Resumo do livro Quincas Borba: A história e o autor


O livro Quincas Borba, escrito pelo renomado Machado de Assis, é a continuação de uma obra também muito conhecida, intitulada Memórias Póstumas de Brás Cubas.

Esse livro conta a história de vida de Pedro Rubião de Alvarenga, um ex-professor do primário, que se torna discípulo do filosofo conhecido como Quincas Borba e enfermeiro. Esse romance, mostra a caminhada do protagonista para a sua loucura.

No livro, o narrador é o próprio autor, Machado de Assis, mas não se deve confundir o escritor com o narrador. Narrado em terceira pessoa, Machado de Assis, acaba quebrando a objetividade do narrador em pessoa.

Quincas Borba

Machado de Assis está ligado ao realismo brasileiro. Isso porque a busca pela verdade é um dos traços mais marcantes de suas obras. Para os autores realistas, essa verdade pode ser alcançada através do intermédio dos recursos do Positivismo, da ciência, do Evolucionismo e do Determinismo.

A história começa quando Quincas Borba falece no Rio de Janeiro, na casa de Brás Cubas. Assim, Rubião acaba sendo nomeado como herdeiro universal do falecido, mas com a condição de que teria que cuidar de seu cachorro, com o mesmo nome do filosofo.

Depois desse episódio, o protagonista vai para o Rio de Janeiro, e durante a viagem, conhece Cristiano de Almeida e Palha, um capitalista, e sua esposa, Sofia. Rubião, se apaixonou pela mulher, e esse amor era tão grande e forte, que ele se viu obrigado a assumi-lo diante da amada. Mas, ao contrário do que pensava, ela acaba recusando seu amor, e acaba contando tudo para seu marido.

Apesar de estar indignado, Cristiano continua a ter contato com o protagonista, já que queria colocar as mãos no restante de sua fortuna.

Esse amor, não correspondido por Sofia, começa então, a despertar a loucura de Rubião. Tempos depois, essa loucura, acabou levado o protagonista à morte e acabou sendo comparada com a causa de morte de Quincas Borba.

Sinopse

A morte de Quincas Borba é narrada na obra anterior, Memórias póstumas de Brás Cuba. Depois de sua morte, o milionário filósofo acaba deixando toda a sua fortuna para seu amigo, Rubião. Mas, para colocar as mãos nesse dinheiro, o protagonista deveria também, se responsabilizar por cuidar do cachorro do filósofo, que também tinha o nome de Quincas Borba.

Enriquecido da noite para o dia, Rubião resolve se mudar para o Rio de Janeiro. Durante essa viagem, acaba conhecendo o casal Cristiano de Almeida e Sofia, e ele logo é colocado no círculo de amizades dos dois.

Com a convivência acirrada, o protagonista acaba se apaixonando por Sofia. Ela, esperta, acaba percebendo da paixão que provoca no mais novo milionário do pedaço, e acaba utilizando todo o seu poder de sedução para se envolver com ele. Acreditando ter o seu amor correspondido, durante um baile, Rubião acaba se declarando para a amada.

Para seu espanto, a jovem bela recursa seu amor, e ainda conta para o marido tudo o que havia acontecido. Mas, Cristiano resolve acalmar a situação, e continuar sua amizade com Rubião, já que estava de olho no que ainda restava da fortuna do homem. Inclusive, ele até estimula a esposa a alimentar esse sentimento, para que eles possam continuar a explorar o milionário.

Frustrado, Rubião decide abandonar o Rio de Janeiro. Cristiano se preocupa, por isso insiste para que Rubião esqueça essa ideia e fique na cidade. Depois de muito insistir, Rubião acaba ficando no Rio de Janeiro.

Tempos depois, o milionário e Cristiano se tornam sócios de uma importadora, conhecida como Palha & Cia. O amigo então passa a administrar a fortuna e os bens do mineiro. Passado certo tempo, a sociedade é rompida, e Sofia se afasta cada vez mais de Rubião. Na verdade, Cristiano queria tomar conta sozinho da empresa, e alegou que precisava se capacitar para que pudesse assumir cargos no sistema financeiro.

Tomado pelo desejo, Rubião visita Sofia e se declara novamente à amada. Mas, desta vez, ele acreditava que era Napoleão III e ela, sua amante. A jovem então percebe a demência do amigo. E a notícia se espalha mais do que rapidamente pela cidade.

Na mesma proporção em que seu patrimônio diminui, seus delírios se acentuam. Assim, por causa principalmente da insistência de amigos, o casal Cristiano e Sofia assumem de vez a responsabilidade de cuidar de Rubião. A primeira atitude que eles tomam é de transferi-lo para uma casa bem mais humilde. Mas, os acessos de loucura de Rubião crescem a cada dia e ele acaba sendo internado em um hospício.

Rubião acaba fugindo e volta para Barbacena, acompanhado de Quincas Borba, o cachorro. Mas ninguém abre as portas de casa para os dois, e eles acabam dormindo na rua. Assim, no dia seguinte, Rubião, acreditando ser um imperador da França, morre.