Resumo Bagagem


Escrito por Adélia Prado, este livro foi Publicado em 1976 e já nasceu com grande potencial, tendo sua publicação sido recomendada por Carlos Drummond de Andrade. Esta obra de estreia da escritora mineira é considerada um dos principais livros de poesia escrito por mulheres no século XX.

Análise

Os poemas apresentados no livro trazem temas recorrentes, contados sob a perspectiva feminina em uma sociedade ainda muito machista. Apresentando vivências de esposas, mães e filhas, Adélia dá voz a mulheres comuns em situações cotidianas, de relações interpessoais, de amor e ainda de religiosidade.

Todos esses temas e eu-líricos femininos são contados em poemas separados em quatro grandes seções no livro: “O modo poético”, “Um jeito de amor”, “A sarça ardente I” e “A sarça ardente II”. Além disso, há ainda a parte “Alfândega”, composta apenas de um poema de mesmo nome. Vamos a uma rápida análise de alguns dos principais poemas no resumo Bagagem.

Com licença poética

Esse poema encabeça o livro e apresente Adélia Prado ao mundo da literatura nacional, com um jogo de palavras como “licença” que pode significar tanto liberdade para escrever, quanto um pedido de permissão para adentrar no mundo da poesia. Essa obra também é claramente uma paródia ao “Poema de sete faces”, de Carlos Drummond de Andrade, trocando o eu-lírico masculino pelo feminino e explicitando as dificuldades e expectativas postas sobre o simples fato de ser mulher. Não só isso, mas essa versão também tem uma posição contrária ao do poema de Andrade, sendo o eu-lírico feminino mais otimista e positivo em relação ao seu papel no mundo e como poeta.

Grande desejo

Aqui temos um dos melhores exemplos no resumo Bagagem sobre o estilo de Adélia. “Grande desejo” se apresenta no ponto de vista de uma mulher e mãe comum em seu cotidiano, as emoções em ebulição em meio aos atos corriqueiros. Nos versos finais há dois contrapontos interessantes, onde a autora escreve que o eu-lírico vai a uma igreja, a uma lápide e a um descampado para chorar, mas que isso não muda seu requinte de dama. Mostra-se aí a religião como um ponto importante na vida dessa mulher, ao mesmo tempo em que também não é deixado de lado a ideia de manter as aparências.

Antes do nome

Nesse poema, Adélia dialoga sobre os significados de linguagem e de como compreendê-la. Ela defende que os sentimentos e emoções que movem o fazer artístico devem ser colocados em primeiro plano, não a palavra escrita. Também é apresentada mais uma vez a faceta da religiosidade, com a poesia sendo vista como um dom divino e uma sina ao mesmo tempo.

A invenção de um modo

O texto aqui apresenta ideias de dualidade e equilíbrio, contra extremismos e a favor da unidade, não só como mulher, mas como ser humano. Os versos finais são os que mais explicitam esse foco, afirmando que todos os pensamentos do eu-lírico provém de dois grandes livros: a Bíblia e Grande Sertão Veredas.

Enredo para um tema

Talvez o mais intenso poema a falar sobre a situação da mulher na sociedade patriarcal, “Enredo para um tema” apresenta uma narrativa rápida em que o eu-lírico feminino não se casa com um homem esbelto e apaixonado por sua falta de dote, coisa que, segundo o pai, não adiantava nada. Quando conseguiu juntar dinheiro o suficiente para retornar e pedir a mão da mulher amada novamente, o homem a encontra já casada. O poema encerra com versos que afirmam a opressão sofrida pela mulher e seu total silenciamento frente às decisões de três diferentes homens em sua vida, pois ela não teve fala em momento algum, nem antes, nem depois.

A autora e suas características

Adélia Luzia Prado Freitas nasceu em 13 de dezembro de 1935, em Divinópolis, Minas Gerais. Formada como professora em 1953, Adélia lecionou por 20 anos antes de se dedicar a literatura. Foi através do envio de seus originais para o crítico Affonso de Sant’Anna que seus textos chegaram até Carlos Drummond, que a indicou para a editora Imago. O lançamento de Bagagem reuniu diversos nomes importantes da literatura brasileira, como Antônio Houaiss, Clarice Lispector e outros. A partir daí, sua carreira como escritora deslanchou e ela abandonou o magistério.

Entre os recursos mais utilizados por Adélia em seus textos, e inclusive mostrados neste resumo Bagagem, está a intertextualidade. Ela dialoga com muitos outros poetas, em quem se inspira e para quem dedica suas obras. Outra característica marcante de seus poemas é a estrutura simples e falta de palavras ou recursos muito rebuscados, tornando a simplicidade da escrita condizente com a simplicidade de seus temas.

Além de Bagagem, outras grandes obras de Adélia Prado incluem O Coração Disparado, Soltem os Cachorros, A Faca no Peito e O Homem da Mão Seca.