Catacrese


Na língua portuguesa, o termo catacrese é utilizado para descrever o uso de uma palavra fora de seu significado original. É o ato de utilizar uma palavra em seu sentido figurado. Existem várias situações em que isso acontece e as palavras são aplicadas tanto ao falar quanto ao escrever. No entanto, o mais comum é que apareça na linguagem oral.

Catacrese

A catacrese só pode ser utilizada na falta de um termo específico para designar determinado objeto ou situação, ou seja, não é possível empregar palavras aleatórias apenas porque se acredita que elas estariam melhor utilizadas de outra maneira. Costuma-se dizer que a catacrese é uma metáfora estereotipada ou viciada, já que aparece por uma necessidade, pela não existência de outro termo para se referir a um objeto, situação ou ser.

Enquanto outras figuras de linguagem são utilizadas apenas no intuito de se tornar um texto ou a fala mais interessante ou dar um toque poético, – como no caso da metáfora – a catacrese apenas facilita o especificar algo que se quer dizer, já que o objeto ou situação lembra àquele que se tomou emprestado e não existe outro termo para designá-lo.

A palavra catacrese vem do latim catachresis, que deriva do termo grego katakhresis. O significado literal da palavra grega é “mau uso” ou “uso indevido”, o que faz certo sentido se pensarmos nos termos que são utilizados nessa metáfora viciada.

Também chamada de figura de palavra, a catacrese utiliza-se de determinadas palavras no sentido conotativo e não real. Ela empresta palavras já existentes e as aplica em outras situações. Para entender melhor essa figura de linguagem da língua portuguesa, vamos analisar alguns exemplos práticos:

Exemplos de catacrese

1. Embarcar no ônibus
A expressão “embarcar” vem do ato de se entrar em uma embarcação. No entanto atualmente pode ser designada para o ato de entrar em qualquer meio de transporte, como ônibus, carros e aviões.

2. Asa da xícara
Todos sabem que xícaras não possuem asas, mas se observamos o formado da parte que usamos para segurá-las veremos que lembra sim a uma asa de seres vivos, principalmente naquelas xícaras mais antigas.

3. Dente de alho
Um alho com certeza não irá lhe morder, mas você irá observar que seu formato lembra a dentes, razão pela qual os pedaços do alho ganharam o nome de dentes de alho.

4. Batata da perna
A batata da perna hoje é chamada também de panturrilha. Ainda assim, a catacrese para descrever a região continua sendo utilizada. O termo provavelmente surgiu pelo fato da panturrilha lembrar a uma batata.

5. Cabeça do prego
Quando se vai orientar alguém sobre como martelar um prego é comum que se diga para acertar o martelo na cabeça do prego, que corresponde àquela parte redonda e maior do mesmo, que fica para fora da madeira ou da parede.

6. Céu da boca
No céu da boca certamente não existem estrelas. No entanto o termo céu foi tomado emprestado para designar o palato, parte superior da boca, ao menos na linguagem falada ou comum do dia-a-dia. Assim como o céu que conhecemos, o céu da boca também fica em cima, ou na parte de cima da boca.

7. Coroa do abacaxi
As hastes do abacaxi que são comumente descartadas e utilizadas para se descobrir se a fruta está madura já foram chamadas de coroa do abacaxi, por lembrarem exatamente uma coroa.

8. Braço da cadeira
Cadeiras que possuem apoio para os braços chamam o mesmo de braço da cadeira, apesar de ser o braço de quem senta que ali ficará apoiado.

9. Pé ou perna da mesa
“Cuidado para não quebrar o pé da mesa” ou “A perna da mesa está torta” são frases comuns no dia-a-dia. O termo pé e perna foi emprestado para designar os pedaços de madeira ou de ferro que mantém a mesa em sua posição normal.

10. Cabeça de alfinete
Assim como no caso dos pregos, os alfinetes também receberam o termo cabeça para se referir a sua parte superior. Diferentemente das agulhas, alfinetes contam com pequenas bolinhas coloridas em suas pontas, o que faz lembrar uma cabeça.

Catacreses que perderam seu sentido original

Termos como “espalhar”, “enterrar” e “encaixar” tinham um determinado significado anterior e então passaram a ser utilizados como catacreses, hoje perderam seu sentido original e são utilizados das mais diversas formas:

• Espalhar
Anteriormente espalhar era utilizado para designar o ato de separar palha. Atualmente o termo é utilizado em vários sentidos e é possível espalhar folhas, brinquedos, dinheiro, roupas, dentre outras coisas.

• Enterrar
Enterrar era utilizado apenas para designar algo que era colocado na terra ou debaixo dela. Hoje é citado também como enterrar o dedo em uma torta ou enterrar a cabeça nas mãos, por exemplo.

• Encaixar
O termo encaixar era utilizado para o ato de se colocar determinado objeto em caixas, teria o mesmo sentido de encaixotar. Atualmente encaixar se refere a algo que cabe perfeitamente em determinado local ou espaço.