Resumo sobre Naturalismo


O conceito do naturalismo muitas vezes é confundido com o naturismo, mas não tem nada em comum. Trata-se de um conceito que teve seu início na literatura, mas conquistou todas as formas de expressão artística, como por exemplo, a pintura e o teatro. Descubra tudo sobre o assunto a seguir.

Resumo sobre Naturalismo

O conceito do Naturalismo

O naturalismo surgiu como a grande maioria dos demais conceitos, como um grande movimento artístico que pretendia mostrar o mundo que vemos de uma forma diferente. Surgiu na metade do século XIX, na França, como uma resposta ao realismo, que já tinha grande força.

O principal objetivo dos artistas que difundiram o naturalismo era mostrar o mundo e principalmente o ser humano através da sua natureza, que é proveniente primeiramente de suas características biológicas e também do meio onde vive. A realidade, portanto, é mostrada exatamente como ela é, quase como uma forma científica, como uma verdadeira análise social, documentando situações e experiências que antes eram ignoradas pela arte.

O movimento foi muito inspirado nos pensamentos que marcaram a época, como o positivismo, o evolucionismo de Charles Darwin e claro, o realismo. Os artistas desejavam através da arte, mostrar o que a natureza, os seres humanos e as relações tinham de mais verdadeiro, sem nenhuma distinção e bem longe do ar lúdico e belo que estava tão presente em outros tipos de conceitos artísticos. O homem, em qualquer obra naturalista, é sempre retratado em seu estado mais biológico, quase comparado aos animais, que possuem instinto e são regidos por eles e nada podem fazer.

Segundo os adeptos desta forma de arte, o ser humano não deve se iludir a respeito de sua verdadeira identidade, que nada mais é que um ser vivo sem livre arbítrio, guiado basicamente por suas necessidades mais urgentes, pelo ambiente no qual vive, pelas leis da física e da química presentes no universo e por outras forças que ainda mal compreendidas são impossíveis de serem controladas. A sociedade é como qualquer grupo de animais, controlado por forças exteriores aos seus próprios desejos, e que precisa ser analisado, estudado e retratado.

Por este motivo, os temas mais decorrentes das obras do naturalismo eram ligados às mazelas humanas, como a pobreza, a miséria, a violência, os distúrbios, as doenças e as taras sexuais. Desta forma, ao explorar o que havia de mais feio e difícil de ser tolerado, acreditavam que estavam demonstrando a verdadeira essência do ser humano. Com isso buscam causar grande espanto e estranheza nas pessoas, para que elas revissem sua forma de ver o mundo e o próximo. Ou seja, havia em cada obra naturalista, um desejo de criticar para quem sabe, provocar uma mudança interna. O naturalismo era, portanto, uma forma de análise da sociedade da época, como eram as relações de trabalho, de poder e dos pensamentos e ações do ser humano.

No teatro, assim como no realismo, o naturalismo foi importante para uma verdadeira evolução na arte, que agora se preocupava ainda mais com detalhes que antes eram considerados supérfluos, como o figurino das personagens, a construção dos cenários e até a iluminação. Apesar disso, foi na literatura que o naturalismo surgiu ainda mais forte e ficou mais conhecido em todos os cantos do mundo. Com uma linguagem cortante, na maioria das vezes coloquial, com textos construídos de forma simples, mas cheios de descrições, não havia detalhe que passasse despercebido.

O autor considerado símbolo desta época é Emile Zola, autor do livro intitulado de “O Germinal” de 1885. Na história, que depois ficou imortalizada no cinema, Zola mostra a vida e as dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores das minas de carvão, que trabalhavam horas a fio sem descanso, eram obrigados a viver com baixíssimos salários e viver de forma muito miserável. Para escrever sua obra prima, Emile Zola trabalhou por dois meses em uma mina, além de viver, conviver e ver de perto todas as situações vividas por aquelas pessoas, que eram tão oprimidas pelos mais ricos e poderosos da sociedade da época.

Além de “O Germinal”, Emile Zola ainda escreveu “A Taverna” que até hoje é considerado como um verdadeiro manifesto do naturalismo, um verdadeiro retrato do que este conceito queria demonstrar.

Naturalismo no Brasil

Assim como aconteceram com praticamente todos os movimentos artísticos, o Brasil também foi influenciado pelo movimento naturalista, principalmente a partir das obras de Emile Zola. As obras nacionais mostravam as dificuldades vividas pelos negros, a relação entre a igreja e a sociedade e até questões sexuais como o homossexualismo.

Por aqui, o principal escritor naturalista foi Aluísio de Azevedo, com obras que retratavam a dificuldade e o sofrimento vivido pelas populações mais pobres nas cidades brasileiras. Os títulos mais conhecidos e que mais retratam o naturalismo de Aluísio de Azevedo, são:

Entre outros atores brasileiros que também seguiam o mesmo conceito, podemos citar:

  • Adolfo Caminha
  • Horácio de Carvalho
  • Emília Bandeira de Melo
  • Carneiro Vieira