Classe de Palavras: Adjetivos e Pronomes


Adjetivos

Todos os seres, vivos ou não, apresentam caracterís­ticas que lhes são próprias e que os diferenciam uns dos outros. É comum encontrar em revistas e (ou) jornais textos como o do anúncio que reproduzimos a seguir. Nesse anúncio publicitário, as palavras novo, forte e acessível, que acompanham os substantivos Peugeot, motor e preço, respectivamente, desempenham um papel importante na divulgação do produto: elas o caracteri­zam positivamente. São adjetivos, palavras que modifi­cam os substantivos, indicando suas características: ta­manho, cor, tipo, qualidades, defeitos, etc. Essa relação é tão significativa que exige concordância do adjetivo com o substantivo: motor forte – motores fortes; preço acessível – preços acessíveis.

Classe de Palavras

As qualidades e (ou) as características dos seres tam­bém podem ser expressas por mais de uma palavra. Nes­se caso usa-se a locução adjetiva, expressão formada por mais de uma palavra e com função de adjetivo: bélico -de guerra; cefálico – de cabeça; ígneo – de fogo; pueril – próprio de criança.

Classificação do adjetivo

A mesma classificação de simples, composto, pri­mitivo ou derivado dos substantivos, estudada anterior­mente, serve também para os adjetivos.
Pode-se ainda fazer referência aos adjetivos pátrios. São os que se referem a raças, povos, continentes, paí­ses, lugares.
Exemplos: português, paranaense, noiàesAmo, ale­mão, etc.

Alguns deles, em forma reduzida, entram como pri­meiro elemento na formação de adjetivos compostos: greco-latino, anglo-saxão, luso-brasileiro.
Eis algumas reduções usuais: afro – da África anglo – da Inglaterra austro – da Áustria
•         franco – da França
•         hispano – da Espanha
•         ítalo – da Itália
•         índio – da índia
•         luso – de Portugal
•         nipo – do Japão
•         sino – da China
•         teuto – da Alemanha

Flexão do adjetivo

A formação do feminino dos adjetivos, em geral, segue as mesmas regras de flexão do substantivo:
•         troca-se a vogal o por a – lindo/linda;
•         acrescenta-se a vogal a no final da palavra – fran­cês/francesa.

Adjetivos que fazem o feminino dessa forma são chamados de biformes por apresentarem uma forma para o feminino e outra para o masculino.
Alguns adjetivos apresentam uma só forma para masculino e feminino: motor forte – personalidade for­te; preço acessível – informação acessível.

Superlativo

Ocorre quando o adjetivo marca a qualidade de um ser isoladamente (superlativo absoluto) ou em relação a um conjunto ao qual pertence (relativo).
O grau superlativo absoluto pode ser sintético ou analítico.

• Sintético – expresso por uma só palavra: adjeti­vo + sufixo. Exemplos: O exercício é facílimo. O preço é altíssimo.
•    Analítico – expresso com advérbios de intensi­dade: muito, extremamente, bastante, etc. Exemplo:   O exercício é muito fácil. O preço é extremamente alto.

O grau superlativo relativo pode ser de superiori­dade ou de inferioridade.
• Superioridade – o(a) + mais + adjetivo + de. Exemplos:  Este exercício é o mais fácil da prova. Aquele prédio é o mais alto da cidade.
•    Inferioridade – o(a) + menos + adjetivo + de. Exemplo:   Ele é o alunos menos atento da turma.

FLEXÃO DO ADJETIVO EM RELAÇÃO AO GRAU

Os adjetivos bom, mau, grande e pequeno so­frem flexão de grau de forma especial. O plural dos adjetivos simples segue as regras ge­rais de flexão do substantivo, mas, para a formação do plural dos adjetivos compostos é necessário observar dois princípios básicos:
•         apenas o último elemento vai para o plural; exem­plo: crises econômico-políticas; atitudes político-científicas (Exceção: surdo-mudo – surdos-mudos);
•         os adjetivos compostos que se referem a cores são invariáveis quando um dos elementos é um substantivo. Exemplo: casas amarelo-canário /
verde-garrafa / azulejos azul-céu. Exceção: azul-marinho, que é invariável – ca­misetas azul-marinho.

Pronomes

São dois os graus do adjetivo: comparativo e superlativo.

Comparativo
•         De igualdade – tão + adjetivo + quanto/como. Exemplo: As moças são tão inteligentes quanto os rapazes.
•         De superioridade – mais + adjetivo + (do) que. Exemplo: As moças são mais inteligentes que os rapazes.
•         De inferioridade – menos + adjetivo + (do) que. Exemplo: As moças são menos inteligentes que os rapazes.

Os pronomes são palavras referenciais que têm como função substituir ou acompanhar um nome (substantivo).

Pronomes pessoais

Indicam as pessoas do discurso (quem fala, quem ouve e ainda o assunto de que se fala). Os pronomes pessoais dividem-se em pronomes do caso reto e prono­mes do caso oblíquo e variam de acordo com as funções que exercem nas orações.

É comum na linguagem coloquial a cons­trução das frases relacionando você aos possessivos da 2a pessoa do singular. Exemplo: você encontrou a tua namorada? Numa situação formal ou na escrita, essa tendência deve ser evitada! Os pronomes de tratamento devem ser usados com possessivos de terceira pes­soa. Exemplo: Vossa Excelência não deve se preocupar com os boatos.