais do Arcadismo

No Arcadismo os poetas valorizavam de forma muito entusiástica os detalhes de uma vida no campo, dando assim contornos épicos à simplicidade da vida bucólica, os quais ganhavam extrema notoriedade nas obras do Arcadismo.

Como consequência disto, havia também nas obras do Arcadismo uma desvalorização, e até mesmo um repúdio, referente à vida nos grandes centros, onde se destacavam nas obras os problemas e agitação das grandes metrópoles.

Era comum também que os autores do Arcadismo optassem por utilizar pseudônimos ao assinarem suas obras, escolhendo nomes gregos ou latinos, adequando-se assim ao estilo do Arcadismo.

O Arcadismo no Brasil

O Arcadismo chegou ao Brasil apenas na segunda metade do século XVIII, coincidindo assim com a época áurea do ciclo do ouro em Minas Gerais e o início da difusão dos ideais iluministas no país.

De maneira geral, o Arcadismo no Brasil seguiu os mesmos rumos do arcadismo europeu, com a valorização da vida bucólica e uma desvalorização do modo de vida nas grandes cidades.

Dentre os principais autores do Arcadismo no Brasil, podem ser destacados os seguintes nomes:

Cláudio Manoel da Costa
– Frei Santa Rita Durão
Tomás Antônio Gonzaga
Basílio da Gama
– Sílvio Alvarenga