Resumo Dom Casmurro


Neste resumo você irá conhecer tudo a respeito de uma das obras mais emblemáticas de Machado de Assis, um dos maiores e mais bem reconhecidos autores brasileiros de todos os tempos.

Resumo Dom Casmurro

Informações técnicas sobre o livro

Antes de contarmos o resumo Dom Casmurro, vamos explicar um pouco a respeito das questões técnicas que envolvem este romance e o contexto que ajuda a compreender a obra e a forma de escrita de Machado de Assis.

Machado de Assis é considerado como o maior autor da história da literatura nacional e escreveu obras em praticamente todos os gêneros literários. O livro, Dom Casmurro, é divido 148 capítulos, bastante curtos e de fácil leitura. Este ritmo ajuda o leitor a compreender melhor a narrativa e a forma como os personagens se sentem a respeito de todas as situações vividas.

Dom Casmurro foi escrito no ano de 1899, após a publicação de outros títulos igualmente importantes do autor, Memórias Póstumas de Braz Cubas e Quincas Borba. Alguns especialistas costumam chamar estes três títulos de a trilogia de Machado de Assis ou ainda Trilogia realista do autor.

Na história, somos levados ao Brasil de 1857, mais especificamente na cidade do Rio de Janeiro. Quem faz a narrativa no livro é o próprio personagem principal, Bento Santiago, também chamado pelo seu apelido mais famoso, Bentinho.

Bentinho passeia pelos bairros do Rio de Janeiro, entre eles o Engenho Novo, e conta onde passou sua infância e onde conheceu Capitu. Para melhor conhecer o tipo de linguagem utilizada na obra e as características mais importantes presentes neste romance que atravessa os anos, é preciso mais do que simplesmente ler o resumo Dom Casmurro, mas sim aproveitar e deleitar-se com o livro como um todo.

A obra pode ser facilmente encontrada em qualquer livraria, biblioteca ou sebo. Para quem deseja, a obra atualmente já é considerada como domínio público e, portanto pode ser lida e baixada pela internet em arquivo PDF, de forma totalmente gratuita.

Resumo Dom Casmurro

Logo no começo da história conhecemos o narrador, Bento de Santiago, também chamado de Bentinho. Ele conta que recebeu o apelido de Casmurro, porque as pessoas achavam que ele era um homem muito tímido, calado e fechado em si mesmo. O Dom surgiu somente para atribuir uma sensação de nobreza.

Ele conta que, como já está com 60 anos, tem muito a contar e por isso resolveu escrever suas memórias. Mas em pouco tempo descobre-se que, o objetivo real em escrever a história, era falar sobre o relacionamento que tivera com Capitu, uma vizinha que passaria a ser o verdadeiro e único amor de sua vida.

Capitu, segundo Dom Casmurro, era muito sedutora, e tinha um olhar único, “olhos de cigana oblíqua e dissimulada”, capazes de atrair qualquer pessoa, assim como a ressaca do mar. Por isso, sabemos pouco a respeito da infância de Bentinho, pouco a respeito de sua velhice, mas muito sobre sua adolescência, quando se deu início o relacionamento com Capitu.

Bento, era um moço rico, que vivia sempre em proteção de sua mãe, a viúva D. Glória, que havia prometido que seu segundo filho, Bento, seria padre. Mesmo depois de ter conhecido Capitu e percebido que não tinha vocação para tal, Bento foi para o seminário, onde conheceu Escobar, e logo se tornaram melhores amigos.

Juntos, os dois acabam convencendo os pais que não tem mesmo vocação para a igreja e saem do seminário. Bento, se forma na faculdade de direito e casa-se com Capitu, enquanto Escobar casa-se com Sancha, a então melhor amiga de Capitu.

Bento sente-se muito feliz e completo, e tudo fica ainda mais alegre com a vinda de seu primeiro filho, Ezequiel, que logo faz companhia para capituzinha, filha de seu melhor amigo.

Tudo vai bem até que uma fatalidade, acaba fazendo com que Escobar morra afogado. Durante o velório, Bento avalia o comportamento de sua esposa, Capitu, e estranha a forma como ela sofre, e acredita que ali, há indícios claros de adultério.

Atormentado com este pensamento, outros indícios acabam fazendo com que Bento acredite no adultério de Capitu. E com o tempo, ele acaba percebendo semelhanças entre seu filho, Ezequiel, e seu amigo morto.

Para Bento, esta é a prova real, viva e definitiva de que Capitu, seu grande amor, o havia traído com seu melhor amigo, Escobar. Ele então se separa de sua família, e envia o filho e a mulher para viverem na Europa.

Bento então passa a viver em um estado constante de tristeza, solidão e desolação. É a partir deste ponto, até sua velhice, que passa a ser chamado pelo apelido que dá o título ao livro, Dom Casmurro.

Por fim, Dom Casmurro ainda conta outra característica sua que não havia relevado, ele é teimoso. O que torna ainda mais clara a ideia fixa de que o personagem possui de que foi traído pela sua mulher e seu melhor amigo, mesmo sem ter na verdade alguma prova a respeito disso.

No final da história, não sabemos ao certo se Capitu traiu ou não Bentinho. Ezequiel volta de viagem formado em arqueologia e, segundo Bento, ainda mais parecido com Escobar. Ele conta que sua mãe, Capitu morreu na Europa, e algum tempo depois também morre de febre tifóide, levando o segredo para o túmulo.