Resumo sobre O Casamento Suspeitoso


O Casamento Suspeitoso é uma obra do romancista, dramaturgo e poeta paraibano Ariano Suassuna (1927 – 2014). Famoso por histórias como O Auto da Compadecida, transportada para o cinema em 2000. O escritor inspira-se na literatura de cordel para produzir os seus textos. Escrito em 1957, O Casamento Suspeitoso é outro destaque na extensa bibliografia de Suassuna. Novamente, o autor utiliza-se elementos da cultura brasileira, sobretudo do Nordeste, para entreter o leitor. Também se consegue perceber com clareza a influência de autores clássicos como o francês Molière (1622 – 1673) na estrutura e comicidade do enredo Para saber mais, confira o resumo dessa trama cheia situações absurdas e figuras engraçadas.

Resumo sobre O Casamento Suspeitoso

Sinopse de O Casamento Suspeitoso

Em O Casamento Suspeitoso, o público é apresentado aos noivos Geraldo e Lúcia, bem como aos interessem que permeiam o seu casamento. Esse livro, assim como boa parte da boa produzida por Ariano Suassuna, pode ser categorizado como uma comédia de costumes por trata com humor dos hábitos e cultura de um povo. Portanto, é possível encontrar aspectos cômicos como as sátiras de membros da Igreja e dos funcionários da justiça. Festas e tradições do Nordeste também são citadas, tornando a obra um exemplo de literatura regional.

No caso de O Casamento Suspeitoso o tópico principal é o famoso “golpe do baú”, isto é, o matrimônio em que uma das partes visa à vantagem financeira. Sendo assim, a narrativa se dá pela perspectiva do enlace entre Geraldo, o único filho de uma família abonada do local, e Lúcia. Ingênuo, o noivo não imagina que a sua futura esposa planeja ficar com o seu dinheiro, junto com a mãe dela, Susana, e o Roberto Flávio. Em adição, o rapaz ainda espera receber uma grande herança, incrementando ainda mais o interesse da moça na fortuna. No entanto, Dona Guida, mãe do jovem, não confia em Lúcia e tentará impedir que o matrimônio acontecesse.

Tendo em vista que a enredo se passa principalmente na casa matriarca, os empregados de Dona Guida também aparecem na história para atrapalhar a união. Entre esses personagens secundários estão Cancão e o desastrado Gaspar, que tentam se beneficiar em meio à intriga. Cabe salientar que Cancão, o funcionário esperto, é uma figura presente no bumba-meu-boi, mais uma vez remetendo o público as componentes da cultura nacional.

Sobre o autor suas principais obras

O autor Ariano Suassuna passou os primeiros anos de sua vida na fazenda Acauham, no sertão do estado. Por causa de sua posição política, o pai do autor foi assassinado durante a Revolução de 30. Com isso, a família resolveu mudar-se para Taperoá, no interior paraibano. É nessa época que Ariano Suassuna inicia seus estudos acadêmicos e tem o primeiro contato com a cultura nordestina por meio de uma apresentação de mamulengos. Bem como de um desafio entre violeiros.

No ano de 1938, o futuro escritor vai com a mãe para Recife, Pernambuco. Lá, ele concluiu o colégio e entrou na Faculdade de Direito, e auxiliou na criação do Teatro do Estudante de Pernambuco. No ano de 1947, Suassuna roteiriza a sua primeira peça, Uma Mulher Vestida de Sol. Em 1950, o escritor se forma em Direito e segue se dedicando simultaneamente à advocacia e ao teatro. Cinco anos depois, ele produz a sua obra-prima, O Auto da Compadecida. Sua forte relação com o Nordeste o levou a criar, em 1970, o Movimento Armorial, que tinha como meta valorizar a cultura da região. A partir de 1990 até a sua morte, o escritor fez parte da Academia Brasileira de Letras, ocupando a cadeira 32, que tem como patrono Manuel José de Araújo Porto Alegre, o barão de Santo Ângelo. Atualmente quem ocupa essa cadeira é Zuenir Ventura. O autor faleceu em 23 de julho de 2014, aos 87 anos, em Recife, devido a um AVC hemorrágico.

  • Ariano Suassuna é um autor paraibano que nasceu em junho de 1927;
  • Ele cresceu em Recife, após seu pai ser morto durante a Revolução de 30;
  • O escritor fez faculdade de Direito e dividiu seu tempo entre a advocacia e a escrita;
  • Apesar de ter publicado poesias, as obras mais consagradas na vida de Suassuna foram às peças teatrais;
  • Foi Secretário de Cultura do estado de Pernambuco durante o governo de Eduardo Campos;
  • O escritor morreu de um AVC hemorrágico aos 87 anos de idade.

Algumas de suas obras mais conhecidas são:

  • Uma mulher vestida de Sol (1947)
  • Auto da Compadecida (1955)
  • O santo e a porca (1957)
  • Farsa da boa preguiça (1960)
  • História d’O Rei Degolado nas caatingas do sertão /Ao sol da Onça Caetana (1977)
  • O Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta (1971)
  • A História de amor de Fernando e Isaura (1956)