Competências da escrita


Hoje em dia, vivemos em um mundo onde saber escrever bem é algo extremamente valorizado, uma vez que estamos diante da tecnologia que transformou e abreviou muito a nossa forma de escrita. Além disso, para muitos, o hábito da leitura é algo inexistente e acaba influenciando negativamente na hora de produzir qualquer tipo de texto.

Escrever e escrever bem é uma ferramenta fundamental para quem quer se comunicar e demonstrar os seus conhecimentos em qualquer área. Por isso, o hábito da escrita não deve ser uma preocupação apenas durante a idade escolar, ou quando se é exposto à necessidade de desenvolver redações em simulados, Enem ou vestibulares.

Buscar ferramentas e meios para escrever cada vez melhor deve ser um hábito para toda a vida, já que estamos expostos a possíveis mudanças gramaticais, sem contar com o fato de que sempre podemos melhorar.

escrita

Quando ter competências da escrita pode nos ajudar?

* Em provas;
*Redações;
*Enem;
*Simulados;
*Na nossa vida profissional;
*Também em nossa vida pessoal.

Mas, como ter as competências da escrita?

Para você conseguir ter as competências da escrita, é preciso ter em mente que saber realmente escrever é uma qualidade dos que se dedicam ao hábito da leitura. Não existe como separar as duas coisas.

É lendo que você enriquece o seu vocabulário, aprende a dar valor e perceber a importância dos acentos gráficos e da pontuação correta. Porém, é preciso saber que apenas esses conhecimentos não são necessários para construir um bom texto.

Mas, apesar de, a princípio, parecer uma tarefa complexa, a construção de um texto bem escrito tem um passo a passo simples de ser usado e que garantirá o sucesso em tudo que você escrever.

Como a leitura pode contribuir para o hábito da escrita:

*Enriquecendo o vocabulário;
*Demonstrando a importância da acentuação gráfica;
*Expondo como a pontuação pode fazer a diferença;
*Trazendo uma riqueza de informações aos leitores.

Como acertar diante tantos tipos de texto?

Em primeiro lugar, é preciso expandir o seu conceito de texto e saber que mesmo que você não atue em áreas em que escrever bem é considerado fundamental, como jornalistas, professores, escritores, todos os tipos de profissionais precisam ter a competência da escrita, pois em algum momento ela se fará necessária.

Por exemplo: um mecânico precisa escrever corretamente um orçamento para o seu cliente, assim como o diretor de uma indústria precisa saber como grafar ofícios, cartas, relatórios, entre outras atividades que tornam a competência da escrita fundamental.

Como já citamos, dominar a gramática não garante que o seu texto seja realmente bom, é preciso também saber utilizar corretamente fatores como a concordância, regência nominal, entre tantas outras particularidades da nossa língua portuguesa.

Além disso, existe a coesão, coerência, a construção correta dos parágrafos, características fundamentais para que as suas ideias sejam exposta com clareza, oferecendo facilidade e prazer ao seu leitor.

Antes de começar a construção do texto de fato, você deve pensar qual modelo deve seguir e para quem está escrevendo. Feito isso, ficará mais fácil pensar em suas ideias e em como organizá-las para que o texto fique realmente claro para o seu leitor. Dentro de suas competências da escrita, você deve valorizar cada uma delas e tornar a exposição dessas ideais, em algo claro e cheio de argumentos para que seja possível entender o porquê de você defendê-las.

É claro que existem alguns casos, como textos técnicos e jurídicos, por exemplo, que exigem o uso de termos extremamente técnicos e uma certa erudição. O mais comum e indicado é produzir textos coloquiais, com o uso de palavras simples de ser compreendidas. Mas toda essa forma mais simples deve ser usada com cuidado e como já citamos, de acordo com o leitor e para qual fim o texto será destinado. Evite deixar o texto despojado demais e evite o uso de gírias ou termos que possam ser considerados grosseiros.

Outro modelo que se deve evitar é o uso do gerúndio, pois apesar de ser um recurso existente na língua portuguesa, a utilização excessiva dele em atendimentos de telemarketing e outros tipos de negociação fez com que as pessoas o abominassem. Além disso, existem outras formas nominais do verbo que podem contribuir mais positivamente na construção de seu texto.

Ainda sobre as competências da escrita, tenha sempre em mente o modelo básico de começo, meio e fim para todos os textos, isso nada mais é do que introduzir um tema, depois desenvolvê-lo e, por fim, concluí-lo.

Como já citamos, vale lembrar que o “achismo” é totalmente condenável. Todas as suas ideais precisam estar pautadas em fatos e argumentos fortes, de preferência com dados e estudos que endossem o que você está dizendo.

O bom texto tem:

*Introdução;
*Desenvolvimento;
*Conclusão;
*Linguagem Coloquial;
*Argumentos baseados em fatos.

O que se deve evitar:

*Gerundismo;
*Erudição;
*Achismo;
*Ideias Bagunçadas.